Busca:

Doca

Firmo Jordão
São Paulo

Dados Artísticos

Era ligado ao samba paulista fazendo parte de um grupo ao qual pertenciam compositores como Adoniran Barbosa, Popó, Tião do Violão, Ivan Moreno, Ivan Pires, e Waldir Cardoso, e grupos como o Seis de Samba. Em 1951, os sambas "Alzira", e "Deus É Pai", com Popó, F. Pires e B. Patrício, foram gravados na Star
por Mary Duarte. Em 1952, o grupo vocal Titulares do Ritmo, na RCA Victor, gravou o samba "Adeus Praça da Sé", com Popó. Em 1953, Mary Duarte, pela gravadora Copacabana, lançou o samba "Errar Só Uma Vez", com Popó.  Em 1954, o samba-canção "Cansada De Sofrer", com José Roy, foi registrada na Odeon por Hebe Camargo, enquanto o samba "Lá Vem Ela", com Popó, era lançado por  Mary Duarte pela Copacabana. Em 1956, compôs com Wilson Roberto a marcha "Natal, Natal", lançada por Wilson Roberto na RCA Victor. Neste ano, na RCA Victor, a cantora Linda Batista lançou o samba "A Rodada É Minha", com Rubens Silva. Também neste ano, Nilton Paz gravou na Mocambo o samba "Fantasma", com Pereira Matos e Victor Simon. Também em 1956, teve gravado aquele que seria seu maior sucesso, o samba "Minha nega na janela", com  Germano Mathias, lançado em disco de 78rpm pela Polydor e incluído no ano seguinte no LP "Germano Mathias, o sambista diferente". Em 1957, a marcha "Abraço de Jacaré    ", com Alfredo Borba, foi gravada na Odeon por Osvaldo Rodrigues, enquanto o samba "Os Olhos da Morena", com Jair Gonçalves, era gravado pelo grupo vocal Vagalumes do Luar, sendo incluído na coletânea Carnaval de 1957", da Continental.  No mesmo ano, teve a marcha "Batatinha Quando Nasce", com Alfredo Borba, interpretada por Cinderela para o LP "Carnaval em lá maior - Carnaval 1958", da gravadora Lira. Ainda em 1957, o cantor Wilson  Roberto registrou na Polydor o samba "Jequitibar", com Wilson Roberto e Popó.
Em 1958, a marcha "Abraço de Jacaré    ", com Alfredo Borba, foi registrada por Carlinhos Mafasoli no LP "Carlinhos e Seu Acordeom" da gravadora Columbia. No mesmo ano, o sambista paulista Germano Mathias no LP "Em continência ao samba", da RGE gravou com sucesso o samba "Figurão", com Germano Mathias. Em 1959, a dupla caipira Raul Torres e Florêncio, lançou pelo selo California a marcha "Amanhã Eu Vou-me Embora", com Fernando Pires. No mesmo ano, o cantor Nerino Silva, pela Chantecler, lançou o LP "O Escurinho das Candongas" que incluiu os sambas "Bola de Meia", com Ivan Pires, e "Nega Exigente", com Fernando Pires. Ainda em 1959, teve outras duas composições gravadas, "Chega De Versão", com Ivan Pires, por Waldemar Roberto, e "De Meia Preta", com Ivan Pires e Nilo Silva, lançada por Valdemar Reis, ambas pela Chantecler.
Em 1960, o cantor Maninho gravou pelo selo Califórnia o samba "A Volta Da Gerarda", com Ivan Pires, retomando a linguagem que mistura o linguajar italiano com o capira, fala típica da capital paulista. Em 1961, Esterzinha de Souza registrou no selo  California o samba "Ave Sem Ninho", com Serafim Costa Almeida e Vicente Silva. No mesmo ano, pela Philips, o Trio Tayamá registrou a marcha "Bafo De Onça", com Jair Gonçalves. Ainda em 1961, fez sucesso com a guarânia "Lencinho Verde", com Osmar Zan, gravado pelo Duo Irmãs Celeste para o LP "Graça e música" da Chantecler, e que seria gravada no ano seguinte por Zito Vieira no LP "Quisera saber", da RGE. Em 1963, dois sambas seus, em parceria com Popó, foram gravados em disco de 78 rpm pelo selo Califórnia: "A Bela Roseira", na voz de   Clóvis de Lima, e "Tira O Paletó" interpretada por Petrônio Borges. No mesmo ano, Neyde Fraga, pela Phillips, lançou o samba "Aquele