Busca:

José Barbosa

José Barbosa Guilherme
8/6/1935 Baixo Guandu, ES
21/8/2018 Campos dos Goytacazes, RJ

Dados Artísticos

Começou a carreira artística ainda criança cantando num parque de diversões na cidade de Aimorés, fazendo imitações de cantores famosos da época, como Miltinho, Jorge Veiga, Cauby Peixoto, e Nelson Gonçalves, entre outros. Por essa época, foi convidado a juntar-se ao corpo de artistas de um circo, com o qual excursionou por vários estados brasileiros se apresentando como cantor. Ao retornar da excursão com o circo, passou a atuar na Rádio Cultura de Aimorés, como cantor e apresentador de programa de auditório, apesar da idade, entre 12 e 14 anos. Em 1951 passou a atuar como músico na Rádio Espírito Santo, em Vitória, sendo para lá levado pelo seu primo, também cantor, José Avelino, com o qual também viajou em apresentações pelas principais cidades brasileiras. Na Rádio Espírito Santo atuou como cantor e também como violonista na orquestra  do maestro Raimundo Vieira do Espírito Santo, conhecido no meio radiofônico como "Mundico". Em 1953, foi contratado pela Rádio Difusora de Colatina atuando com Geraldo Pereira. Pouco depois, foi contratado pela Rádio Capixaba, de Vitória, Espírito Santo, onde ficou durante três anos. Em 1959, foi para a cidade de Campos dos Goytacazes, para se apresentar ao lado do cantor Agostinho dos Santos, no Cine Teatro Trianon. Acabou ficando na cidade de Campos, morando provisoriamente nos altos do antigo Cine Teatro Trianon, onde também funcionava a Publinews, do publicitário Hernon Viana que em companhia de Carlos Rodrigues da Silva acabam por integrá-lo à Rádio Jornal Fluminense, onde trabalharia como músico e como locutor num programa de entrevistas. Atuou também na Rádio Cultura de Campos, apresentando-se como cantor nos programas "Castelo do espaço",  no programa de José Sales, "Gurilândia" , e em programas de auditório nos domingos à noite e também às segundas-feiras. Na Rádio Cultura de Campos, criou o regional "Barbosa e sua gente", onde se apresentava ao lado do clarinetista Aino Braga, Abelardo Filho, Rosindo Monteiro, e Reginaldo Vasconcelos, entre outros. Ao mesmo tempo, atuou como músico no Clube de Regatas Saldanha da Gama. Apresentou-se também no "Programa Rádio Variedades", de Aino Braga, no "Recreio do Guri", de Diógenes Manhães e no "Show da Cidade", de Herval Manhães de Azevedo, todos na Rádio Campista Afonsiana. Além de cantor e compositor, acompanhou  como instrumentista, vários cantores em apresentações de shows e gravações de estúdio, como Nelson Gonçalves, Emilinha Borba, Araci de Almeida, Dalva de Oliveira, Agnaldo Timóteo, além de Agostinho dos Santos, quando este fez uma apresentação no Tênis Clube de Campos. Como locutor criou os programas "Tempo livre" e "De conversa em conversa" na Rádio Cultura de Campos, onde apresentou crônicas improvisadas no ar, com abordagem a assuntos da atualidade da cidade e do país, como conselhos de cunho social e existencial. Em 1960, foi contratado pela CBS e no ano seguinte lançou seu primeiro LP, com o título de "Roteiro da vida", com arranjos e direção do Maestro Britinho. Nesse LP  interpretou 12 músicas de sua autoria: "Roteiro da vida"; "Folha caída"; "Bailarina"; "Palhaço"; "Professora querida"; "Razão da minha vida",com Mariah; "Vamos brigar"; "Distância"; "Vá embora"; "Vem pra junto de mim"; "Aquele romance", e "O remédio é samba". Neste primeiro LP, nos tangos "Bailarina" e "Palhaço", participou entre os músicos da orquestra o bandeonista Ubirajara Chalar da Silva, pai do cantor e compositor Taiguara. Apresentando-se em programas de Rádio seguiu realizando shows, e em 1963, lançou o LP "Juramento" interpretando músicasde sua autoria e de outros compositores como "Quantas vezes"; "Contraste"; "Não e não" e "Teus lábios", composições solo de sua autoria; "Uma vida por uma hora", com Márcia Vinicius e Anoelí