Busca:

Torcuato Mariano


1963 Buenos Aires, Argentina

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira profissional em 1981, atuando em shows ao lado de vários artistas, como Johnny Alf, Lobão, Cazuza, Ritchie e Marcos Sabino.

Em 1986, participou da gravação do CD "Virgem", de Marina Lima. Nessa época, começou a compor, em parceria com Cláudio Rabello, para artistas como Rosana, Cheyanne, Yuri e Xuxa, entre outros. Autor de “Me chama que eu vou” (c/ Cláudio Rabello), tema de abertura da novela "Rainha da Sucata" (Rede Globo), recebeu o Prêmio Sharp, na categoria Melhor Compositor Pop do ano.

Em 1988, acompanhou Gal Costa em shows no Brasil e no Japão. Tocou no Free Jazz Festival (RJ) com o saxofonista Leo Gandelman, dividindo a noite com Chick Corea. Iniciou turnê européia acompanhando Ivan Lins, atuou em shows e gravações com Sergio Mendes, Ney Matogroso e Flávio Venturinni. Integrando a banda de Djavan, participou da turnê do CD "Oceano" e da gravação do CD "Coisas de acender".

Paralelamente ao seu trabalho com Djavan, iniciou, em 1992, a gravação do CD “Estação Paraíso", lançado simultaneamente no Brasil (Visom) e nos Estados Unidos (Windham Hill), no ano seguinte. No repertório do disco, suas composições “Um trem pra Uberaba”, “Só pra você”, “2350”, “O outro lado”, “Numa noite de verão”, “Xafoul”, “Mentiras sinceras”, “Ventos do Oriente”, “Mariana e Paula, boa noite” e a faixa-título, além de “Sobre o mar” (Flávio Venturini) e “I can’t help it” (Stevie Wonder e Susaye Greene). Ainda nesse ano, tocou com Leo Gandelman no Free Jazz Festival (SP), dividindo a noite com Yellow Jackets, e começou a produzir artistas de hip-hop, R&B e funk, através das gravadoras PolyGram, Sony e Som Livre.

Em 1994, obteve destaque na publicação “The Brazilian Music Review”, ocupando a 16a. posição na relação das músicas mais tocadas nas rádios americanas. Fez turnê promocional do CD "Estação Paraíso" nos Estados Unidos e produziu o CD "Noites com sol", de Flávio Venturini.

No ano seguinte, lançou o CD "Atelier" ("Last Look"), contendo suas composições “África”, “Tudo que eu não consegui dizer com palavras”, “Atelier (Fica na rede comigo)”, “No ritmo do meu coração”, “Um lugar muito especial”, “Segredos”, “Dias de frio”, “Magia do tempo” e “Rio Stomp”, além de “Dindi” (Tom Jobim e Aloysio de Oliveira). Recebeu destaque na revista “Jazz Times” e novamente na publicação “The Brazilian Music Review”. A canção "Last Look" (“Atelier”) ficou entre as 17 músicas mais tocadas durante o ano nas rádios americanas. O disco fez parte da lista dos Melhores CDs de Jazz do ano, de acordo com a publicação “Radio Active”, e ficou entre os 27 Melhores CDs de Jazz de 1995 na lista “NAC TOP95”. Ainda nesse ano, dividiu o palco do Mistura Fina (RJ) com Pedro Aznar e Rique Pantoja.

Em 1996, foi citado na “Billboard” como um dos 10 artistas mais tocados no estilo "New Age". Obteve o 5º. lugar nas rádios americanas com a música "Ocean Way". Nesse ano, os CDs "Estação Paraíso" ("Paradise Station") e "Atelier" ("Last Look") chegaram ao mercado japonês, recebendo destaque no catálogo japonês "Jazz Life Year Book". Participou do Free Jazz Festival, como convidado especial de Ernestine Anderson. Juntamente com o DJ Memê, produziu o CD do grupo Fanzine, que incluiu o hit "História de amor", um dos temas mais executados da novela homônima.

