Busca:

Tranka

Tancredo Marcelino de Olivieira
6/4/1943 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

No ano de 1965 lançou o LP "As boas novas com o Tranka", pela gravadora Multisound, disco no qual interpretou vários sucessos da época tocando sax tenor. Neste mesmo ano o cantor Miguel Angel incluiu em seu disco "Samba na onda" (Gravadora Equipe) a composição "Dá bola" (Tranka e Luiz Sérgio Pacce); Peter Thomas, no LP "O novo som espetacular" (Selo Fantasia) gravou suas composições "Dá Bola", "Bicho", "Pé Duro" e "Tião", todas em parceria com Luiz Sérgio Pacce, disco no qual tocou baixo elétrico; o grupo Primo Trio (formado por João Antônio Peixoto Primo - piano, Tranka Oliveira - baixo acústico, e Luis Sérgio Pacce - bateria -,  gravou "Olha a Favela" (c/ Luiz Sergio Pacce) no LP "Primo Trio", lançado pela gravadora Musidisc. No ano posterior, em 1966, ainda integrando o Primo Trio, lançou o LP "Primo Pinta o sete" (Gravadora Musidisc), no qual foi incluída sua composição "Leila", parceria com Luiz Sergio Pacce. O trio lançou, neste mesmo ano, outro disco intitulado "Sambossa". Ainda em 1966 o cantor J. Júnio e Seu Conjunto, no disco "Nova bossa nova", interpretou a faixa "Bate Palma", de Tranka e Luiz Sérgio Pacce. No ano de 1968 atuou como baixista no disco de Dario "Guitarra em nova dimensão" (Selo Musisound) e no LP "Aponta o sucesso", de Aloyr Mendes, lançado pelo selo Multisound. Dois anos depois, em 1970, atuou como saxofonista, pianista e arranjador dos discos Grupo Samba 5 "Moderninho"; Abílio Martins "Voltei" e Werther "Werter". Em 1973 tocou sax tenor e dividiu os solos com o organista Ed Lincoln no disco "Muchachos nas bocas - Um sax muito louco". No ano de 1974 começou a trabalhar com a cantora  Marlene no show "Te Pego Pela Palavra" e, a partir de então, foi seu maestro residente. Neste mesmo ano atuou como baixista no LP "Pra seu governo", de Beth Carvalho. Em 1976, tocando violão, fez turnê mundial com o cantor norte-americano Harry Belafonte. Também tocou baixo em algumas faixas da trilha sonora do filme "Bacalhau". No ano posterior, em 1977, no LP "Cinco e triste da manhã", a cantora Celeste interpretou de sua autoria as faixas "Ronda Tristeza" e "Sinal de Solidão" (c/ Jenny). No ano de 1980 inaugurou a casa de show Plataforma, no Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro, onde passou a dirigir e escrever todos os shows. Dois anos depois, em 1982, no LP "Coisa boa", Jorginho do Império gravou "Vento", parceria com Heraldo Faria. Em 1991, Neguinho da Beija-Flor, no LP "Poetas das calçadas", interpretou "Cenas de ciúmes" (Tranka, Toninho Nascimento e Noca da Portela), e Beth Carvalho incluiu em seu disco "Intérprete", outra composição de sua autoria, "Perdas e danos", em parceria com Noca da Portela e Toninho Nascimento. Neste mesmo ano foi o maestro responsável por toda parte musical do projeto "Tente, Invente, Faça um 92 Diferente", da Rede Globo. Nesse mesmo ano, de 1991, Ana Clara gravou "Ilumina" (c/ Noca da Portela e Toninho Nascimento), música que deu nome ao disco da cantora. No ano seguinte, em 1992, Maria Bethânia a regravou com sucesso. Também trabalhou em eventos musicais para turistas. Nesse mesmo ano, o grupo Geração gravou "Tambores da paz" (c/ Noca da Portela e Toninho Nascimento). Ainda em 1992 dirigia a banda da casa de shows Plataforma, em Porto Rico, no Caribe. O grupo Negritude Júnior, em 1993, interpretou "Amor pela metade" (c/ Noca da Portela e Toninho Nascimento).  