Busca:

Sérgio Vid

Sergio de Aquino Vidal Gomes
25/8/1953 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Na década de 1970 começou a carreira artística quando participou de uma banda (sem nome) ao lado dos amigos da faculdade como Paulo Paranoia. Ao final desta mesma década ingressou como vocalista da banda Legião Estrangeira, do guitarrista Celso Blues Boy, também integrada por Luís Cláudio (baixo) e Minhoca (bateria). A banda fez a estreia em show no Teatro da Praia, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Em 1981passou a integrar, como vocalista principal, o grupo carioca de rock Sangue da Cidade, ao lado de Di Castro (guitarra), Ronaldo Jones (baixo), "PH" Paulo Henrique (teclados) e Negão Vico (bateria). O Grupo apresentou-se na casa noturna Western Club, uma das principais casas do Rio de Janeiro nos anos 80, e ainda em programas de TV da época, tais como "Globo de Ouro", "Cometa Loucura", "Geração 80", entre outros, e em casa noturnas como Circo Voador, Teatro Ipanema e Morro da Urca. No ano seguinte, em 1982, integrando o Sangue da Cidade, lançou o compacto simples com as faixas "Brilhar a minha estrela" e, no lado B, de sua autoria a composição "Feito louco". O grupo fez sucesso com "Brilhar a minha estrela", composição do guitarrista Di Castro, mais conhecida como "Dá mais um", que passou a ser executada em várias emissoras, entre as quais a Rádio Fluminense FM, no programa "Ronca Ronca", de Maurício Valladares. A composição despertou o interesse da gravadora Warner, que convidou a banda para participar do LP "Rock voador", disco responsável pelo lançamento de vários artistas do rock na década de 1980. Neste mesmo ano de 1982 a gravadora Warner lançou o compacto do grupo contendo a música "Brilhar a minha estrela". Por essa época a banda era integrada por Dicastro (guitarra), Ronaldo Jones (baixo), Vid (vocal), PH (teclados) Peninha (bateria), que depois da gravação do compacto viria a ser substituído por Rodrigo Grandão, na bateria. A mesma composição "Brilhar a minha estrela", então sucesso do grupo, foi incluída no disco "Cometa loucura", da Som Livre, LP do programa homônimo apresentado na TV Globo. No ano de 1983 desligou-se da banda Sangue da Cidade para seguir carreira solo. Neste mesmo ano passou a integrar, ao lado de Marcelo Curi-Curi e Álvaro (bateria) a banda Doce Veneno, com a qual lançou um compacto simples. No ano seguinte, em 1984, integrou, como vocalista, as bandas 6L6 e o Bixo da Seda. Por essa época, formou o grupo Vid & Sangue Azul, do qual participou o guitarrista Marcos Britto. Em 1984 a convite do baixista Paulo Henrique Duncan, passou a integrar a banda 6L6, composta também por Rodrigo de Castro Neves (baterista), Edom (guitarra) e Marcos Britto (guitarra). A banda participou de uma coletânea lançada pela gravadora Ariola, intitulada "1984". Neste mesmo ano integrou, por um breve período, o grupo gaúcho de rock Bixo da Seda, composto por Marcos Lessa, Edinho e Mimi, em show no Circo Voador, em Porto Alegre. Gravou com o Bixo da Seda duas faixas, produzidas pelo guitarrista Marcelo Sussekind, "Doce Veneno" (Marcos Lessa) e "Erosão", parceria com Marcos Lessa. O disco não chegou a ser lançado pela gravadora EMI-Odeon. Em 1986, com sua banda Vid & Sangue Azul lançou um EP com as faixas "Criança inconsequente" e "Rio de Janeura", ambas muito executadas na programação da Fluminense FM. Ainda em 1986 participou da banda de rock Arranha-Céu, também integrada por Ernesto Rios (guitarra), Júnior (baixo) e Romney (bateria). No ano de 1991, com sua banda Vid & Sangue Azul, participou do "Rock In Rio II", ao ganhar um primeiro lugar dentre quase 400 artistas no festival "Escalada Rock", promovido pela gravadora Warner. Com a banda abriu os shows de Santana, Billy Idol e INXS. O prêmio seria o lançamento de um disco pela gravadora, que não honrou o contrato na época. No ano seguinte, em 1992, lançou o LP "Vid & Sangue Azul - Vid & Sangue Azul", pelo Selo Cogumelo Records. Dois anos depois, em 1994, gravou o CD "Vid & Sangue Azul - MPB - Música Pauleira Brasileira", que não chegou a ser lançado, mas, integrado pelas faixas "Partido alto" (Chico Buarque), "Como vovó já dizia" (Raul Seixas), "Fé cega, faca amolada" (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos), "É" (Gonzaguinha), "Pra não dizer que não falei de flores" (Geraldo Vandré), "Sou uma criança, não entendo nada" (Erasmo