Busca:

Vadeco

Oswaldo de Moraes Eboli
5/1/1912 Rio de Janeiro, RJ
23/12/2002 Rio de Janeiro, RJ

Não deixe de ver:

Biografia

Cantor. Pandeirista. Ator. Cineasta. Empresário. Jornalista. Publicitário.

Em 1954, ingressou no Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, servindo a vários ministros. Em 1959, por designação do Departamento Nacional do Trabalho, do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, com a colaboração do Escritório Comercial do Brasil em Nova York e da Varig, realizou, em Nova York, promoções de cunho artístico, culminando, em fevereiro de 1960, com o baile de carnaval nos salões do famoso Pierre Hotel, com a presença das mais destacadas personalidades do mundo social, artístico, politico e cultural de vários países, tendo à frente a Sra. Dora Vasconcelos, Cônsul-Geral do Brasil em Nova York, e o Dr. Francisco Medaglia, Chefe do Escritório Comercial do Brasil em Nova York. Para abrilhantar o evento, levou para Nova York e comandou uma expressiva caravana, integrada pelo nosso Rei Momo e por mais de 10 renomados artistas, incluindo cantores, músicos e passistas patrícios, dentre eles Heloisa Helena, que atuou como cantora e colaboradora, Cauby Peixoto, Carmem Costa, Francisco Carlos, conhecido como "El Broto", além dos conhecidos músicos Hélcio, do Tamba Trio, e Armando do Solovox, como pianista, e, ainda, de um famoso casal de passistas formado por Leda e seu partner, sem contar a participação da orquestra do festejado maestro Max Cesarin. A chegada dos brasileiros a Nova York constituiu um verdadeiro acontecimento, tanto que a comitiva foi recepcionada no Aeroporto local pelo representante do Prefeito da Cidade, pelo Chefe do Escritório Comercial do Brasil em Nova York, por representantes de nosso Consulado e por vários jornalistas. O grupo foi recebido na Prefeitura de Nova York pelo então prefeito, Robert Wagner, em cerimônia das mais informais, durante a qual o prefeito novaiorquino foi presenteado pelos brasileiros com objetos típicos, representativos do folclore do nosso país. Dentre as celebridades internacionais presentes ao baile, destacou-se a presença marcante do grande pintor espanhol Salvador Dali. Nesse mesmo baile nos Salões do Hotel Pierre, promoveu o primeiro desfile carnavalesco de fantasias em Nova York, selecionadas por um júri do mais alto gabarito, presidido pela Cônsul-Geral do Brasil, Dora Vasconcelos. Promoveu também o primeiro concurso para a escolha da Rainha do Carnaval Brasileiro em Nova York, sendo a eleita agraciada com uma viagem ao Brasil, para participar do carnaval carioca, incluindo os tradicionais bailes do Teatro Municipal e do Copacabana Palace Hotel. A cobertura do acontecimento foi realizada, costa a costa, nos Estados Unidos, pela National Broadcasting Company (NBC), e, no Brasil, pelas revistas Manchete e O Cruzeiro, merecendo ainda elogiosos ofícios, enviados pela Cônsul-Geral do Brasil, bem como pela Direção do Escritório Comercial do Brasil em Nova York ao Itamarati.

Ao assumir o Ministério do Trabalho e Previdência Social, o Cel Walter Peracchi Barcellos convidou-o para ocupar o cargo de Assessor de Imprensa de seu Gabinete, função que exerceu até o último dia de sua gestão. Por delegação do Ministro Peracchi Barcellos, integrou a Comissão que dispõe sobre os cursos de teatro e regulamenta as categorias profissionais correspondentes.Iniciou-se na imprensa ingressando no "Diário Carioca", quando da fundação do referido órgão. Em seguida, passou a integrar os quadros do jornal O Globo, tendo trabalhado ainda no Jornal do Commercio e no "Diário de Notícias" onde, por vários anos, foi responsável pela página dedicada ao cinema. Na revista Fon-Fon criou a seção de crítica radiofônica PR1-Fon-Fon. Foi correspondente da revista "Radiolândia", editada em Buenos Aires. Visitou todos os países das Américas, enviando reportagens para a revista O Cruzeiro, o jornal O Globo e o tablóide Cine-Rádio Jornal. Como correspondente nos Estados Unidos, teve oportunidade de entrevistar vários artistas famosos de Hollywood, dentre eles Alice Fay, John Barrymore, Don Ameche, Cesar Romero e Hermes Pan. Teve a sua reportagem publicada na revista Fon-Fon, premiada como o melhor trabalho jornalístico sobre a vida e a morte de Carmen Miranda. Enviou para o jornal O Globo, em absoluto "furo" jornalístico, a primeira reportagem ilustrada com fotos sobre a famosa "Revolução dos Carabineiros", em Santiago do Chile, em 1937.

