Busca:

Raul Ellwanger

Raul Moura Ellwanger
17/11/1947 Porto Alegre, RS

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira artística em 1966, apresentando-se no circuito universitário de Porto Alegre.

Em 1967 e 1968, participou da Frente Gaúcha da Musica Popular Brasileira. Foi finalista do Festival Universitário de Porto Alegre com sua canção "Sim ou não" e do festival O Brasil Canta no Rio com sua composição "O Gaúcho", essa última classificada em segundo lugar no Festival Sul-Brasileiro da Canção Popular de 1967, ambas incluídas em discos que registraram os eventos.

De 1970 a 1977, viveu no Chile e Argentina, em função de exílio político, trabalhando como recenseador, professor de violão e apresentando-se no circuito universitário e em espaços como Peña de los Parra, em Santiago (Chile), Circuito Universitário de La Plata (Argentina), Centro Cultural San Martin e El Papagayo, em Buenos Aires (Argentina).

Em 1979, retornou para o Brasil. Nesse mesmo ano, lançou seu primeiro LP, "Teimoso e vivo", que registrou a participação de Wagner Tiso, Zé Gomes e Jeronimo Jardim.

No ano seguinte,  adaptou e relançou o disco com o título de "Raul Ellwanger", contando com a participação de Elis Regina, Nelson Ayres e Mutuca Weyrauch. Nessa época, participou da Cooperativa dos Músicos de Porto Alegre e apresentou-se no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Uruguai.

Assinou a produção musical de discos latino-americanos e regionalistas, pelos selos Bandeirantes e Rodeio, e apresentou-se no Teatro Renascença (PA), Teatro Tablas (MDEO), Estadio Atlanta (BSAS), Sala Gil.Vicente (SP).

Em 1984, gravou, em Buenos Aires, o LP "La cuca del hombre", que registrou a participação de Mercedes Sosa, León Gieco, Pablo Milanés e Domingo Cura.
No ano seguinte, lançou o LP "Gaudério", que contou com a participação de Bebeto Alves, Jota Moraes e Mercedes Sosa.

Em 1986, gravou em Montevideo  o LP "Portuñol".

Entre 1984 e 1988, apresentou-se no Uruguai, na Argentina, no Paraguai e Cuba, além de ter atuado em todo o interior do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

Organizou em Pelotas (RS) a I LatinoMúsica, trazendo convidados de 11 países, como Tania Libertad, MPA, Larbanois-Carrero e Ñamandú Trio. O evento contou com a participação de Chico Buarque.

Atuou, como convidado, nos Festivais de Cosquin (Argentina), da Democratização (Assunção, Paraguai) e Varadero (Cuba), Paraná (Argentina) ,e em espetáculos de Pablo Milanês, Belchior, Boca Livre, Toquinho, Kleiton e Kledir, Mercedes Sosa e Silvio Rodriguez.

Em 1992, lançou o CD "Luar". Nesse mesmo ano, foi contemplado com o Prêmio Selection Radio France International.

Apresentou-se, ainda na década de 1990, em vários países como França, Alemanha, Suíça, Holanda, Portugal, Uruguai e Argentina.

Participou do festival "Stop a La Destrucción du Monde", realizado no Teatro La Cigalle, em Paris (França), do Festival Sudamericano, em Utrecht (Holanda) e do Festival de La Paz, no Uruguai.

Em 2000 e 2002, apresentou-se com a Orquestra da UNISINOS no aniversário do lançamento do CD duplo "Paralelo 30", considerado o marco inicial da moderna musica popular gaúcha. contemplado com o Premio Açorianos de Música, conferido pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, na categoría Melhor Disco, em 2001. Recebeu o mesmo prêmio, em 2002, pelo CD "Gaudério".

Para o teatro, assinou as trilhas sonoras das peças "Em farrapos" e "Quarto poder", ambas de Delmar Marques.