Participou, no ano seguinte, da coletânea "Sanctuary: 20 years of Windham Hill", lançada em comemoração aos 20 anos de atuação da gravadora. O disco ficou em 4º lugar na “Billboard”. Também em 1997, produziu os CDs "Obrigado" (Fábio Júnior) e "Beija-Flor" (Flávio Venturini), além de "Bebadachama" (Paulinho da Viola), pelo qual recebeu o Prêmio Sharp, na categoria Melhor Produtor de Samba.

Em 1998, produziu o CD ao vivo de Fábio Júnior, cuja faixa "Só você", da qual participou como arranjador e guitarrista, obteve muito sucesso.

De 1998 a 2002, exerceu o cargo de diretor artístico da gravadora EMI, onde desenvolveu projetos e lançou discos de Jorge Vercilo, Natiruts, Flavio Venturinni, Fat Family, Belo, Art Popular, Exalta Samba, Soweto, Legião Urbana e Carlinhos Brown.

Em 2000, paralelamente ao seu trabalho na EMI, iniciou o trabalho de composição do seu terceiro CD. Produziu duas faixas do CD "Desafio", do cantor Belo, uma das quais, "Tua boca", foi uma das músicas mais executadas no Brasil nesse ano.

Participou, em 2002, do CD "Elo", de Jorge Vercilo, solando na faixa "Celacanto". Ainda nesse ano, iniciou a produção dos CDs de Isabella Taviani, Marcela Biasi e Flávio Venturini.

Em 2003 atuou no show “Fome Zero”, em Recife, acompanhando Zizi Possi, Leila Pinheiro, Toni Garrido e Paulo Mikos, ao lado de Paulo Calasans, Glauton Campello, Marcelo Martins, André Vasconcelos, Armando Marcal e Cláudio Infante. Também nesse ano, apresentou-se no Festival de Jazz da Faculdade Estácio de Sá, fez turnê de shows pelo Nordeste com Flávio Venturini e assinou a direção musical do show realizado por esse artista no Canecão (RJ).

Constam da relação dos intérpretes de suas canções vários artistas, como Marcos Sabino, Rosana, Fábio Júnior, Edmon Costa, Sidney Magal, Angélica, Ritchie, Flávio Venturini, Nico Resende, Leo Gandelman e Herva Doce, entre outros.

Ao longo de sua carreira, participou da gravação de discos de Djavan (“Coisas de acender”), Cazuza (“Ideologia”), Flávio Venturini (“Cidade veloz”, “Noites com sol”, “Beija-flor” e “Trem azul”), Marina Lima (“Virgem” e “Próxima parada”), Caetano Veloso (“Circuladô vivo”), Gal Costa (“Como o diabo gosta”), Leo Gandelman (“Leo Gandelman”, “Ocidente”, “Solar”, “Visões” e “Made in Rio”), Ed Motta (“Manual prático remix”), Jorge Vercilo (“Em tudo que é belo”, “Encontro das águas” e “Elo”), Lobão (“O rock errou”), Fábio Jr. (“Obrigado” e “Ao vivo”), Belo (“Desafio”, “Ao vivo” e “Valeu esperar”), Fat Family (“Fat Family” e “Fat festa”), Natiruts (“Povo brasileiro”), Fernanda Abreu (“Entidade urbana”), Nara Leão (“Romance popular”), Tianastácia (“Criança louca”), Casseta & Planeta (“Preto com buraco no meio”), Ritchie, Simone, Ney Matogrosso, Sandy & Júnior, Isabela Taviani, Marcela Biasi, Rosana, Fanzine, Ebony Vox, Edmon, Claudio Nucci, Dudu Trintin, Ricardo Leão, Marcos Sabino, Dalto, Arthur Maia, Alfredo Dias Gomes, Roberto Leal e Toquinho.

Em 2004, lançou o CD “Diário”, contendo suas composições “Maio”, “Blue bossa”, Paula”, “A missão”, “Alta freqüência”, “Mariana”, “A carta”, “Navio”, “Onde o amor nos levar” e “Dias de sol”, além da faixa-título.

Mais visitados
da semana

1 Pixinguinha
2 Eumir Deodato
3 Luiz Gonzaga
4 Raul Seixas
5 Garoto
6 Elza Soares
7 Nelson Gonçalves
8 Assis Valente
9 Dorival Caymmi
10 Caetano Veloso