Busca:

Roberto Serrão

Carlos Roberto Serrão Guimarães
20/1/1949 Belém do Pará, PA

Dados Artísticos

  Começou como músico da Banda de Música do Instituto Profissional Getúlio Vargas, na qual tocava "requinta" uma espécie de pequeno clarinete. No início da década de 1970 participou da fundação de vários blocos carnavalescos e escolas de samba, integrando, por essa época, o grupo a Turma da Tramela. Frequentou desde a fundação as rodas de samba do Bloco Cacique de Ramos, nas quais conviveu com Zeca Pagodinho, Luiz Carlos da Vila Almir Guineto, Arlindo Cruz, Bira Presidente, entre outros. Em 1985 sua composição ''Do jeito que tocar, eu danço" (c/ Guilherme Nascimento) foi gravada por Alcione no LP "Fogo da vida", pela RCA. No ano seguinte, Leci Brandão interpretou a música "Sonho do trabalhador" (c/ Guilherme Nascimento). No ano de 1987 o grupo Fundo de Quintal gravou ''Andei, andei" (c/ Bira Presidente e Noca da Portela) no disco "Do fundo do nosso quintal". Leci Brandão, no disco "Dignidade", pela Copacabana, gravou "Gratidão" (c/ Noca da Portela), e Reinaldo, no LP "Aquela imagem", interpretou "Nos pagodes da vida" (c/ Guilherme Nascimento). No ano seguinte, Elza Soares no disco "Voltei", interpretou "Amor sublime" (c/ Noca da Portela e Sereno), a cantora Eliane Machado gravou ''Não quero morrer de amor'' (c/ Noca da Portela) e Martinho da Vila incluiu ''Mistura da raça" (c/ Noca da Portela) em seu CD "Festa da raça", pela gravadora CBS. No ano de 1989 interpretou o samba-enredo "Leila Diniz, amor é liberdade" (c/ Noca da Portela, Sereno, Roberto Medronho e Riko Dorilêu), para o disco "Bloco Carnavalesco Simpatia É Quase Amor - 5 anos de samba em Ipanema". Em 1990, com Noca da Portela, lançou o CD "Brasilidade", no qual foram incluídas de sua autoria "Nos pagodes da vida" (c/ Guilherme Nascimento) e "Fuga" (c/ Guilherme Nascimento, Paulo César e Valtinho da Tramela). Neste mesmo disco o compositor participou ao lado de Noca da Portela, interpretando "Virada" (Noca da Portela e Gilpert), "É preciso muito amor" (Noca da Portela e Tião da Miracema) e  "Caciqueando", de Noca da Portela. O disco contou ainda com a participação especial de Mestre Marçal e de Mussum. Por essa época, o grupo Mistério da Cor interpretou "O iaiá" (c/ Noca da Portela e Sereno). Em 1996, gravou juntamente com Noca da Portela o CD "Manda me chamar" lançado pela gravadora Leblon Records. No ano seguinte, ao lado de Heitorzinho dos Prazeres, Carlinhos do Pandeiro, João da Valsa, Zezinho do Surdo, Josimar Monteiro, Samuca da Mangueira, Valdir do Cavaco e Mestre Zé Paulo, integrou o grupo Velha Guarda do Samba (homenagem ao grupo homônimo criado na década de 1930 por Paulo da Portela, Heitor dos Prazeres e Cartola). Com esse grupo, apresentou neste mesmo ano um único show no Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro (com apoio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro). Ainda fazendo parte da Velha Guarda do Samba, participou do "Brazilian Music Festival", na abertura do Summerstage, no Central Park, em Nova York com sucesso de público e crítica (página inteira do Jornal The New York Times, Jornal O Globo, The Brazilian Monthly Newpaper, entre outros). Em 2003, ao lado de Noca da Portela, Darcy