Busca:

Rosa Emília

Rosa Emília Machado Dias
21/2/1965 Salvador, BA

Dados Artísticos

Sua primeira experiência com gravações foi no estúdio da WR, firma de jingle de Wesley Ragel. Em 1984 participou da peça "Joana a menina dos sinos - Spetacollo Teatrale Infantile", de Regia Ligia Diniz, no Rio de Janeiro. No ano seguinte, em 1985, participou, em Paris, do show "Celluloid", de Nélson Angelo, realizado no Teatro Forum Des Alles. Em 1986 atuou como corista do disco "Melhor de três", de Claudio Nucci. No ano posterior, em 1987, participou de shows no Circo Voador e ao lado de Cacaso e Nelson Angelo, montou um show de música e poesia apresentado na Sala Funarte Sidney Miller (RJ), sob a direção de Túlio Feliciano. Entre 1986 e 1988, com produção de Cacaso, gravou o primeiro disco, "Ultraleve", editado em 1988 pelo selo Grapho e lançado no Teatro Ipanema. Nesse disco, registrou parcerias de Cacaso com Sueli Costa ("D. Doninha"), com Jaques Morelenbaum ("Ultraleve"), com Nelson Angelo ("Na subida da ladeira" e "Maria demais") e com Novelli ("Triste Baía da Guanabara"). No LP figurou também como compositora em "Árvore mágica" (c/ Cacaso). O disco contou com a participação de músicos de renome, como Danilo Caymmi, Jaques Morelenbaum, Víttor Santos, Muri Costa, Marcos Suzano, Beto Cazes, Cristóvão Bastos e Robertinho Silva, entre outros, além da participação de Moreira da Silva no samba "Deixa o barraco rolar", parceria da cantora com Nelson Angelo e Cacaso, e ainda do cantor e compositor Sérgio Santos em "Lambada de serpente" (Djavan e Cacaso). Com este disco foi indicada para o "Prêmio Sharp da MPB" na categoria de "Melhor Intérprete de 1989". Em 1993, como corista, participou do disco "Duri i banchi", do grupo Pintura Freska, lançado pela Psycho Records. Em 1995, atuou como corista nos discos"Fast Marghera", de Marco Ponchiroli, e "Yeah", do grupo Pintura Freska. No ano seguinte, em 1996, ainda como corista, participou do CD "Anime salve", de Fabrizio di André, em Milano, na Itália. Em 1997, produzida por Nelson Motta, lançou o CD "Nega Rosa" (Lux Music/Nova York), no qual interpretou "Dançar" (c/ Cristiano Verardo e Skardy), "Chega pra cá - Resta cu'mme" (Pino Daniele - versão de Nelson Motta), "Todas as manhãs - E se domani" (Rossi - versão de Nelson Motta) e "O che non vivo" (Pino Donaggio), entre outras. Nesse mesmo ano, atuou como vocalista no CD "Gran calma", do Pintura Freska, em Milão. No ano de 1998, como corista, participou do CD "Yabas", de Kal dos Santos. Lançou, em 2004, o CD "Baiana da Guanabara", contendo as faixas "Canoa, canoa" (Nélson Angelo e Fernando Brant), "A vida leva" (Nelson Angelo), "Fazenda" (Nelson Angelo), "Ilha' (Nélson Angelo e Cacaso), "Dora de novo" (Nelson Angelo), "Na subida da ladeira" (Nélson Angelo e Cacaso), "Carioca da gema" (Nélson Angelo e Cacaso), "Ave de arribação" (Nélson Angelo e Cacaso), "Cresça e apareça" (Nélson Angelo e Cacaso), "Maria é demais" (Nélson Angelo e Cacaso), "Melacolia de dezembro" (Nélson Angelo e Cacaso), "1×0' (Pixinguinha, Benedicto Lacerda e Nélson Angelo) e "Ave" (Nélson Angelo e Cacaso). No ano de 2006 lançou o disco "Poesia do Brasil - Renato Sellani e Rosa Emilia" e o CD "Batuk - Cruzeiro do Sul - Rosa Emilia e Cristiano Verardo", ambos na Itália. Em 2009 lançou o CD "Álbum de retrato", somente com composições do poeta Cacaso e seus parceiros, que fizeram participação especial no disco, destacando-se as faixas "Triste baia da Guanabara" (Novelli e Cacaso) com Silvio D’Amico (guitarra); "Clarão" (Olívia Byington e Cacaso) com Olívia Byington (voz e guitarra); "Álbum de retrato", "Eu