Busca:

Xenia França


27/2/1986 Candeias, BA

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

A partir de 2007 começou a se apresentar na noite paulistana como cantora do grupo Capadoxe.  Em 2010 dividiu os vocais com Rael e Emicida na faixa “Beira de piscina” do CD “Emicidio” (Laboratório Fantasma) e gravou na faixa “Volúpia”, do EP “Sua mina ouve meu rep também” (Laboratório Fantasma) ambos lançados pelo rapper Emicida. A partir de 2011 integrou, como vocalista, a big band Aláfia, sendo a única mulher a figurar entre os 11 músicos, dentre os quais Eduardo Brechó, Pipo Pegoraro e Lucas Cirillo. Em 2013 a banda Aláfia lançou seu primeiro CD homônimo, com onze faixas inéditas, dentre as a música “Ela é favela”, de sua autoria com Eduardo Brechó, Lurdez da Luz e Jairo Pereira. Em 2016 lançou o single e o clipe da música “Breu” (Lucas Cirillo). Participou da faixa “Prendedor de varal” (Liniker), no CD “Remonta”, da cantora Liniker. Em 2017 lançou seu primeiro CD solo “Xenia”, patrocinado pelo projeto “Natura Musical”, em que regravou “Respeitem meus cabelos, brancos”, de Chico César. O disco também incluiu músicas autorais como “Miragem”, “Perfeita pra você” e “Pra que me chamas” (c/ Lucas Cirillo), música em homenagem a Claudia Silva, mulher negra assassinada pela Polícia Militar do Rio de Janeiro em 2014. O show de lançamento foi apresentado no Auditório Ibirapuera em São Paulo. Ainda em 2017 lançou com a banda Aláfia o CD “SP não é sopa”, inteiramente dedicado à cidade de São Paulo.  Dividiu o palco com artistas como Elza Soares, Maria Bethânia, Criolo, Emicida, Margareth Menezes, Teresa Cristina, Tássia Reis, Liniker, entre outros. Em 2018 apresentou-se ao lado da cantora Áurea Martins, na 29ª edição do “Prêmio da Música Brasileira”, interpretando “Juventude transviada”, em tributo a Luiz Melodia, o grande homenageado da noite.

Mais visitados
da semana

1 Geraldo Pereira
2 Dorival Caymmi
3 Caetano Veloso
4 Acyr Marques
5 Noel Rosa
6 Tom Jobim
7 Hermeto Pascoal
8 Roberto Luna
9 Francisco Mignone
10 Nelson Cavaquinho