Do ano de 1993 até o ano de 1998, em companhia da cantora Marcia Calmon, fez diversas apresentações em várias casas noturnas na Ilha de Saint Martin, nas Antilhas Francesas. No ano seguinte, em 1994, "Celular" (c/ Toninho Nascimento e Noca da Portela) foi gravado por Wander Pires no CD "Samba & pagode nº 4", pela Som Livre. No ano de 1996 o cantor Nego da Grande Rio interpretou a composição "Presa da paixão", de sua autoria em parceria com Toninho Nascimento e Noca da Portela. Em 1998 retornou ao Brasil e passou a trabalhar com a cantora Marlene, e ainda, como músico e diretor musical da casa noturna Plataforma, no bairro do Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, no CD "Marlene - Estrela da Vida", lançado pela Leblon Records foram incluídos alguns arranjos de sua autoria, disco com produção de Paulo Baiano. No reveillón de 1999-2000, a frente de sua orquestra, apresentou-se, no palco da Praia de Copacabana, acompanhando as cantoras Marcia Calmon, Emilinha Borba, Marlene e a vedete-cantora Virgínia Lane. Ainda no ano 2000 produziu, fez os arranjos e a direção musical do CD "Plataforma - Meu Brasil 500", o qual contou com vários intérpretes. No ano seguinte, em 2001, lançou o CD "Tranka e Marcia - Sob Medida", pela gravadora Somil Record, produzido por William Luna. No disco foram incluídas as faixas "Samba do avião" e "Corcovado", ambas de Tom Jobim; "Copacabana" (Alberto Ribeiro e João de Barro); "Quando o amor acontece" (João Bosco e Abel Silva); "Papel marchê" (João Bosco e Capinan), "Mas que nada" (Jorge Benjor); "Serrado" (Djavan); "Flor de Lis" (Djavan); "Por causa de você (Tom Jobim e Dolores Duran); "A noite do meu bem" (Dolores Duran); "Samba da bênção" (Baden Powell e Vinicius de Moraes); "Samba da minha terra" (Dorival Caymmi); "Sabe você" (Carlos Lyra e Vinicius de Moraes); "Primavera" (Carlos Lyra e Vinicius de Morais); "Sandália de prata" (Ary Barroso) "Rio de Janeiro / Isto é o meu Brasil (Ary Barroso); "Olhos verdes" (Vicente Paiva); "Marcha da primavera" (João de Barro); "Estão voltando as flores" (Paulinho Soledad); "Folhetim" (Chico Buarque); "Sob medida" (Chico Buarque); "Doce presença" (Ivan Lins e Vítor Martins); "Começar de novo" (Ivan Lins e Vítor Martins); "Tributo a um poeta" (J. Valle e Walter Xavier); "Outra vez" (Isolda); "Onde anda você" (Hermano Silva e Vinicius de Moraes); "Nunca" (Lupicínio Rodrigues); "Dia de domingo" (Michel Sullivan e Paulo Massadas) e "Carinhoso" (Pixinguinha e João de Barro). O disco contou com produção musical de Willian Luna, voz, programação de teclados e percussão de Marcia Calmon, teclados, violão e percussão de Tranka Oliveira e arranjos de Marcia Calmon e Tranka Oliveira. No ano de 2004, com a cantora Marcia Calmon, fez parte de um grupo artístico, coordenado pelo artista plástico, cenógrafo, carnavalesco e figurinista Mario Borriello, que a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro mandou para Pequim (China), a fim de representar o Brasil no evento "4th Meeting in Beijing Art Festival". No ano de 2015, lançou pelo site "CDBaby", em versão apenas digital, sua composições "Canção - pro nosso Tom" (Tranka Oliveira), "Sentidos" (c/ Marcia Calmon) e "O sol" (c/ Marcia Calmon) interpretadas por Marcia Calmon. Em 2016, montou em parceria com Marcia Calmon, o show "Delicado". Entre suas intérpretes constam Alcione, que gravou de sua autoria o samba "Pagando pra ver" (c/ Noca da Portela e Toninho Nascimento); Heleninha Costa que interpretou "Neste verão", e ainda, o grupo Raça, que interpretou "Tamandaré", parceria com Toninho Nascimento e Noca da Portela.

Mais visitados
da semana

1 Lupicínio Rodrigues
2 Hermeto Pascoal
3 Joaquim Calado
4 Caetano Veloso
5 Noel Rosa
6 Festivais de Música Popular
7 Tom Jobim
8 Dorival Caymmi
9 Pixinguinha
10 Música Sertaneja