te amo", "Dona Doninha" e "Agradecer" (Sueli Costa e Cacaso) com  Sueli Costa (piano), Zé Carlos Batista (violão e viola) e Leo di Angilla (percussões); "Perfume de cebola" (Filó Machado e Cacaso) com Filó Machado (violão e voz); "Cavalo marinho" (Nando Carneiro e Cacaso) com Nando Carneiro (violões); "Dito e feito" (Nelson Ângelo e Cacaso), "Deixa o barraco rolar" (Rosa Emilia Dias, Nelson Ângelo e Cacaso) com Nelson Ângelo (violões e voz); "Fazendeiro do mar" (Sérgio Santos e Cacaso) com Sérgio Santos (violão e voz); "Beira-rio" (Joyce e Cacaso) com Joyce (violão e voz) e "Lua de vintém" (Zé Renato e Cacaso) com Zé Renato (violão e voz). O disco entrou na lista dos "10 melhores CDs do Brasil em 2010".   Sobre o disco escreveu o crítico Luís Fernando Vianna no jornal Folha de São Paulo:   "Dedicado à obra de Cacaso o último projeto artístico de Rosa Emilia, o CD 'Álbum de retratos - Cacaso parceiros e canções', além de ser um disco só com letras do ótimo poeta e compositor Cacaso (1944-1987), Álbum de Retratos tem outros dois méritos: a intimidade da cantora com a obra - Rosa Emília foi casada com Cacaso - e a opção por instrumentações simples, praticamente só piano ou violão, tocados pelos autores das melodias (Sueli Costa, Joyce, Nelson Ângelo, Zé Renato e outros). O resultado é intimista e delicado, apropriado a versos bonitos como os de 'Eu te Amo', 'Beira Rio' e os da faixa-título. Com raras exceções, como 'Clarão' (com Olívia Byington), as músicas não estão entre as mais conhecidas de Cacaso, permitindo que se desfrute um pouco mais do talento do poeta". No ano de 2013 lançou, na Itália, o CD "Fundamental - Rosa Emilia Dias & Giovanni Buoro", acompanhada pelo guitarrista Gioanni Buoro, com as faixas "O que será" (Chico Buarque), "Sampa" (Caetano Veloso), "Corcovado" (Tom Jobim), "Retrato em branco e preto" (Tom Jobim e Chico Buarque), "Dindi" (Tom Jobim e Aloysio de Oliveira), "Doralice" (Dorival Caymmi), "Trilhos urbanos" (Caetano Veloso), "Vivo sonhando" (Tom Jobim), "Desde que o samba é samba" (Caetano Veloso), "Só tinha de ser com você" (Tom Jobim e Aloysio de Oliveira), "Estate" (Bruno Martino) e "Este teu olhar" (Tom Jobim). A dupla fez vários lançamentos do disco, destacando-se os do Teatro di Paglia, em Villa Guidini e no Fossamala, em Pordenone, ambos na Itália, onde a cantora reside. Neste mesmo ano de 2013 apresentou-se com os músicos Silvio D’Amico e Tommaso Cappellato no programa de TV "Piazza Trentin", e com os mesmos músicos no Espaço Cappellato, em Bluemoon Lido (Veneza). Neste mesmo ano, de volta ao Brasil, apresentou o espetáculo "Cacaso - Amigos e parceiros", leitura de versos e show na Biblioteca Pública do Estado da Bahia, em Salvador. No ano de 2018, na Itália, lançou o CD "Madrigal" (Selo GI-RO), no qual gravou a inédita "Verde", parceira como poeta Cacaso, que havia lhe dedicado o poema em seu aniversário de 18 anos, ainda em Salvador. Também regravou "Cigarra" (Elza Soares e Letícia Sabatella), "Árvore mágica" (c/ Cacaso), de seu primeiro LP, e "Tristorosa", melodia de Villa- Lobos letrada por Cacaso. No disco interpretou as inéditas "Eclipse" (Denise França Reis, Lúcia Santori e Carneiro), "Infância", "Filhotes", "Andar direito", "Minha vez que chega", "Mantra da praia", "Queria ser", "Dengo e cafuné", "Sonhando mundo", "Le tue mane vicino a me", e a faixa-título "Madrigal", parcerias da dupla Giovanni Buoro e Rosa Emília.

Mais visitados
da semana

1 Chico Buarque
2 João Gilberto
3 Geraldo Pereira
4 Tom Jobim
5 Pixinguinha
6 Chitãozinho e Xororó
7 Caetano Veloso
8 Noel Rosa
9 Música Sertaneja
10 Gonzaguinha