Busca:

Sérgio Fonseca

Sérgio Fonseca
7/8/1944 Rio de Janeiro, RJ

Biografia

Letrista. Poeta. Cronista. Professor de português. No início da década de 1960, integrou o GBT (Grêmio Brasileiro de Trovadores) ao lado de Aparício Fernandes, Leila Míccolis e Otávio de Souza, entre outros. Formado em Letras pela UFRJ, professor de literatura e língua portuguesa, escreveu crônicas no jornal de Nova Iguaçu "Correio da Lavoura" e no jornal "Última Hora". Publicou em 1965 "Trovas que a vida inspirou", pela Editora Minerva. Em 1997 a TV Maxambomba, dirigida por Valter Filé, TV de rua que exibia suas produções nas praças de Nova Iguaçu, patrocinada pelo CECIP (Centro de Criação de Imagem Popular). Lançou uma série de vídeos sobre os compositores da Baixada Fluminense através do projeto "Puxando Conversa", sendo o primeiro deles gravado com Sérgio Fonseca, Evandro Lima e Jairo Bráulio no Billy Bar (bar situado na Praça Santos Dumont, centro de Nova Iguaçu e de propriedade do músico e compositor Daniel Guerra). No ano seguinte, em 1998, na gravação do vídeo, sobre o compositor e parceiro Catoni, "Um Preto Velho Chamado Catoni", pelo projeto "Puxando Conversa", participou da roda de samba ao lado de Noca da Portela, Wilson Moreira, Norival Reis, Luiz Grande, Barbeirinho do Jacarezinho, Marcos Diniz, Adelzonilton, Tuninho Galante, Paulão do Cavaquinho, Beto Cazes, Toninho Nascimento, Jairo Braúlio, Mário Carabina, Adilson Magrinho, Evandro Lima, Claudinho Inspiração, Carlito Cavalcanti, Monarco e Walter Alfaiate, na Praça Santos Dumont, no Centro de Nova Iguaçu. Em 1999, pela Editora Alarido, lançou o livro de poesias "Canto baixo". Em 2002 publicou o livro "Dois dedos de prosa e um de poesia" (Poesia e Prosa), no qual compilou algumas crônicas editadas anteriormente em diversos jornais. O livro foi lançado no Restaurante Rei dos Galetos, na Praça da Liberdade, em Nova Iguaçu. Ao lado de sua esposa, Alda Fonseca, prestou homenagem a Nelson Cavaquinho dando ao CIEP do bairro Chatuba (em Mesquita) o nome do compositor. Na ocasião do lançamento da homenagem houve show com Guilherme de Brito e Velha-Guarda da Mangueira. Em 2006 atuou como Secretário de Cultura do Município de Mesquita, e na gestão do Secretário Estadual de Cultura Noca da Portela, foi integrante do Conselho Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, presidido por Ricardo Cravo Albin. No ano seguinte, em 2007, pela AMERJ e o Centro de Memória Oral da Baixada Fluminense ministrou o curso de história "Baixada Fluminense: Cultura e Sociedade", no Auditório Vítor Nunes Leal, no prédio do Fórum de Nova Iguaçu, ao lado de outros professores-palestrantes como Ney Alberto Gonçalves de Barros, Antônio Lacerda, Ivonete Lima, Cláudio Estebam, Marcus Monteiro e João Batista Damasceno. No ano de 2012, em parceria com Luiz Anselmo, organizou e coordenou o "Ciclo de Palestras Sobre Escolas de Samba do Rio de Janeiro", no auditório do Colégio João Luiz Nascimento (FAETEC), atuando também como palestrante ao lado de outros convidados, tais como Wilson Bombeiro, Sérgio Carapreta, Gabriel Turano, Edeor de Paula, Fábio Pavão, Ricardo Barbieri e Marcelo Mello. Participou, a convite dos mediadores Prof. Doutor Otair Fernandes e Ahyas Siss, da "Roda de Conversa - Sambas e Compositores da Baixada Fluminense", integrante do "Programa de Educação Tutorial PET/ Conexões de Saberes, realizado no Campus de Nova Iguaçu da UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Na ocasião, também participaram da mesa de conversa Jairo Bráulio de Oliveira, Dondi, Paulinho Manabú, Pinga, Carlinhos Pretinho, Sérgio Carapreta, Marcos Cabeça Branca, o violonista Evandro Lima, Carlos Ângelo, Antônio Lenilson de Oliveira e Adilson Magrinho. No ano de 2013, foi um dos fomentadores e idealizadores do livro "Frutos da Terra: Sambas e Compositores Iguaçuanos", volume lançado pelo Núcleo LEAFRO (Laboratório de Estudos Afro-brasileiro e Indígenas), da UFRRJ, trabalho este considerado um dos desdobramentos da ação implantada pelo projeto "Trem da Harmonia Destino Baixada", com depoimentos de compositores, baianas e passistas, além de debates e palestras com jornalistas ligados ao samba e à cultura afro-brasileira. No ano seguinte, em 2014, lançou o livro "Frente & verso", de poemas, crônicas, letras, prosa e trovas, em talk-show no teatro do SESC Nova Iguaçu, no qual declamou poemas e contou causos editados no livro, além de contar com a presença do parceiro Vidal Assis, cantor e compositor que interpretou diversas parcerias de ambos. Na ocasião foi lançado o livro "Cinema no Brasil - Impressões", do crítico e escritor Eleazar Diniz, que também proferiu palestra sobre o tema. Entre os anos de 2002 e 2018 manteve ativo o Cineclube Videoverso (com sessões duas vezes por mês), no Auditório da Escola Brito Elias, na cidade de Mesquita, município da Baixada Fluminense, com debates e palestras após as sessões.

Mais visitados
da semana

1 Hermeto Pascoal
2 Dorival Caymmi
3 Caetano Veloso
4 Tom Jobim
5 Irmãs Galvão
6 Luiz Gonzaga
7 Festivais de Música Popular
8 Beth Carvalho
9 Chitãozinho e Xororó
10 Nelson Cavaquinho