Busca:

Vicente Viola

Vicente Estevam
20/7/1959 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Iniciou a carreira como artista de teatro. Em 1976, apresentou-se, com seu grupo de teatro estudantil, numa montagem da obra musical “Quadrilha” de Chico Buarque. Em 1979, formou a banda “Amálgama”, assumindo os vocais e a guitarra, ao lado de Marcelo Paschoal (baixo) e Marcos Humel (bateria).  No ano seguinte, fez um show na Casa do estudante, no Rio de Janeiro, para o programa “Sinal Aberto”, da TVE. Ao seu lado, os músicos Marcelo Paschoal (baixo), Elcio Káfaro (bateria) e Newton Golek (piano), segunda formação da banda Amálgama.  Ainda em 1980, participou do Festival Estudantil do Estado do Rio de Janeiro, na Sala Cecília Meireles (RJ) com a música “Samba do Trabalhador”.    Em 1982, lançou o disco “Vicente Viola”, pelo selo Distak. A gravação contou com a participação de músicos como Vital Farias, Cátia de França, Paulinho do Bandolim e Ithamara Koorax. Apresentou-se na casa de espetáculos “Bar do violeiro”, no RJ, ao lado de Hélio Contreiras, Atuou no Projeto Quatro Gatos, em Niterói, no qual teve a oportunidade de trabalhar com Tonho Baixinho, Cátia de França, Anna Gazola, Sérgio Sampaio, Ithamara Koorax e Nelson Cavaquinho.  Em 1984, participou do show de Mercedes Sosa e João do Vale, no Clube Recreativo Gigante do Catete (mais conhecido como Forró forrado), no RJ, dividindo o palco com Miúcha, Almir Saint Clair e Paulo Afonso.  Apresentou-se no Circo Voador, com a Orquestra de Violões da Uni-Rio.  Em 1986, em Brasília, participou de um show no Ginásio de Esportes Presidente Médici. Acompanhado de nomes como Chico Buarque, Beth Carvalho, Gonzaguinha, Vinícius Cantuária, Luiz Carlos da Vila e Roberto Ribeiro, fez coro aos que defendiam as terras indígenas.  No mês seguinte, reencontrou Chico Buarque para um novo show, dessa vez em homenagem ao jogador Afonsinho, precursor da lei do Passe Livre, no futebol, no Campo do Olaria Futebol Clube. Dentre os convidados, João Bosco, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gonzaguinha, João Nogueira, Paulinho da Viola, Geraldinho Azevedo, Roberto Ribeiro, Elton Medeiros e Elba Ramalho. Um ano depois, sua composição “Martelo linfático” (com Renato Carvalho e arranjos de Paulo Moura) ficou em segundo lugar no Festival “Som das águas”, organizado pela TV Manchete.  Em 1987, criou, com Bodart, o projeto “O canto da Canja”, espetáculo musical em que vários artistas se reuniam para “dar canja”.  Apresentou-se em show em homenagem aos 10 anos da Famerj, no Sambódromo do Rio de Janeiro.  Em 1988, voltou a dividir os palcos com Gonzaguinha, além de Zé Ramalho, Fagner e Moraes Moreira, em show no Estádio de Remo da Lagoa, encerrando o Festão 88.   Foi contratado pela TV Globo para apresentar o programa “Som Brasil”.  Ficou em terceiro lugar no Festival Eisteddfod, na África do Sul, em 1989, com o Grupo Folclórico do Brasil. Responsável pela voz, pelo tamborim e pelo violão, era acompanhado por Paulinho Bi (violão e voz), Décio Carracosa (sax) e Maria Clara Padinha (piano, caxixi e voz). Em 1990, participou do show “Canto à Cuba”, na Escola de Música da UFRJ, com Taiguara, Hélio Contreiras, Jatobá, Sérgio Ricardo, entre outros.  No ano de 1996, fez uma série de apresentações na casa de espetáculos Business Club One, na programação de Happy Hour da casa. Dois anos depois, participou do 3º Encontro da MPB, no Clube Aexas, em Minas.  Em 1999, participou do Recital de Música da Câmara. Acompanhado por Emanuelle, na flauta doce, tocou no violão uma peça do compositor alemão Telemann. Depois, acompanhado pela flauta transversa de Cláudia Conte e novamente ao violão, tocou uma peça de Bach.  Em 2000, fez show durante a Semana do Conservatório, em comemoração aos 44 anos do Conservatório Estadual de Música Lia Salgado.  Em 2002, foi agraciado pela Federação das APAEs do Estado de Minas Gerais, pela Delegacia Regional Zona da Mata II e pela Apae de Leopoldina com o Diploma de Mérito, pela participação do III Festival Regional Nossa Arte, em Leopoldina, ao lado de Ana Babinski, com quem criou o projeto DUO ELO.  Em 2003, novamente ao lado de Ana Babinski, apresentou no Quiosque´s Restaurante, em Itaipuaçu, o show-projeto “Sala das Orquídeas”. O projeto se estendeu, gerando apresentações em Tiradentes e em São João Del Rey.  No mesmo ano, lançou o disco “DUO ELO – Sala das orquídeas”, na Usina Cultural de Leopoldina.  Em 2004, conquistou o 3º lugar no Festival de Além Paraíba com a música “Pólen da vida”, com Jurandyr da Feira.  No fim do mesmo ano, lançou o CD “Alma”. Em 2005, apresentou-se no Mercado São José, no RJ.  Em 2006, participou como jurado do IV Festival de Música do CEPE – Fundão, no Teatro Rival, onde se apresentou no show de intervalo do Festival.  Em 2007, foi convidado para participar da Semana do Tom, em São José do Vale do Rio Preto, uma série de shows em comemoração ao aniversário de Tom Jobim.  No mesmo ano, lançou o CD “MPB”. Apresentou-se no SESC-Madureira. Em 2012, apresentou-se com Elba Ramalho, em show em evento fechado.

Mais visitados
da semana

1 Noel Rosa
2 Lupicínio Rodrigues
3 Garoto
4 Nalva Aguiar
5 Luiz Gonzaga
6 Pixinguinha
7 Assis Valente
8 Tom Jobim
9 Elza Soares
10 Caetano Veloso