Carlos/Ghiaroni) e "Hora do almoço" (Belchior). As faixas foram gravadas em português e inglês. Neste mesmo ano gravou o jingle da Coca-Cola para as Olimpíadas (Barcelona), permanecendo por nove meses no ar na televisão brasileira. Ainda em 1994, foi considerado como opção brasileira para substituir Bruce Dickinson no Iron Maiden. No ano de 1997 lançou o primeiro CD "A Bruxa", no qual interpretou as faixas "Sangue azul", "A gente vai levando...", "Cantor de rock", "Rio de Janeura", "Erosão" (c/ Marcos Lessa), entre outras de sua autoria. O disco contou com produção executiva  do jornalista e crítico musical Elias Nogueira e ainda com as participações especiais de Robertinho de Recife, Paul de Castro, Áurea Regina e Zé da Gaita. No ano de 1999 gravou em um dueto com o Victor Biglione (guitarra) a faixa "Hino de Duran", de Chico Buarque para o songbook de Chico Buarque, lançado pela Lumiar Discos. A faixa também contou com os músicos Renato Massa (bateria), João Baptista (baixo) e José Lourenço (teclados). No ano posterior, em 2000, foi incluído no CD "Rock In Rio 1985/1991- O Melhor dos Dois Festivais - Vol. 5" (vários -  com Vid & Sangue Azul), lançado pela gravadora EMI, no qual interpretou as faixas faixas "Fé cega, faca amolada" (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos) e "Partido alto", de Chico Buarque. O volume cinco (5) continha Iron Maiden, Queensryche, Vid & Sangue Azul, Joe Cocker e Go Go’s. Em 2001 lançou o disco "Diversões", no qual incluiu releituras de clássicos do rock internacional, contando em algumas faixas com as participações especiais de  Zélia Duncan e Barão Vermelho, além autorizações de artistas, tais como George Harrison (Beatles), Stevie Wonder, Steven Tyler (Aerosmith), Tim Rice & Andrew Lloyd Webber, Tom Johnston (Doobie Brothers), David Gates (Bread) e Paul Simon (Simon & Garfunkel), com versões para o português composta pelo próprio Sérgio Vid. No ano de 2005 gravou a faixa  "Power of Soul", com Jorge Pescara, no CD "Grooves in The Temple", Selo Voiceprint. No ano de 2007 sua interpretação para "Brilhar a minha estrela", foi incluída na trilha sonora do filme "Tropa de Elite". Dirigido por José Padilha, sendo incluída no CD "Tropa de Elite - Trilha sonora" (vários), lançado pela gravadora Som Livre. Logo no ano seguinte, em 2008, gravou a faixa "Yer Blues", em dueto com Big Gilson, no CD "White Album", lançado pelo Selo Discobertas em parceria com o Selo Coqueiro Verde. Também em 2008 foi incluído no DVD Duplo "Festa Ploc 2", ao lado de vários outros artistas, trabalho lançado pelo Selo Performance Music. No ano seguinte, em 2009, com Big Gilson. Gravou a faixa "Yer Blues", no CD "Sentenced to Living".   No ano de 2013 com Ronaldo Jones gravou no disco "Na Hora Certa"" a composição "Hey Man".  Durante a carreira participou, como convidado, de vários discos de amigos, entre os quais, do baixista Jorge Pescara, em uma faixa de autoria de Jimi Hendrix "Power of Soul", lançado no Japão.  Entre seus interpretes consta Ithamara Koorax em sua composição "Heartbelt", incluída no CD "Guanabara", lançado nos Estados Unidos pelo selo CTI. Gravou a faixa "Yer Blues", dos Beatles, com o guitarrista Big Gilson (Big Alambik), em projeto-homenagem criado pelo jornalista Marcelo Fróes. No ano de 2014 lançou o CD "Rockin' Chico", somente com composições de Chico Buarque vertidas para a língua inglesa: "If You Know Who You Are" (Partido Alto); "Women Of Athens" (Mulheres de Atenas); "Eye To Eye" (Olhos Nos Olhos); "Portrait in Black and White" (Retrato Em Branco E Preto); "Duran's Code" (Hino de Duran); "I Forgive You" (Mil Perdões); "Grail" (Cálice); "Swamp Of The Cross" (Brejo da Cruz); "May God Reward You" (Deus lhe Pague) e "Two Brother's Hill" (Morro Dois Irmãos). O disco foi lançado no Circo Voador, na Lapa, no evento "Circo Rocck", no ano de 2015, em show intitulado "Sergio Vid - Rock 'N Chico", no qual contou com as participações especias das bandas Fuzzcas, Os Vulcânicos e Blue e The Underdogs, além da banda que o acompanhou, integrada por Ricardo Marins (guitarra), Dudu Trentin (teclados), PH Castanheira (baixo) e Heitor Lima (bateria). Entre seus parceiros destaca-se o guitarrista Big Gilson na composição "Sentenced to Living".

Mais visitados
da semana

1 Pixinguinha
2 Eumir Deodato
3 Garoto
4 Luiz Gonzaga
5 Assis Valente
6 Nelson Gonçalves
7 Raul Seixas
8 Elza Soares
9 Dorival Caymmi
10 Caetano Veloso