Busca:

Vilma Bentivegna

Vilma Bentivegna
17/7/1929 São Paulo, SP
2/7/2015 Mogi das Cruzes, SP

Dados Artísticos

Embora de popularidade discreta, foi um nome significativo na radiofonia paulista. Em 1954, foi contratada pela gravadora Sinter e gravou com acompanhamento de Zezinho e sua orquestra TV, a guaracha "Me "vo" a morir", de F. Cabrera, e com acompanhamento de Luis Arruda Paes e sua orquestra o samba-canção "Chove", de Geraldo Vietri, mais tarde célebre novelista de Tve roteirista de filmes. Em 1955, foi contratada pela Rádio Nacional de São Paulo e pela TV Paulista. Em 1956, assinou contrato com a Odeon e gravou com acompanhamento de Luiz Arruda Paes e sua orquestra o fox "Rififi", de Gerard e Rue, com versão de Haroldo Barbosa, o bolero "Ama-me amor", de Panzeri e Mascheroni, com versão de Valdir Cardoso. Em 1957, gravou com acompanhamento da orquestra de Luis Arruda Paes, as canções "Pollyana", de N. Schultze e B. Balzo, e "Marcelino, pão e vinho", da trilha sonora de filme homônimo, composição de P. Sorozobal e P. Sorozobal Jr, versões de Ribeiro Filho, que obtiveram boa repercussão nacional. Gravou em 1959, com acompanhamento de Waldomiro Lemke e sua orquestra, a clássica canção francesa "Hino ao amor", de Edith Piaf e Monnot, com versão de Odair Marzano, além do samba "Só tristeza", de Paulo Rogério e Odair Marzano. Em 1960, gravou com a orquestra de Waldomiro Lemke a fantasia "Minha devoção", de O. Cesana, e o samba-canção "Vontade de enlouquecer", composição do maestro Guerra Peixe em parceria com Odair Marzano. No ano seguinte, gravou, ainda com a orquestra de Waldomiro Lemke, as canções "As folhas verdes de verão", de D. Tiomkin e P. F. Webster, com versão de Paulo Rogério, e "Canção do amor que eu lhe dou", de Lourival Faissal. Ainda em 1961, lançou pela gravadora Odeon, o LP "Canção do amor que eu lhe dou" no qual interpretou as músicas "Canção do amor que eu lhe dou", de Lourival Faissal; "Hino ao amor", de Edith Piaff e Marguerite Monnot, em versão de Odair Marsano; "Graças a Deus você voltou", de Tito Madi; "Minha devoção", de Oto Cesana, em versão de Odair Marsano; "Sonata da despedida", de Wilma Camargo e Élcio Álvarez; "Alvorada de amor", de Almeida Rego; "As folhas verdes do verão", de D. Tiokim e Paul Francis Webster, em versão de Paulo Rogério; "Eu sem você", de Jair Amorim e Evaldo Gouveia; "És meu amor", de S. Weyne e A. Silver, e versão de Teixeira Filho; "Sonata de esquecer saudade", de Geraldo Cunha e Pery Ribeiro, e "Eu, a tristeza e você" e "Canção de quem espera", de Sebastião Silva. Também no mesmo período, lançou três compactos simples com as músicas "Outra Vez (Look Again) (Theme From Irma La Douce)", de M. Monnot, Al. Breffort, André Previn e D. Langdon, versão de Juvenal Fernandes; "Sempre Feliz (Cosi Felice)", de Giorgio Gaber, versão de Fred Jorge; "Marcelino Bom Menino (Marcelino Pan Y Vino)", de Pablo Sorozobal e José Maria Sanchez Silva, versão de Ribeiro Filho; "Pollyanna", de N. Schultze, adaptação de Ribeiro Filho; "Minha Devoção (Devotion)", de Otto Cesana, versão de Odair Marsano, e "Vontade de Enlouquecer", de Guerra Peixe e Odair Marsano. Em 1962, registrou as canções "Canção de um triste", de Paulo Rogério e Oldair Marzano, e "Preciso de alguém", de Paulo Rogério. Em 1966, pela gravadora Philips lançou o LP "Preciso Aprender a ser Só", com as músicas "Oferenda", "Tudo de Mim", "O Bilhete", "Ninguém Chora Por Mim", "E a Vida Continua", "Serenata da Chuva", "Somos Iguais" e "Sentimental Demais", todas de Jair Amorim e Evaldo Gouveia; "Eu Que Não Vivo Sem Te Ver (Io Che Non Vivo) (Senza Te)", de P. Donaggio e V. Pallavicini, versão de J. K. Filho; "Shangri-lá", de M. Madeck e R. Maxwell, versão de Adriano Stuart; "Prelúdio de Tua Ausência", de Paulo Rogério; "E Eu Te Perdi (From Russia With Love)", de L. Bart, versão de Paulo Rogério; "Tristeza de Voltar (Que C'est Triste Venise)", de Charles Aznavour e F. Dorin, versão de Gióia Júnior; "O Princípio e o Fim (Ma