Foi Sócio Benemérito da Associação Brasileira de Imprensa - ABI - por mais de 60 anos. Foi fundador e Diretor da Associação Guanabarina de Imprensa, hoje Associação de Imprensa do Rio de Janeiro. Foi sócio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro. Foi eleito para ocupar a Cadeira nº. 9 da Academia Brasileira de Jornalismo, que tem por patrono o seu sogro, o teatrólogo Joraci Camargo.

No mês de junho de 1966, credenciado pelo Itamarati, foi membro da Delegação da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais (SBAT), que participou do Congresso Internacional de Autores e Compositores, realizado em Praga, na Tchecoeslováquia, promovido pela Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (Sisac), com sede em Paris. Como empresário artístico, foi o responsável pela vinda ao Brasil dos mais famosos e destacados artistas e cantores internacionais, como Carlos Ramirez, Jane Clayton, Esperanza Iris, Paco Sierra, Chucho Martinez, Fernando Borel, Orquestra Santa Paula Serenaders, Boby Clay e muitos outros que, por longo tempo, se apresentaram com sucesso em nossos cassinos, teatros e estações de rádio. Produziu vários shows que foram apresentados no Rio e em São Paulo.



Lançou no Rio de Janeiro o Trio Nagô, integrado por Mário Alves, Epaminondas e pelo compositor Evaldo Gouveia. Como publicitário, iniciou-se como publicitário no Departamento de Publicidade da Urânia Filmes. Dirigiu o Departamento de Publicidade da Herbert Richers Produções Cinematográficas. Colaborou ainda nos departamentos de publicidade dos jornais Diário Carioca, Diário de Notícias e O Globo, permanecendo neste último até 1967. Dirigiu, por vários anos, a Boate Night and Day, no Rio, onde produziu o show "Alvorada". Foi também Diretor Artístico do Cassino High-Life e da Companhia de Revistas Freire Júnior, que apresentou no Teatro República a Revista "É Sopa no Mel". Produziu, ainda, vários shows para cassinos, teatros e clubes noturnos. Em novembro de 1974, foi admitido na "Ordem dos Velhos Jornalistas do Brasil" (atual "Ordem dos Jornalistas do Brasil"), por proposta de Salvador Caruso, onde exerceu os cargos de Diretor Social e Diretor de Relações Públicas, ocupando atualmente o Cargo de Vice-Presidente. Em junho de 1989, recebeu o diploma de Sócio-Benemérito da Ordem dos Jornalistas do Brasil. Recebeu o título de Sócio Benemérito da Casa dos Artistas, havendo doado ao Retiro dos Artistas uma casa que, por sua sugestão, recebeu o nome de Casa Joracy Camargo, inaugurada com a presença da Primeira-Dama do país, Marly Sarney. Em 18 de julho de 1995, recebeu do Museu Carmen Miranda o Troféu Miranda, por ser considerado pessoa importante no Universo Miranda e por estar relacionado à trajetória vitoriosa de Carmen Miranda.

Recebeu o título de Benemérito do Estado da Guanabara e a medalha comemorativa da Primeira Legislatura da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Mais visitados
da semana

1 Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)
2 Moacir Bedê
3 Festivais de Música Popular
4 Hermeto Pascoal
5 Noel Rosa
6 Sant'Anna
7 Candeia
8 Gilberto Gil
9 Caetano Veloso
10 Vicente Viola