da Mangueira e Niltinho Tristeza, foi um dos convidados de Leandro Fregonesi no Bar e Café Cultural Sacrilégio, na Lapa, centro boêmio do Rio de Janeiro. Em 2004 participou do CD "Samba, saúde & Simpatia", de Noca da Portela e Roberto Medronho. No disco interpretou "Deixa falar" (c/ Noca da Portela, Janjão, Roberto Medronho e Carlinhos Doutor) e "Dois pra lá, dois pra cá" (c/ Noca da Portela, Leandro Fregonesi, Roberto Medronho e Carlinhos Doutor). No CD foram incluídas várias composições de sua autoria: "Saideira triunfal" (c/ Noca da Portela e Roberto Medronho) interpretada por Eliane Faria, "O samba está sorrindo" (c/ Noca da Portela, Roberto Medronho, Janjão e Carlinhos Doutor), cantada por Luiz Carlos da Vila, "De bar em bar" (c/ Noca da Portela, Roberto Medronho e Mário Lago Filho) interpretada pela dupla Roberto Medronho e Noca da Portela, "De braços dados com a floia" (c/ Riko Doriléo e Roberto Medronho), cantada por Riko Dorilêo, "Sou Simpatia" (c/ Noca da Portela, Mestre Penha, Roberto Medronho e Carlinhos Doutor), cantada por Noca da Portela, e, "Leila, amor e liberdade" (c/ Noca da Portela, Roberto Medronho, Sereno e Riko Dorilêo) interpretada por Riko Dorilêo. Foi um dos convidados de Monarco no projeto "Puxando Conversa", participando da roda de samba ao lado de Xangô da Mangueira e Délcio Carvalho, entre outros. Em dezembro de 2004 apresentou no Bar Dama da Noite o "Projeto Cara da Gente", no qual recebeu como convidados Toninho Gerais, Ircéa Pagodinho e Wanderley Monteiro. Em 2005, ao lado de de outros convidados como Walter Alfaiate, Noca da Portela, Luiz Carlos da Vila, Rico Doriléu, Darcy da Mangueira e Toninho Gerais, foi um dos convidados de Chico Salles no "Projeto sambando no forró", apresentado no Espaço Armazém Enseada, no Rio de Janeiro. Ainda em 2005 recebeu como convidados Noca da Portela, Leandro Fregonesi, Adalto magalha, Eliane Faria, Jorginho China e  Paulinho Mocidade em shows no Bar Dama da Noite, na Lapa, centro boêmio do Rio de Janeiro.  No ano de 2006 fez show de lançamento do CD "Cara da gente", no Teatro Rival BR, no Rio de Janeiro, espetáculo no qual recebeu diversos convidados. No disco, com produção musical de Josimar Monteiro e Alceu Maia, incluiu várias composições inéditas de sua autoria em parceria com Wlater Rosa, Noca da Portela, Darcy da Mangueira, Guilherme Nascimento e Chico Salles. Em 2010 deu prosseguimento à roda de samba "Terapia popular" no bar e restaurante Severyna, em Laranjeiras, na qual recebia diversos convidados, entre os quais Toninho Gerais, Alex Ribeiro, Eliane Faria e Euclides Amaral. Neste mesmo ano a cantora Tania Malheiros lançou o CD "Deixa eu me benzer", na Sala Municipal Baden Powell, no Rio de Janeiro, disco no qual incluiu de sua autoria a faixa-título "Deixa eu me benzer" (c/ Henrique Damião e Alexandre Pereira) e ainda as composições "Afluente do Meu Ser" (c/ Guilherme Nascimento) e "Você me fez sorrir" (c/ Noca da Portela). Em 2011 ao lado de Dorina, Ernesto Píres, Nelson Sargento, Bira da Vila, Carlos Dafé, Gabrielzinho do Irajá, Renatinho Partideiro, Maria Angélica, Toninho Gerais, entre outros, participou do show "Tributo a Luiz Carlos da Vila", no Largo do Bicão, na Vila da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro. No