Busca:

Marion Duarte

Marion Pereira de Carvalho Gonçalves
18/3/1938 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Começou a carreira artística em 1957, ao ingressar na Rádio Solimões da cidade de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, atuando no programa "Valores novos" quando utilizou o nome artístico de Valéria Duarte. No mesmo ano, estreou na Rádio Nacional cantando no "Programa César de Alencar". Também no mesmo período, participou do programa "Samba e outras coisas", também na Rádio Nacional. Estreou em disco em 1958, pela gravadora Copacabana, registrando com acompanhamento de orquestra o samba-canção "Eu sou assim...", de Lina Pesce, e o bolero "Eu acuso", de Getúlio Macedo. Nesse ano, ganhou da Revista do Rádio o "Troféu Revelação" do ano. Em 1959, gravou o bolero "Criatura", de Rossini Pacheco e Luiz Simões, e o samba "Triste palhaço", de Antônio Cruz e Carlos Silva, com o qual obteve sucesso. Atuou na Rádios Nacional e Rádio Mayrink Veiga, tendo participado, entre outros, do Programa César de Alencar e Programa Paulo Gracindo. No "Programa Raymundo Nobre de Almeida" recebeu a faixa de "Favorita da Associação de Cabos e Soldados do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro". Participou da "Caravana da Alegria" dirigida pelo comunicador Luiz de Carvalho na Rádio Globo. Foi posteriormente contratada pela Rádio e TV Tupi. Atuou no mesmo período como contratada do Dancing Avenida. Nessa época, foi capa das revistas como "Rouxinol", de Porto Alegre, e "Canta moçada", "Moda e penteado" e "Radiolândia", no Rio de Janeiro, entre outras. Em 1960, gravou o samba "Simples mortal", de Augusto Mesquita e Roberto Reis, e o fox-balada "Si tu partais", de Michel Emer e Caribé da Rocha. Gravou em 1961, o fox "Chove", de Felice, Boudleaux e Bryant, com versão de Carlos Américo, e o samba-canção "Quando corre uma estrela", de Hilton Simões, Luiz Lemos e Antônio Correia, que fez razoável sucesso. Em 1962, na gravadora Continental, registrou em dueto com o cantor Albertinho Fortuna o tango "Milagre", de Barbosa da Silva e Umberto Silva, que alcançou algum sucesso, e com acompanhamento da orquestra do maestro Guerra Peixe o cha cha cha "O amor nasce de um beijo", de Geraldo Nunes e Jorge Gonçalves. Nesse ano, ganhou o "Troféu Zé da Zilda", entregue no programa "Discoteca do Chacrinha". Em 1963, gravou a marcha-rancho "Sem você...não tenho nada", de Almeida Rego e Bob Nelson, e o bolero "Vida minha", de Heitor Mangeon e Roberto Muniz. Também no mesmo ano, foi agraciada com o "Troféu Sua Majestade o Cartaz", da TV Jornal do Comércio, de Recife, PE. Para o carnaval de 1964, lançou pelo pequeno selo Ritmos a marcha "Cara de palhaço", de Nilo Barbosa e Arnaldo Morais. Nesse mesmo ano, recebeu da TV Marajoara, de Belém, PA, o "Troféu Sete Dias em Destaque". Por volta de 1965, gravou com sucesso o samba-canção "Preciso de você urgentemente", de Luiz Araújo e Oldemar Magalhães. Cerca de dois anos depois, afastou-se da carreira artística. Em 1979, doze anos depois de ter se afastado do meio artístico, retomou a carreira ao ser convidada para defender o samba "Praia de Amaralina", de Tião do Pandeiro e Orlando Coto Dominguez, no Primeiro Festival de Música da Associação Atlética do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. Com esse samba, obteve o quinto lugar, além de dar novo impulso à sua carreira artística. Participou então do LP "Só pra começar", que reuniu os finalistas do festival. No mesmo ano, lançou um compacto simples com as músicas "Em nome do povo" e "Galera do mengão", esta última, inclusive lhe proporcionou receber do Clube de Regatas do Flamengo o "Troféu Pererê", ao lado das cantoras Nana Caymmi e Elizete Cardoso que também foram agraciadas com o prêmio. Em 1985, gravou o compacto duplo "Mulher de verdade", música título de G. Martins, Walter Coragem e Verinha. Em 1986, foi contratada pela Top Tape e lançou seu primeiro LP no qual se destacou o samba "Sou Pagodeira", de Silas de Andrade e Café. Em seu retorno à carreira artística colecionou novos prêmio como o "Diploma de Homenagem do G.R.E.S