Busca:

Roberta Sá

Roberta Varella Sá
19/12/1980 Natal, RN

Dados Artísticos

Fez show de abertura para apresentação das bandas Liquidificalouca e Paula Leal e Os Infiéis, no Planetário da Gávea (RJ). Participou, em 2002, do programa "Fama" (TV Globo). No ano seguinte, gravou "A vizinha do lado" (Dorival Caymmi) para a trilha sonora da novela "Celebridade" (Rede Globo). Nesse mesmo ano, fez show no Mistura Fina (RJ). Participou do evento "Noites no Palácio", na cidade do Porto, em Portugal, cantando ao lado do Trio Madeira Brasil. Apresentou-se também na Alemanha e em Cingapura. Lançou, em 2005, o CD "Braseiro", produzido pelo violonista e guitarrista Rodrigo Campello. No repertório, as canções "Eu sambo mesmo" (Janet de Almeida", "Pelas tabelas" (Chico Buarque), "Cicatrizes" (Miltinho e Paulo César Pinheiro), "Lavoura" (Teresa Cristina e Pedro Amorim), "Ah, se eu vou" (Lula Queiroga), "No braseiro" (Pedro Luís) e "Casa pré-fabricada" (Marcelo Camelo), entre outras. O disco contou com a participação de Ney Matogrosso (em dueto com a cantora na faixa "Lavoura"), Pedro Luís e a Parede (na faixa "Ah, se eu vou") e MPB-4 (na faixa "Cicatrizes). Nesse mesmo ano, fez show de lançamento do CD no Centro Cultural Carioca (RJ), acompanhada de Rodrigo Campello (violão e cavaquinho), André Carneiro (baixo), Elcio Cafaro (bateria) e Joviniano Silva (percussão). Em 2007, lançou o CD “Que estranho dia para se ter alegria”, contendo as faixas “Janeiros”, de sua parceria com Pedro Luis, “Fogo e gasolina” e “Samba de amor e ódio”, ambas de Pedro Luis e Carlos Rennó, “Girando na renda” (Pedro Luis), “Novo amor” (Edu Krieger), “Interessa?” (Carvalhinho), “Alô Fevereiro” (Sidney Miller), “Cansei de esperar” (Dona Ivone Lara e Délcio Carvalho), “Laranjeira” (Roque Ferreira), “Mais alguém” (Moreno Veloso e Quito Ribeiro), “Samba de um minuto” (Rodrigo Maranhão), “O pedido” (Junio Barreto) e a canção-título (Lula Queiroga). O disco contou com a participação de Lenine, Carlos Malta e Pife Muderno, Silvério Pontes e Zé da Velha, Rodrigo Campello (produção, arranjos, violão, cavaquinho, guitarras e programações), Marcos Suzano (percussão e programações), Armando Marçal (percussão), Eduardo Neves (sax e flauta), Marcelo Caldi (piano), Hamilton de Holanda (bandolim) e Lenine. O disco foi considerado pela crítica especializada um dos melhores lançamentos de 2007. Neste mesmo ano, fez shows no Canecão (RJ), Tom Jazz (SP) e Teatro Rival (RJ). Ainda em 2007, participou da gravação ao vivo do projeto “Cidade do Samba” (CD e DVD), de Zeca Pagodinho e Max Pierre, apresentado por Ricardo Cravo Albin, interpretando em dupla com Roberto Silva “Falsa baiana” (Geraldo Pereira). Em 2010, lançou, em parceria com o Trio Madeira Brasil, o CD “Quando o canto é reza”, produzido por Pedro Luís e com direção musical de Marcello Gonçalves, registrando 13 canções do compositor baiano Roque Ferreira: “Mandingo” (c/ Pedro Luís), “Zambiapungo” (c/ Zé Paulo Becker), “Água da minha sede” (c/ Dudu Nobre), “Chita fina”, “Cocada”, “Orixá de frente”, “Água doce”, “Menino”, “Tô fora”, “Xirê”, “Marejada”, “A mão do amor” e “Festejo”. Ao lado do Trio Madeira Brasil, em 2011 apresentou, no espaço Vivo Rio, o show “Quando o canto é reza”, com o repertório do CD homônimo. Nesse mesmo ano, foi contemplada com o Prêmio da Música Popular Brasileira, nas