ano de 2012 passou a apresentar sua roda de samba "Terapia Popular" no Centro Cultural Memórias do Rio, na Lapa, Centro do Rio de Janeiro. Na ocasião do primeiro evento, neste novo local, recebeu como convidados a pintora Da Penha; os poetas Paulo George e Euclides Amaral, os cantores Mariano Maia, Amanda Amado, Regina Mazza, Nelsinho Pereira, Darcy Maravilha e Aninha Portal. Neste mesmo ano lançou o CD "Terapia popular", no qual contou com participações especias de Rildo Hora na faixa "Mariana, meu bem" (Roberto Serrão); Jane Duboc em "Esse verde tem dono" (c/ Guilherme Nascimento); Jorge Aragão em "Berço do sonhador" (c/ Guilherme Nascimento); Nilze Carvalho e Dirceu Leite em "Camarada" (c/ Guilherme Nascimento) e a harpista e cantora Cristina Braga na composição "Livre para sonhar" (c/ Jairo Barbosa). No disco também foram incluídas as músicas "Toque de amor" (c/ Guilherme Nascimento), "Pote de ilusão" (c/ Nelson Rufino), "Tempo voa" (Roberto Serrão), "Jeitosinho" (c/ Edmundo Souto), "Tributo a Lima Barreto" (Roberto Serrão), "Cadê Jandira" (c/ Toninho Nascimento), "Candongueiro quilombola" (Roberto Serrão), "Nunca é tarde" (c/ Noca da Portela), "Valeu Zé Kétti" (c/ Guilherme Nascimento e Flávio Oliveira), além da faixa-título "Terapia Popular", parceria com Guilherme Nascimento, que se tornou uma de suas composições mais conhecidas e executadas em muitas rodas de samba do país.   Sobre o CD escreveu (trecho) na apresentação o jornalista Jorge Roberto Martins:   "Angústias, devaneios, conflitos, redescobertas, aconselhamentos? Nada disso. Terapia Popular é o segundo disco-solo de Roberto Serrão, cujo repertório remete o ouvinte às concorridas rodas de samba que ele organiza há alguns anos  por bares da cidade. Nele, sonho, ilusão e realidade amorosa 'pintam e 'bordam' com o coração de Roberto Serrão. Também as homenagens, justíssimas, são um viéis de delicadeza e reconhecimento a quem admira e louva".   Entre seus vários intérpretes destacam-se Martinho da Vila em "Facho de luz" (c/ Nélson Rufino); Jorge Aragão em "Amigos... amantes" (c/ Guilherme Nascimento); Alcione e Nélson Rufino em "Até à próxima paixão" (c/ Nélson Rufino); Fundo de Quintal em "No calor dos salões" (c/ Guilherme Nascimento); Ana Clara em "Raro prazer" (c/ Guilherme Nascimento); Pedrinho da Flor em "Conquista" (c/ Noca da Portela e Sereno); Reinaldo em "Medo feroz" (c/ Guilherme Nascimento); Os Originais do Samba em "Fuga" (c/ Guilherme Nascimento, Valtinho da Tramela e Paulo Cesar); grupo Molejo em "Delirando de prazer" (c/ Jairo Barbosa); Neguinho da Beija-Flor em "Se você sentir saudade" (c/ Noca da Portela e Jairo Barbosa); Mariana Baltar em "Baixa a bola" (c/ Guilherme Nascimento); grupo Chora Menino em "Raio de luar" (c/ Jairo Barbosa); Grupo Improviso em "Resistência" (c/ Guilherme Nascimento) e Grupo Sampa em "Liberdade de sonhar" e "Luz do meu viver", ambas em parceria com Guilherme Nascimento. Entre seus parceiros constam Mussum, Márcio Paiva, Franco, Darcy da Mangueira e Marta Leal em "Para sempre".  

Mais visitados
da semana

1 Kátia Di Tróia
2 Gonzaguinha
3 Noel Rosa
4 Paulo Soledade
5 Creone e Barrerito
6 Caetano Veloso
7 Irmãs Galvão
8 Psirico
9 Trio Parada Dura
10 Tiee