1.001
Nome Artístico
Paulinho Rezende
Nome verdadeiro
Paulo Roberto dos Santos Rezende
Data de nascimento
25/11/1949
Local de nascimento
Rio de Janeiro, RJ
Dados biográficos

Compositor.

Dados artísticos

Em 1975, no LP “A voz do samba”, Alcione interpretou de sua autoria “O surdo” (c/ Totonho). Neste mesmo ano no LP “Viagem encantada” Jorginho do Império interpretou “Deixa o carnaval passar” (Paulinho e Totonho).

Alcione gravou outras composições suas: em 1976, “Retalhos” (c/ Paulo Debétio), “Canto do mar” (c/ Totonho), “Lá vem você” (c/ Zayrinha e Totonho) e “A morte de um poeta” (c/ Totonho), que deu nome ao disco da cantora; em 1977, “Recusa” (c/ Paulo Debétio), “Corrente de barbante” e “Solo de pistom”, ambas em parceria com Totonho; em 1978, “Seu rio, meu mar” (c/ Totonho), em seu disco “Alerta geral”. Neste mesmo ano, o parceiro Totonho lançou pela gravadora Top Tape o LP “Dia a dia”, no qual incluiu diversas parcerias da dupla, como “Dia a dia”, “Sejas mar ou beija-flor” e “Que ingratidão”, entre outras. Ainda neste ano, Leci Brandão interpretou “Metades” (c/ Paulo Debétio), música que deu título ao disco da compositora.

Em 1979, Alcione gravou com grande sucesso a música “Menino sem juízo”, em parceria com Chico Roque. Neste mesmo ano, Totonho lançou o segundo disco “Minha gente canta assim”, no qual incluiu várias composições da dupla, como “Minha gente canta assim”, “Bloco do apreço” e “Antes só do que mal acompanhado”, entre outras. Por essa época, Zé Carlos gravou “Pode ser que amanhã amanheça chovendo” (c/ Totonho) no disco “Vamos Nessa”, lançado pela gravadora CID.

No ano de 1980, em seu disco “E vamos à luta”, Alcione interpretou “Não me fale de flores” (c/ Chico Roque).

Emílio Santiago em 1982 interpretou com grande sucesso “Pelo amor de Deus” (c/ Paulo Debétio). No ano seguinte, Beth Carvalho, no LP “Suor no rosto”, gravou “Chave do perdão” (c/ Everaldo Cruz).

Agepê cantou, em 1985, “Batuque de semba”, música de Paulinho Rezende em parceria com Alex e Romildo. No ano seguinte, Wando gravou de sua autoria “Estrela Veja” em parceria com Paulo Debétio.

Marquinhos Satã, em 1987, incluiu “Um samba sem dó” (Paulinho Rezende e Romildo) no LP lançado pela gravadora Ariola. No ano posterior, no LP “Obsceno”, Wando interpretou “Bailarina” (c/ Paulo Debétio). No ano seguinte, em 1989, Elba Ramalho incluiu no disco “Popular brasileira”, a música “Cheiro moreno”, em parceria com Chico Roque.

Em 1990, Zeca Pagodinho no CD “Zeca Pagodinho ao vivo”, interpretou ” Seu balancê” (c/ Toninho Gerais). Ainda em 1990, Selma Reis incluiu “Estrelas de outubro” (c/ Paulo Debétio), em seu novo disco.

No ano 2002 o grupo Art Popular no CD “Planeta pagode”, pela gravadora Abril Music, interpretou “Tá doendo demais essa saudade”, de sua autoria em parceria com Chico Roque.

Obras
A morte de um poeta (c/ Totonho)
A noite é grande (c/ Totonho)
Antes só do que mal acompanhado (c/ Totonho)
Bailarina (c/ Paulo Debétio)
Batuque de semba (c/ Alex e Romildo)
Bloco do apreço (c/ Totonho)
Canto do mar (c/ Totonho)
Chave do perdão (c/ Everaldo Cruz)
Cheiro moreno (c/ Paulo Debétio)
Correntes de barbante (c/ Totonho)
Cruz credo mangalô três vezes (c/ Cabral e Totonho)
Deixa o carnaval passar (c/ Totonho)
Dia a dia (c/ Totonho)
Estrela veja (c/ Paulo Debétio)
Laranjas e dedos (c/ Alex e Totonho)
Lá vem você (c/ Zayrinha e Totonho)
Mas que marejou (c/ Totonho e Mestre Alfredo)
Menino sem juízo (c/ Chico Roque)
Metades (c/ Paulo Debétio)
Minha gente canta assim (c/ Totonho)
No quilombo da nega cafuza (c/ Totonho)
Não me fale de flores (c/ Chico Roque)
O surdo (c/ Totonho)
Pelo amor de Deus (c/ Paulo Debétio)
Pode ser que amanhã amanheça chovendo (c/ Totonho)
Que ingratidão (c/ Totonho)
Recusa (c/ Paulo Debétio)
Retalhos (c/ Paulo Debétio)
Sejas mar ou beija-flor (c/ Totonho)
Seu balancê (c/ Toninho Gerais)
Seu rio, meu mar (c/ Totonho)
Solo de pistom (c/ Totonho)
Tempestade de amor (c/ Totonho e Mestre Alfredo)
Um samba sem dó (c/ Romildo)
Bibliografia Crítica

ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira – Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008; 2ª ed. Esteio Editora, 2009.