categorias Melhor Cantora/MPB e Melhor Álbum/MPB, pelo CD “Quando o canto é reza”, lançado em parceria com o Trio Madeira Brasil. Lançou, em 2012, o CD “Segunda pele”, contendo as faixas “Lua” (Mário Sève e Pedro Luis), “Bem a sós” (Rubinho Jacobina), “O nego e eu” (João Cavalcanti), “Altos e baixos” (Lula Queiroga e Yuri Queiroga), “Você não poderia surgir agora” (Dudu Falcão), “Esquirlas” (Jorge Drexler), “Pavilhão de espelhos” (Lula Queiroga), “Deixa sangrar” (Caetano Veloso), “A brincadeira” (Moreno Veloso, Quito Ribeiro e Domenico Lancellotti) e a canção-título (Carlos Rennó e Gustavo Ruiz), além de “No bolso”, de sua parceria com Pedro Luis. O disco, produzido por Rodrigo Campello, contou com a participação do grupo A Parede (na faixa “Lua”), Jorge Drexler (na faixa “Esquirlas”) e ainda de Ballaké Sissoko e Vincent Segal (na faixa “Pavilhão de espelhos”). Estreou turnê de lançamento do CD no Teatro Castro Alves, em Salvador, seguindo por outras cidades brasileiras, como Rio de Janeiro, onde se apresentou na Fundição Progresso. Participou da série “Cantoras do Brasil”, realizada pelo Canal Brasil, na qual homenageou Carmem Miranda.  Gravou nos CDs “La música no se toca” (Universal Music,2012) do cantor e compositor espanhol Alejandro Sanz, na faixa “Bailo con vos” (Alejandro Sanz); “Amazônia – na trilha da floresta” (Adnet Mvsica, 2012) de Mario Adnet, na faixa “Canoa canoa” (Nelson Ângelo e Fernando Brant); “40 Anos Depois” (MP, B/ Universal Music, 2012) de João Bosco, na faixa “De frente pro crime” (João Bosco e Aldir Blanc); “PuraBossaNova” (Som Livre, 2013) do titã Sergio Britto, na faixa “Maria (L’autre chienne)” (Sergio Britto). Ao lado de Gilberto Gil gravou a música “Minha princesa cordel”, tema da novela “Cordel Encantado”, exibida pela Rede Globo em 2013. Em 2013, foi indicada ao Prêmio da Música Brasileira, na categoria Melhor Cantora MPB, pelo CD “Segunda pele”. Ao lado de sua banda, liderada pelo guitarrista, produtor e arranjador Rodrigo Campello, apresentou, no espaço Miranda (RJ), nesse mesmo ano, o “Baile da Rosa”, interpretando samba-funk, frevo, marchinhas e batuques. Dividiu com Pepeu Gomes e Moraes Moreira o Palco Sunset do festival “Rock in Rio”, no Rio de Janeiro. Viajou pela Brasil na turnê em tributo a Tom Jobim, promovida pelo empresário José Maurício Machiline como desdobramento do “24º Prêmio da Música Brasileira”. Participou do CD “A vida tem sempre razão” (Sony Music, 2013), em homenagem a Vinicius de Moraes, no qual dividiu com Joyce Moreno os vocais em “A felicidade”. Em 2014 apresentou o show “Nívea viva o samba”, ao lado de Martinha da Vila, Alcione e Diogo Nogueira. Com direção de Monique Gardenberg e direção musical de Alceu Maia, o show foi apresentado em seis capitais brasileiras e teve sua pré-estreia realizada na casa Vivo Rio, no Rio de Janeiro para convidados. Participou do DVD “Sambabook – Zeca Pagodinho”, para o qual gravou “Mutirão de amor”, parceria de Zeca com Jorge Aragão e Sombrinha. Em 2015 lançou, pelo selo MP,B Discos, o CD/ LP “Delírio”, produzido por Rodrigo Campello, com participação de Chico Buarque em “Se for pra mentir” (Cezar Mendes e Arnaldo Antunes), Martinho da Vila em “Amanhã é sábado” (Martinho da Vila), António Zambujo em “Covardia” (Ataulfo Alves e Mário Lago) e Xande de Pilares em “Boca a boca” (Roberta Sá e Xande de