Busca:

DJ Marlboro

Fernando Luiz Mattos da Matta
1963 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

No ano de 1989 ganhou o "Campeonato Brasileiro de DJs", em São Paulo, o primeiro concurso de DJ do Brasil, patrocinado pela DMC (Disco Music Club), da Inglaterra, sendo convidado para apresentar-se em Londres representando o país como o número um do funk nacional e classificando-se entre os dez DJ melhores do mundo. Neste mesmo ano lançou, pelo selo Polydor, da gravadora PolyGram (depois Universal Music Group), o que é considerada a primeira coletânea de funk brasileiro, o LP "Funk Brasil". No disco, com oito faixas, assinava Marlboro DJ, ao contrário do usual que assumira mais tarde. Também atuou, neste mesmo disco, na programação de teclados e bateria eletrônica. No LP participaram Abdúla nas faixas "Melô dos números" (Abdúla e Marlboro DJ) e "Melô da mulher feia", versão de Marlboro DJ, Nirto e Abdúla para "Do wah diddy" (Barry e Greenwich); Ademir Lemos na faixa "Rap do arrastão" (Ademir Lemos, Nirto e Marlboro DJ); Cidinho Cambalhota em "Rap das aranhas", na realidade uma versão para rap de "Rock das aranhas" (Raul Seixas e Cláudio Roberto), Guto & CIA em "Melô do bicho" (Guto Laureano, Marlboro DJ, J.r. Pinto e Nirto) e MC Batata nas faixas "Entre nessa onda" (Marlboro DJ e Batata) e "Melô do bêbado", de autoria de Batata e Marlboro DJ. O LP vendeu mais de 250 mil cópias e foi seguindo por outros, chegando ao “Funk Brasil nº 5”,  com os quais lançou boa parte dos novos valores do funk nacional. Por seu selo também lançou discos de Latino, Copacabana Beat, You Can Dance, Cashmere, entre outros, totaliza mais de um milhão de discos vendidos, alguns pela Polygram e outros pela Sony Music. Apresentou-se nas principais casas noturnas do Rio de Janeiro e de vários estados do Brasil, além de apresentar-se na casa noturna Favela Chic, em Paris, França e em vários países como Inglaterra, Estados Unidos, Croácia, Japão, Colômbia, Eslovênia, Espanha e Portugal, sempre tocando funk-carioca. No ano de 1996, a convite do guitarrista Victor Biglione, autor da trilha sonora do filme "Como Nascem os Anjos", de Murilo Salles, participou da referida trilha com a faixa "Montagem basketball", criada pelo próprio DJ. A cantora e compositora Fernanda Abreu lhe prestou homenagem na letra "Brasil país do swing".  Em 2003 foi o primeiro DJ brasileiro a participar do festival "Summer Stage", no Central Park, em Nova York, que lhe rendeu uma entrevista para o "Manhattan Connection". Logo depois fez apresentações em Nova Jersey, Chicago e Boston e ainda no "Festival Eletrónika", em Belo Horizonte. Em 2004, por seu selo Link Records lançou a coletânea "Proibidão liberado". Neste mesmo ano, ao lado da MC Tati Quebra-Barraco, entre outros artistas do funk, participou do evento "Tim Festival". No ano de 2006 tocou em vários eventos, entre os quais "Sonar", na Espanha, e no estacionamento da Loja Selfridges, em Londres, durante a mostra,"Brasil 40 degrees", além de três turnês pelos Estados Unidos e passagens pela França, Colômbia, Croácia e Eslovênia, Portugal, Estados Unidos e Japão. Apresentou-se regularmente na boite Lucky, na capital paulista e nos principais eventos e casas noturnas do Rio de Janeiro, além de fazer o remix em ritmo de funk da música "Chumbo quente", antigo sucesso de música sertaneja da dupla Léo Canhoto e Robertinho. Neste mesmo ano, segundo a ABPD (Associação Brasileira de Produtores de Discos), a coletânea "Bem Funk - DJ Marlboro", lançada pela gravadora Som Livre, vendeu cerca de 222 mil cópias, galgando o 7º lugar na lista dos mais vendidos. Ainda em 2006 lançou, pelo selo Deckdisc, o CD/ DVD “DJ Marlboro apresenta: Funkteen”, no qual fez uma seleção de grandes sucessos do funk carioca, como “Tremendo vacilão” (Perlla), “Ela só pensa em beijar” (MC Leozinho), “Tá surdo?” (Naldo e Lula), “Morto, vivo”(Bonde do Tigrão), “Rap glamourosa” (MC Marcinho), “Bonecão do posto” (SD Boys), entre outros. Em 2008 foi citado no livro "Alguns Aspectos da MPB", Euclides Amaral, mais precisamente no ensaio "O Funk", trabalho no qual através de um texto com quatro página teve sua trajetória artística comentada. No ano seguinte, em 2009, foi outra vez citado pelo pesquiador Euclides Amaral, desta vez no livro "O Guitarrista Victor Biglione & e a MPB", perfil artístico do músico argentino radicado no Brasil, com o qual o DJ trabalhou na trilha sonora do filme "Como Nascem os Anjos", de Murillo Salles. Em 2010 junto a Dudu Nobre, Elba Ramalho, Frejat, Geraldo Azevedo, Wanderléa, Ângela Maria e Roberto Menescal, entre outros, prestou depoimento para o projeto "MPB nas Escolas", do Instituto Cultural Cravo Albin em parceria com a Secretaria de Estadual de Educação do Rio de Janeiro. O projeto resumiu em DVDs, cartazes e livros (seis de cada) a história da música popular brasileira através dos séculos, sendo integrados como material paradidático da rede estadual de educação. Neste mesmo ano foi uma das atrações do "Brazillian Day" (tocando funk carioca), festa organizada pelo consulado brasileiro em Nova York, rteunindo mais de um milhão de pessoas no centro da cidade. Em 2011 participou, ao lado de Carlinhos Brown, Sérgio Mendes, Ivete Sangalo, Marcelo D2, Zeca Pagodinho, Bebel Gilberto e Taio Cruz, da trilha sonora do filme "Rio", de Carlos Saldanha, lançado em vários países do mundo. Nesse mesmo ano participou do show em homenagem aos 80 anos do Cristo Redentor, realizado no Monumento dos Pracinhas, no Aterro do Flamengo, no qual interpretou, ao lado de Buchecha, a faixa “Praia e sol” (Bebeto e Adilson Silva). O show também contou com a participação de artistas como Beth Carvalho, Roberto Menescal, Elba Ramalho, Sandy, Alexandre Pires, Leila Pinheiro, Miúcha, Zeca Pagodinho, entre outros, acompanhados dos músicos Julinho Teixeira (arranjo, regência e teclado), Luciano (bateria), André Neiva (baixo), José Carlos (guitarra e violão), André (percussão), Jaguara (percussão), Jesse Sadoc (trompete), Rodrigo Sha (sax), Jorge Alexandre (coro), Isabel (coro), Alessandra (coro), Marcio Malard (cello) e Alceu Maia (cavaco). O registro desse show foi gravado em CD/ DVD e distribuído mundialmente nos países católicos pela EMI, em 2012. Apresentou-se no palco principal montado em frente ao hotel Copacabana Palace para as comemorações do Réveillon de 2020 em Copacabana, no Rio de Janeiro, logo após a queima de fogos.

Mais visitados
da semana

1 Jaburu Batera
2 Mário Silva
3 Paulinho da Viola
4 Noel Rosa
5 Festivais de Música Popular
6 Tiee
7 Cartola
8 Pinocchio
9 Gonzaguinha
10 Martinho da Vila