Busca:

Arthur Maia


1962 Rio de Janeiro, RJ
15/12/2018 Niterói, RJ

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira profissional acompanhando, em shows e gravações, artistas como Ivan Lins, Luiz Melodia e Márcio Montarroyos, entre outros.

Fez parte de diversos grupos de música instrumental, como Garage, Varanda, Pulsar e Banda Black Rio.

Atuou em shows e gravações com Milton Nascimento, Jorge Benjor, Lulu Santos, Caetano Veloso, Gal Costa, Djavan e Gilberto Gil, entre outros.

Em 1985, passou a integrar o grupo instrumental Cama de Gato e fundou a banda pop Egotrip.

Participou de discos e shows de artistas internacionais, como Ernie Watts, Sheila E., Pat Metheny, Carlos Santana, George Benson e Plácido Domingo.

Em 1990, lançou seu primeiro disco solo, "Maia", nos mercados brasileiro e europeu.

Dois anos depois, foi contemplado com o Prêmio Sharp de Música na categoria Revelação Instrumental.

Em 1996, lançou o CD "Arthur Maia". Nesse mesmo ano, apresentou-se no Canecão (RJ) e no exterior (Europa, Estados Unidos e Japão). Ainda em 1996, participou do Festival Brasil na casa de espetáculos Town Hall, em Nova York.

Fez parte das bandas de Gilberto Gil e Ney Matogrosso, participando das turnês dos dois artistas no Brasil e no exterior.

Em 2000, lançou seu terceiro disco solo, "Planeta Música", com participação de Dennis Chamberts e Mike Stern, entre outros músicos.

No ano de 2002 lançou o disco, “Planeta Música”, pelo selo que ele mesmo fundou, o Cabeçadura Records. Lançou em 2009 o CD, “Planeta Múisica II” pelo mesmo selo. Uma das principais composições deste álbum é a música "To Nico", que compôs em homenagem ao grande baixista Nico Assumpção. O guitarrista Scott Henderson faz uma participação especia nesta gravação. Apresentou-se, em fevereiro de 2005, na casa noturna Mistura Fina (RJ), com show em homenagem a seu tio, o baixista Luizão Maia, falecido em janeiro desse mesmo ano. O espetáculo contou com a participação da cantora Leny Andrade. Em 2007 lançou seu último trabalho autoral, o CD “O Tempo e a Música”, pela gravadora Biscoito Fino.  Aos 15 de dezembro de 2018, com 52 anos, morreu em Niterói vítima de uma parada cardíaca, sendo sepultado no dia seguinte no cemitério Parque da Colina. A Prefeitura de Niterói declarou luto de oficial de três dias, em virtude de ter sido Secretário de Cultura da cidade entre os anos de 2013 e 2016. Considerado um dos maiores músicos do Brasil no toque do baixo elétrico, foi homenageado pelas redes sociais do ICCA como “um músico excepcional, cujo refinamento herdara de seu tio, Luizão Maia (1949 – 2005).  

Mais visitados
da semana

1 Jaburu Batera
2 Mário Silva
3 Paulinho da Viola
4 Noel Rosa
5 Tiee
6 Festivais de Música Popular
7 Cartola
8 Gonzaguinha
9 Pinocchio
10 Martinho da Vila