Busca:

Ubuntu Africanias



Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Criado em 2014 por músicos de várias partes do Brasil e da América Latina, na comunidade quilombola do Alto da Sereia, em Salvador (BA), o grupo mescla em suas composições e arranjos bases rítmicas malinkés (vindas do noroeste da África) com elementos da música popular brasileira, a partir da investigação e experimentação de timbres e possibilidades rítmico-sonoras de instrumentos africanos (como djambés, dunduns, ngonis, balafones, krakrabs) fusionados com os timbres de instrumentos brasileiros (como alfaias, agogôs, patangones, pandeirões, pandeiros, caixas de congado), que se somam a guitarra e baixo, dando caráter jazzístico ao repertório, o qual é formado por composições próprias e versões de grandes músicos como Moacir Santos, Waldir Azevedo e Heitor Villa Lobos. Em 2014 participou do "XIX Festival de Música Instrumental da Bahia", do "I Seminário Nacional Mulher e Cultura" (Salvador, BA), do "II Cultural EME UFBA" (Salvador, BA) e lançou seu espetáculo “Ojú Ònà: o caminho” celebrando o Novembro Negro, no Teatro Solar Boa Vista (Salvador, BA).  Em 2015 participou da "Mostra Sesc de Artes Aldeia Olhos D´água" (Feira de Santana, BA) e da festa do dia 2 de fevereiro, em que se comemora o dia de Yemanjá. (Salvador, BA). Em 2018 estreou no projeto “Uma Tarde no Museu” promovido pelo Governo Estadual da Bahia, no Museu Casa de Angola em Salvador (BA) contando histórias dos Agudás de uma forma diferente para as crianças sobre a nossa história do povo africano e indígena. Nos anos seguintes seguiram se apresentando em Salvador, com shows palestras e histórias contadas para crianças. 

Mais visitados
da semana

1 Tiee
2 Teresa Cristina
3 Gilberto Monteiro
4 Creone e Barrerito
5 Festivais de Música Popular
6 Gilberto Gil
7 Luiz Gonzaga
8 Mayck e Lyan
9 Mestrinho
10 Alceu Valença