Neguinho", com Ivan Pires, relançado no ano seguinte em compacto duplo. Ainda em 1963, o Trio Seleno, no selo Audio Fidelity, lançou o samba "Benedita Lavadeira", com Ivan Pires; Arlindo de Oliveira gravou a marcha "Dona Leonor", com Popó e Arlindo, no selo Califórnia, e Jair Rodrigues, no LP "O samba como ele é", da Phillips, registrou o samba "Esqueça", com Ivan Pires. Também neste ano, os xotes "Bom É Esse" e "Na Bodega do Bodega", com Gerson Filho, foram gravadas pelo sanfoneiro Gerson Filho para o LP "Lá vai fumaça", da  RCA Victor. O xote "Na bodega do Bodega" seria regravada por Gerson Filho em mais três ocasições nos LPs "Isso é que é bom", de 1973, "Forrozando", de 1978, e "Flor do sertão", de 1978.
Para o carnaval de 1965, compôs com Salomão e George AB, a marcha "Babão". Fez no mesmo ano o samba "Vem meu bem". Em 1968, o samba "Benedita Lavadeira    ", com Ivan Pires, foi a faixa de abertura do LP "Leva Êste", do grupo vocal  Demônios da Garoa para a gravadora Chantecler. No mesmo ano, o samba "Caboclo Tibiriça    ", com O. Sombra e Nilo, foi interpretado por Canarinho para o LP     "Carnaval de 1969", da gravadora Musicolor/Continental.  Em 1969, teve os sambas "Samba do Dito", "Bola de Meia", "A Bronca do Patrão", "Lei do Inquilinato    " e "Samba da Marmita", todas com Ivan Pires, gravadas pelo conjunto Seis de Samba, pela Musicolor/Continenta. Também em 1969, teve os sambas-enredo "São Paulo Antigo (E S Lavapés)    " e "Progresso Industrial (E Primeira de Santo Estevão)", só de sua autoria, e "Tamandaré (E S Estrela Brilhante de Vila Rica)", com João das Candongas e Miguel Campos, incluídos no LP "Sambas enredo das Escolas de samba de São Paulo - Carmélia Alves e Geraldo Filme", da Chantecler.
Em 1970, teve a marcha "Deixa esta gente falar", gravada por Anselmo Amorim, e o samba "Não esquente a cabeça", lançado por Miguel Campos e Embalo 5, além da marcha "Eu vou pedir para o vento", lançada por José Guimarães. No mesmo ano, o samba "O Sereno Cai", com A. Lopes e Inês de Castro, foi gravado por Dora Lopes e incluído na coletânea "The Biggest Hits of the Wonderful Brazilian Carnival '71", do selo EBRAU. Em 1977, a guarânia "Lencinho Verde", com Osmar Zan, na interpretação do Duo Irmãs Celeste, foi incluída na coletânea "Duos famosos", do selo Sertanejo/Chantecler. Em 1979, a gravadora Phillips lançou o LP "Antologia dp samba-choro - Gilberto Gil e Germano Mathias" incluindo a gravação de "Minha nega na janela" na voz de Gilberto Gil. Em 1979, a coletânea "O fino da malandragem", do selo Clack/Bandeirantes Discos incluiu a gravação de Gilberto Gil para o samba "Minha nega na janela".
Em 1980, aventurou-se no carnaval carioca e foi um dos autores do samba enredo da Escola de Samba União de Vaz Lobo, para o carnaval de 1981, "Renascendo das Cinzas", com Paulão e Jary J. Santos, gravado por Adelinha para o LP "    Sambas de enredo das Escolas de samba do Grupo 2B - Carnaval 1981", da Polydor. No mesmo ano, o samba "Temporal" foi gravado por Monarco para o LP "Terreiro", do selo Eldorado. Em  1998, o CD "Cidade do Salvador - 1974", da Polygram, com faixas gravadas em estúdio por Gilberto Gil, entre 1973 e 1974 e não aproveitadas incluindo o registro de "Minha nega na janela". Teve mais de 40 composições gravadas, especialmente sambas, por nomes como Monarco, Jair Rodrigues, Gilberto Gil, Germano Mathias, Mary Duarte, Carmélia Alves, Vagalumes do Luar e Linda Batista, entre outros.

Mais visitados
da semana

1 Jaburu Batera
2 Mário Silva
3 Paulinho da Viola
4 Tiee
5 Noel Rosa
6 Festivais de Música Popular
7 Cartola
8 Gonzaguinha
9 Pinocchio
10 Martinho da Vila