Maciel; "A saudade me acordou", com Luis Gonzaga Balbi, e "Este nosso amor", "Canção da noite" e "Amarração",as três com Anoelí Maciel, além de "Juramento", canção título do LP, de Jacobina e Murillo Latini; "Amigo ciúme", canção pouco conhecida de Lupicínio Rodrigues e Onofre Pontes, e "Só eu e você", de Armando Nunes e Othon Russo. Em 1965, lançou o LP "Desejos iguais" interpretando uma série de canções românticas incluindo versões para cinco boleros: "Amargo final", de Alfredo Daneri; "Te peço que voltes (Te pido que vuelvas)", de M. O. Medina, e "Uma página mais (Uma pagina mas)", de A. Zapata, com versões de  J. V. Rosa Júnior; "Meu desespero (Mi desesperacion)", de A. Daneri e C. Gali, e versão de Rossini Pinto, e "Que ingrata foi a vida (Quizá em la eternidad)", de C. Dominguez,e versão de Clóvis Mello, e ainda "Fala a saudade por nós", de Anoelí Maciel e Luis Gonzaga Balbi; "Luz da minha vida", de Jacira Costa; "Juro", de Mariah Brito e Leila Victor; "Foi tudo loucura", de Niquinho e Othon Russo; "É tarde", com Anoelí Maciel; "Desejos iguais", com Anoelí Maciel e Márcia Vinicius, e "Se tu voltares", de Chuite Machado. Em 1967, gravou o LP "Quero só você" que incluiu músicas românticas como "Chorar meu sofrer", de Niquinho e Othon Russo; "Balada do amor feliz", de Paulo Gama e Roberto Marques; "Quem de nós", de Osmar Navarro e Alcina Maria; e "Peço a Deus", de Eduardo Damas e Manuel Paião, além de oito versões para baladas francesas, italianas e latinas: "Teu nome (Ton nom)", de Salvatore Adamo, e versão de Pedro Lopes; "Ela devia dizer-me (II faut dire)", de J. Baselli, A. Canfora e M. Jourdan, e "Quero só você (Per questo voglio te)", de Ponti e Mogol, em versões de Rubem Carneiro; "Quando morreu o poeta (Quand il est mort le poète)", de Gilbert Bécaud e Louis Amade, em versão de Ciro Porto; "Tchau amor adeus (Ciao amore ciao)", de Luigi Tenco, e "Eu por amor (Lo per amore)", de P. Donaggio e V. Pallavicini, as duas com versões de Nazareno de Brito; "Eu sou aquele (Yo soy aquel)", de Manuel Alejandro, e versão de Romeo Nunes, e "O que se espera (C'é chi spera)", de M. Panzeri, D. Pace e G. Colonnello, e versão de Clóvis Mello. Em 1968, gravou o LP "José Barbosa interpreta David Nasser" com 12 composições do jornalista e poeta David Nasser: "A mulher e a rosa", com Alcyr Pires Vermelho; "Lily", com Haroldo Lobo; "Telefonista" e "Vestido de noiva", com Francisco Alves; "Normalista", com Benedito Lacerda; "Deus lhe pague", com Polera e André Penazzi; "Silêncio do cantor", com Joubert de Carvalho, e "Outra vez"; "Camisola do dia"; "Francisco Alves"; "Prece de paz" e "Caminho certo", todas com Herivelto Martins. Em 1971, embarcou no navio "Ana Nery" com destino a Portugal, tendo se apresentado como cantor durante a excursão e se apresentou também em Lisboa. No mesmo ano, lançou pela Tapecar um compacto simples com "Navio branco" e o tango "O assalto", de sua autoria que contou com acompanhamento do bandolinista Ubirajara Chalar da Silva, com quem passaria a tocar em acompanhamento de inúmeras gravações na Tapecar. Ao longo de sua carreira, esteve presente em programas de grande audiência no Rádio e na TV tendo atuado em programas da Radio Nacional, de Paulo Gracindo, na Radio Mayrink Veiga, com Fernando César no "Show da casa Neno", na Rádio Tupi, TV Tupi, e TV Excelsior. É autor do hino do Goitacaz Futebol Clube, de Campos dos Goytacazes. Em 2005, apresentou-se no Teatro de Bolso de Campos, dentro do Projeto "Ouro da Terra", da Fundação Teatro Municipal Trianon, onde foi homenageado por um grande público. Seu período de maior atuação foi durante a década de 1960, quando lançou cinco LPs pela CBS sempre interpretando temas românticos.

Mais visitados
da semana

1 Jaburu Batera
2 Karen Keldani
3 Noel Rosa
4 Festivais de Música Popular
5 Tiee
6 Mário Silva
7 Gonzaguinha
8 Augusto César Vannucci
9 Gilberto Gil
10 Adoniran Barbosa