Vie)", de Alain Barrière, versão de Nazareno de Brito; "Amor Perdoa-me (Amore Scusami)", de Pallavicini e Mescoli, versão de Julio Nagib; "O Mundo (Il Mondo)", de Fontana, Pes e G. Meccia, versão de Romeo Nunes; "Renúncia (Progress)", de E. Bernstein, versão de Fred Jorge; "Preciso Aprender a Ser Só", de Marcos Valle e Paulo Sergio Valle, e "Sim Creio (Si Creo)", de J. Prieto, versão de João Borges. Em 1967, lançou compacto simples com as músicas "E Eu Te Perdi (From Russia With Love)", de L. Bart, versão de Paulo Rogério, tema de filme de "James Bond" de bastante sucesso na época, e "Prelúdio de Tua Ausência", de Paulo Rogério. Em 1968, contratada pela gravadora Continental, lançou o LP "- As Mais Belas Canções de Amor", interpretando "Hino ao Amor (L'hymme a L'amour)", de Edith Piaf e Marguerite Monnot, versão de Odair Marsano; "Você É Meu Mundo (My Way Of Life)", de Bert Kaempfert, também versão de Odair Marsano; "Serenata do Adeus", de Vinicius de Moraes; "Doce Amargura (Ti Guardero Nel Cuore)", de Ciorciolini, Ortolani e Oliveiro, versão de Nazareno de Brito; "Cartas de Amor (Love Letters)", de V. Young e E. Heyman, versão de Osvaldo Santiago; "É Tão Sublime o Amor (Love Is a Many Splendored Thing)", de S. Fain e Paul Francis Webster, versão de Alberto Ribeiro; "Amo (Lover)", de R. Rodgers e L. Hart, versão de  Navaror; "Chove Lá Fora", de Tito Madi; "Suave É a Noite (Tender Is The Night)", de Paul Francis Webster e F. Fain, versão de Nazareno de Brito; "A Noite do Meu Bem", de Dolores Duran; "Tarde Demais Para Esquecer (na alffair To Remember)", de H. Warren e H. Adamson, versão de Alberto Ribeiro, e um pot-pourri com as músicas "Amor Verdadeiro (True Love)", de Cole Porter, versão de Alberto Ribeiro; "Valsa da Despedida", de Alberto Ribeiro e João de Barro, e "Boa Noite Amor", de José Maria de Abreu e Francisco Matoso. Em 1969, lançou compacto simples com as músicas "Um Bom Lugar (A Time For Us)", de L. Kuisik, E. Snyder e Nino Rota, versão de A. Soares, e "Quando A Noite Inspira Poesia (Quando L'amore Diventa Poesia)", de Mogol e Soffici, versão de Geraldo Figueiredo. Em 1970, gravou um compacto simples com as músicas "Espera Um Pouco (La Nave Del Olvido)", de D. Ramos, versão de Sebastião Ferreira da Silva, e "Se Pudesse Contar Todas As Lágrimas", de Luis Américo e Arturo Loureiro, e um duplo com "Espera um pouco (La Nave Del Olvido)", de D. Ramos, versão de Sebastião Ferreira da Silva; "Se pudesse contar todas as lágrimas", de Luis Américo e Arturo Loureiro; "Um bom lugar  (A Time for Us)", de L. Kuisik, E. Snyder e Nino Rota, versão de A. Soares, e "Quando a noite inspira poesia (Quando L'amore Diventa Poesia)", de Mogol e Soffici, versão de Geraldo Figueiredo. Em 1977, gravou pela Beverly um compacto simples com as músicas "Buscas", de Jean Pierre e Donizette, e "Venha", de Silvia Boarato e Murano. Em 2005, o selo Revivendo lançou o CD "Vilma Bentivegna - Hino ao amor" com 18 interpretações suas, entre as quais, a música título, de Edith Piaf e Margueritte Monnot, com versão de Odayr Marzano, "Canção de um triste", de Paulo Rogério e Odayr Marzano, "Sonata de esquecer saudade", de Geraldo Cunha e Pery Ribeiro, "Vontade de enlouquecer", de Guerra Peixe e Odayr Marzano, "Minha tristeza e o mar", de sua autoria, "Graças a Deus você voltou", de Tito Madi, "As folhas verdes de verão", de Dimitri Tiomkin e Paul Francis Webster, com versão de Paulo Rogério, "Canção do amor que eu lhe dou", de Lourival Faissal, "Rififi", de M. Philippe-Gerard e Jaques Larue, em versão de Haroldo Barbosa, "Eu, a tristeza e você", de Sebastião Silva, "Preciso de alguém", de Paulo Rogério, "Noite de amor", de Tchaikovsky com adaptação de Fred Jorge, e "Marcelino pão e vinho", de Pablo Sorozobal em versão de Ribeiro Filho.

Mais visitados
da semana

1 Dorival Caymmi
2 Festivais de Música Popular
3 Caetano Veloso
4 Luiz Gonzaga
5 Lupicínio Rodrigues
6 Daniela Mercury
7 Música Sertaneja
8 Noel Rosa
9 Vinicius de Moraes
10 Paulinho da Viola