Estação Primeira de Mangueira", e o "Diploma de Melhor do Ano", do Programa "Recordar é viver", da Rádio Capibaribe, de Recife, PE. Em 1998, em comemoração aos seus 40 anos de carreira artística, lançou seu primeiro CD "Marion Duarte - Eu sou assim", no qual relançou seus antigos sucessos "Si tu partais", de Michel Emer e Caribé da Rocha, "Eu acuso", de Getúlio Macedo, "Milagre", de Barbosa da Silva e Umberto Silva, "Triste palhaço", de Antonio Cruz e Carlos Silva, "Sem você...não tenho nada", de Almeida Rêgo e Bob Nelson, "O amor nasce de um beijo", "Quando corre uma estrela", de Hilton Simões, Antonio Correia e Luiz Lemos, "Preciso de você urgentemente", "Criatura", de Luiz Simões e Rosine Pacheco, e a música título, de Lina Pesce, além de novas gravações como "Simples mortal", de Augusto Mesquita e Roberto Reis, "Vida minha", de Heitor Mangeon e Roberto Muniz, "Mal de amor", de Nhôzinho, "Nada mais", de Guaxinim e Marina Pumar, "Chove em meu coração", de Felice Boudieaux, Bryant e Carlos Américo, e "Pode voltar", de Rossine Pacheco e Finamar Pumar. Em 2003, lançou de forma independente o CD "Fonte de energia", que teve apresentação de Bidu Reis, e no qual interpretou músicas como "Fonte de energia", de Motta Vieira, "Bata devagar", de Hércio Expedicto, "Amor incoerente", de Kleber Sayão, "Dói demais", de Motta Vieira e Criz, "Regras da vida", de Arildo de Souza, "Tempestade", de Ivan Salvador, "Só agora", de Kleber Matos, "A grande verdade", de Luiz Bittencourt e Marlene, "Quero você junto a mim", parceria sua com Niége, "Não troquemos de mal", de R. Brito e Jorge Faraj, "Vida a dois (Es-quim-dim dim)", de Arildo de Souza, "Cavaleiro de Deus", sua e de Motta Vieira, e "Folhas mortas", de Bidu Reis e Motta Vieira. Apresentou ainda as regravações de "Quando corre uma estrela", de Hilton Simões, Luiz Lemos e Antônio Correia, e "Eu sou assim", de Lina Pesce, além de três parcerias como Collid Filho, "Só ficou a lembrança", "Eu sei bem que não me amavas", e "Doce amor". Essas duas últimas contaram com declamações do radialista Collid Filho. Em mais de 40 anos de carreira, gravou discos pelas gravadoras Copacabana, Continental e Top Tape e participou de momentos áureos de grandes Rádios, especialmente a Rádio Nacional. Em 2007, gravou com o cantor e compositor Luiz Henrique o CD "Homenagem concisa a Noel e a Maysa" com produção musical de Jorge Quartarone, o Quartera, integrante da primeira formação do grupo Os Cariocas. O disco contou com as participações dos músicos Quartera na bateria, Antenor Luz no violão, Romildo Cardoso no contrabaixo, Clarice Kamliot nos teclados, e Carlos Moura no sax e flauta. Nesse disco ela interpretou as músicas "Escuta Noel", "Ouça", "Resposta" e "Adeus", todas de autoria de Maysa. O CD foi lançado em show ao vivo no programa da cantora Dorina "Ponto de samba" no auditório da Rádio Nacional com a participação especial do grupo Chapéu de Palha. Em 2011, fez uma participação especial no show realizado no Bar Amarelinho na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro, pelo cantor Luiz Henrique em Homenagem ao compositor Sinhô. Ainda em 2011, lançou novo CD no qual interpretou as músicas "Romaria", de Renato Teixeira; "Pra você", de Sílvio Cesar; "As aparências enganam", de Tunai e Sérgio Natureza; "Azul da cor do mar", de Tim Maia; "Tocando em frente", de Almir Sater e Renato Teixeira; "Ouça", de Maysa; "A galeria do amor", de Agnaldo Timóteo; "Doce de coco", de Jacob do Bandolim e Hermínio Bello de Carvalho; "Secretária da baira do cai", de Xavier e Nenzinho; "Nuvem de lágrimas", de Paulo Debétio e Paulinho Rezende; "Momento infeliz", de Julinho e Moisés Sant'Ana, e "Padroeiro do Brasil", de Ary Monteiro e Irany de Oliveira. Em 2013, fez uma participação especial no CD "Prosamba que Noel me convidou" lançado pelo cantor Luiz Henrique, interpretendo com ele o samba "Queimei teu retrato", de Noel Rosa e Henrique Brito.

Mais visitados
da semana

1 Jaburu Batera
2 Karen Keldani
3 Festivais de Música Popular
4 Noel Rosa
5 Tiee
6 Gonzaguinha
7 Mário Silva
8 Augusto César Vannucci
9 Gilberto Gil
10 João Nogueira