Busca:

Solano Ribeiro



Dados Artísticos

Foi o idealizador e realizador dos grandes festivais de música popular brasileira realizados na TV Excelsior, TV Record, TV Globo e TV Tupi, nos quais foram lançados Edu Lobo, Francis Hime, Maria Odete, Chico Buarque, Nara Leão, Geraldo Vandré, Jair Rodrigues, Martinho da Vila, Maria Creuza, Antonio Carlos (da dupla Antonio Carlos e Jocafi), Dori Caymmi, Paulinho da Viola, Originais do Samba, Marília Medalha, Caetano Veloso, Os Mutantes, Gilberto Gil, Sidney Miller, Gal Costa, Maria Alcina, Ednardo, Tom Zé, Raul Seixas, Sérgio Sampaio, Alceu Valença, Fagner, Belchior, Walter Franco, Kleiton e Kledir, Itamar Assumpção, Oswaldo Montenegro, Leila Pinheira e Tetê Espíndola, entre outros artistas.

Teve como colaboradores Roberto Talma, rogério Duprat, Décio Pignatari, Júlio Medaglia, Sérgio Cabral, Sílvio Lancelotti, ´Chico Anísio, César Camargo Mariano, Carlos Manga, Amilton e Amilson Godoy, Augusto de Campos, Haroldo de Campos, Damiano Cozzella e Walter Clark.

Como diretor de musicais para televisão, foi responsável por "Disparada", com Geraldo Vandré, "Som Livre Exportação" (Rede Globo) e "A César" (em co-produção com a TV Manchete), este último contemplado com o prêmio Tucano de Ouro do Fest Rio, na categoria Melhor Musical, concorrendo com produções de todo o mundo.

Dirigiu vários documentários para a TV Alemã e foi premiado no Festival Europeu da Televisão (Áustria) com o musical "Novos Baianos F.C.).

De volta ao Brasil, assumiu o cargo de diretor de programação da Rede Tupi de Televisão, de onde saiu para fundar a Rede Antena 1 de Rádio.

Na área publicitária, dirigiu vários comerciais e conquistou dezenas de prêmios, como o Grand Prix, pelo comercial de lançamento do Tempra para a Fiat, e a Medalha de Ouro do Festival de Nova York, pelo filme "Mosquito", para a Rádio Antena 1.

Como produtor fonográfico independente lançou "Olho D'Água" (Marlui Miranda e Egberto Gismonti), "O Melhor do Millor" (Millor Fernandes, Fernanda Montenegro, Fernando Torres, Miele e Ruy Afonso). Pela gravadora Eldorado, produziu, em 1997, o CD "Artigo de Luxo" (Pat Escobar).

Em 2000, participou da realização do "Festival da Música Brasileira" (Rede Globo).

Publicou, em 2003, o livro "Prepare seu coração - A história dos grandes festivais" (Geração de Comunicação Integrada), que traz encartado um CD com alguns dos grandes momentos dos festivais.

Em 2005, produziu o "I Festival Cultura - A Nova Música do Brasil" (TV Cultura).   Bibliografia crítica:   ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.     AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.   COSTA, Cecília. Ricardo Cravo Albin: Uma vida em imagem e som. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2018.

Mais visitados
da semana

1 Tiee
2 Pixinguinha
3 Luiz Gonzaga
4 Eumir Deodato
5 Raul Seixas
6 Nelson Gonçalves
7 Garoto
8 Elza Soares
9 Dorival Caymmi
10 Caetano Veloso