Busca:

Rubem Confete

Rubem dos Santos
7/12/1936 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

No ano de 1961, atuou como passista da Escola de Samba Mangueira. Dois anos depois, foi passista da Escola de Samba Salgueiro.
Entrou para a Ala dos Compositores do Império da Tijuca, em 1967.
Em 1970, integrou a Ala dos Compositores da Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense.
Nos anos de 1972 e 1973, foi o autor do enredo vencedor do carnaval, com o samba "Uma certa negra fulô" para a Escola Paulista Camisa Verde e Branco.
Entre 1972 e 1974, trabalhou na Rádio Continental. Fundou, em 1973, o grupo de capoeira "Filhos de Angola". Dois anos depois, em 1975, ao lado de Wilson Moreira, Candeia e Nei Lopes, fundou o Grêmio Recreativo de Artes Negras e Escola de Samba Quilombo, na qual atuava como compositor e mestre-sala.
Entre 1975 e 1977, trabalhou na Rádio Roquete Pinto como comentarista e produtor do programa "A Hora e A Vez do Samba".
No ano de 1976, fundou o IPCN (Instituto de Pesquisa de Cultura Negra).
Entre 1975 e 1992, escreveu para vários jornais e revistas, entre eles Pasquim, Jornal Lampião, Revista Nacional, Revista Panorama, Jornal Tribuna da Imprensa, Revista Unidos da Tijuca. Trabalhou, também, na Rádio Nacional como locutor e comentarista a partir de 1980.
Em televisão, trabalhou na TV Excelsior em 1964, como ator e figurante.
Entre 1981 e 1982, participou, ao lado de José Ramos Tinhorão e Fernando Pamplona, do "Programa Mesa Redonda", que tinha como tema a Música Popular Brasileira.
De 1988 a 1990, fez os comentários para os desfiles de carnaval transmitidos pela Rede Globo.
Em 1992, foi integrante do Júri Paralelo de Carnaval na Rede Manchete.
Conferencista, ministrou várias palestras em diversos lugares como PUC, Faculdades Cândido Mendes, Hélio Alonso, Museu Nacional de Belas Artes, UERJ e Secretaria Municipal de Cultura.
Em cinema, produziu roteiros para três filmes de Carlos Alberto Tourinho: "Partido Alto", "Partideiros" e "Escola de Samba S/A".
Criou enredos para os Blocos Carnavalescos Boi da Freguesia e Coração de Éden.
Em 1991, foi enredo do Bloco Carnavalesco Grêmio da Curtição, cujo título foi "Pierrô e Serpentina, o Guerreiro do Samba".
Tem diversas músicas gravadas: "Pagode do Exorcista", por Nei Lopes e Wilson Simonal, "Xangô é de Baê", interpretada por João Donato e Caetano Veloso, "Poeira pura", cantada por Roberto Ribeiro e que deu título ao disco do cantor, "Terreirão grande", gravada por Nadinho da Ilha, João de Aquino e ele próprio, "Gosto amargo da vida",  interpretada por Paulo Ramos e "Combinado assim", gravada por Joel Teixeira.
Em 2003, manteve o  programa "Rio de toda gente" na Rádio Nacional AM, do Rio de Janeiro e lançou o CD "Sou raça", no qual interpretou diversas composições de sua autoria, entre elas "Cabrocha, criação do poeta" e "Manga", composição em homenagem à Escola de Samba Mangueira.
No ano de 2004, atuou na Rádio Nacional, no programa "Dorina.Samba", no qual tecia comentários sobre os convidados, rítmos e agenda do samba.

Mais visitados
da semana

1 Noel Rosa
2 Luiz Gonzaga
3 Marcos Leite
4 Chico Buarque
5 Caetano Veloso
6 Tom Jobim
7 Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)
8 Nelson Cavaquinho
9 Tim Bernardes
10 Sivuca