Pilares). Apresentou, na casa Vivo Rio, o show de lançamento do CD “Delírio”, acompanhada pelos músicos Rodrigo Campello (violão de sete cordas), Alberto Continentino (baixo), Luis Barcelos (bandolim e cavaquinho) e Paulino Dias (percussão). Em 2016 apresentou no palco do Circo Voador o show “Delírio”, que teve transmissão ao vivo para o canal Bis e contou com as participações de Marinho da Vila e Moreno Veloso. O show também foi gravado e lançado em DVD. Participou da Cerimônia de Encerramento das Olimpíadas 2016, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, vestida da Carmen Miranda para interpretar “Tico-tico no fubá” (Zequinha de Abreu), na despedida dos atletas que participaram dos jogos. Em 2017 foi contemplada pelo “28º Prêmio da Música Brasileira” com o prêmio de “Melhor Cantora de Samba” pelo disco “Delírio no Circo”. Apresentou-se no festival “Rock in Rio”, no Rio de Janeiro, como uma das atrações do show “Salve o Samba”, realizado no Palco Sunset. Em 2018 apresentou, ao lado do multi-instrumentista Yuri Queiroga, o show “Roberta Sá canta Lupicínio Rodrigues”, dentro do projeto “Samba imenso” do SESC São Paulo, realizando duas apresentações inéditas no SESC Pompeia.  Em 2019 lançou o CD “Giro”, produzido por Bem Gil, e repertório composto por 11 músicas inéditas do baiano Gilberto Gil, que tocou violão em todas as faixas do disco, dentre as quais, as parcerias “Cantando as horas” (Gilberto Gil e Roberta Sá), “Fogo de palha” (Gilberto Gil e Roberta Sá), “Outra coisa” (Gilberto Gil, Roberta Sá e Yuri Queiroga) e “Xote da modernidade” (Gilberto Gil, Bem Gil e Roberta Sá). Apresentou-se ao lado de Gilberto Gil no palco do programa “Fantástico”, da Rede Globo, para divulgar o lançamento do CD “Giro”. <!--EndFragment--> <!-- /* Font Definitions */ @font-face {font-family:Times; panose-1:0 0 5 0 0 0 0 2 0 0; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:auto; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:-536870145 1342185562 0 0 415 0;} @font-face {font-family:"MS 明朝"; mso-font-charset:128; mso-generic-font-family:auto; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:-536870145 1791491579 134217746 0 131231 0;} @font-face {font-family:"Cambria Math"; panose-1:2 4 5 3 5 4 6 3 2 4; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:auto; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:-536870145 1107305727 0 0 415 0;} @font-face {font-family:Cambria; panose-1:2 4 5 3 5 4 6 3 2 4; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:auto; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:-536870145 1073743103 0 0 415 0;} /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-unhide:no; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"MS 明朝";} .MsoChpDefault {mso-style-type:export-only; mso-default-props:yes; font-size:10.0pt; mso-ansi-font-size:10.0pt; mso-bidi-font-size:10.0pt; font-family:Cambria; mso-ascii-font-family:Cambria; mso-fareast-font-family:"MS 明朝"; mso-hansi-font-family:Cambria;} @page WordSection1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:36.0pt; mso-footer-margin:36.0pt; mso-paper-source:0;} div.WordSection1 {page:WordSection1;} -->

Mais visitados
da semana

1 Vinicius de Moraes
2 Tiee
3 Durval e Davi
4 Festivais de Música Popular
5 Mayck e Lyan
6 Creone e Barrerito
7 Luiz Gonzaga
8 As Marcianas
9 Teresa Cristina
10 Noel Rosa