Em televisão, compôs o tema principal e a trilha sonora original da novela "Meu pé de laranja-lima" (TV Bandeirantes), e teve músicas incluídas nas novelas "Sinhá Moça" (TV Globo) e "Um homem muito especial", "Cavalo amarelo" e "Pé-de-vento", todas da TV Bandeirantes.

Canções de sua autoria foram selecionadas como temas de programas especiais da TVE do Rio de Janeiro dedicados a Hortensia Allende e Olga Benário.

Foi homenageado pela TV Guaíba de Porto Alegre com o especial "Raul Ellwanger", dirigido por Claudinho Pereira, em 1986, e a TVE de Porto Alegre produziu seu especial "Palcos da vida", em 1988.

Participou, como convidado, do especial "Vicente Feillú", produzido por Cubavisión, além de programas como "Chacrinha" (TV Bandeirantes), "Fandango" (TVE), "Fantástico" (TV Globo), "Hebe Camargo" e "Galpão Crioulo", tendo sido convidado para o especial de fim-de-ano do "Programa  Alberto Badia" da ATC-Color (Buenos Aires, 1986).

Suas canções mais conhecidas são "Pialo de sangue", com 30 gravações em cinco países e quatro idiomas, "Cigana tirana", "Praia do Rosa", "Eu só peço a Deus", "La cuca del hombre" , "Te procuro lá" e "Meu braço de violão" (c/ Paulinho Tapajós).

Entre seus parceiros, destacam-se Dado Jaeger, Paulinho Tapajós, Jeronimo Jardim,  Pery Souza, Carlos Nejar, Ferreira Gullar, Vicente Barreto, Paulinho do Pinho.

Musicou e assinou versões para o português de poemas de Pablo Neruda,  León Gieco, Raul Porchetto, Antonio Tarrago Ros, Atilio Macunaíma Perez, Pablo Milanês, Washington Benavidez e Alfredo Zitarrosa, Nei Duclós, Nelson Coelho de Castro, Luís Mauro Vianna, Mario Quintana, Claudio Vera Cruz e Sergio Napp.

Constam da relação dos intérpretes de suas canções Elis Regina ("Pequeno exilado"), Mercedes Sosa ("Lazo de sangre"), Renato Borghetti ("Pialo de sangue"), Vicente Barreto ("Amor de papel"), Raul Porchetto ("Jacobina"), León Gieco ("La cuca del hombre), Beth Carvalho ("Eu só peço a Deus"), Antonio Tarragó Ros ("Lazo de sangre") e Paulinho Tapajós ("Meu braço de violão") e cantores do Rio Grande do Sul, como Pery Souza, Daniel Torres, Maria Helena Anversa, Adriana Deffenti, Antonyo Ricardo, Cenair Maicá, Jerônimo Jardim e Flora Almeida, além da dupla  mineira Xavantinho e Pena Branca e do baiano Vicente Barreto.

Em 2001, sua canção "Pialo de sangue" foi apontada, em votação pública promovida pela maior rede de comunicação do Rio Grande do Sul, como uma das dez melhores músicas da história do estado.

Foi contemplado com o Prêmio Selection Radio France International, em 1992, e com o Prêmio Açorianos da Prefeitura de Porto Alegre, pelo álbum duplo coletivo "Paralelo 30", em 2001, e pelo disco "Gaudério", em 2002.

Em 2004, lançou o CD "Boa-Maré", com temas compostos no curso de 35 ano de carreira, incluindo a gravação original remasterizada de "O gaúcho" (1968), com a participação de Cristóvão Bastos, León Gieco, Nelson Coelho de Castro, Cláudio Veracruz, Maria Helena Anversa e Santiago Ellwanger.

Comemorando 40 anos de carreira profissional, lançou, em 2008, o CD “Ouro e Barro”, reunindo canções de sua autoria compostas entre 1967 e 2007, com arranjos instrumentais próprios e arranjos vocais de Pablo Trindade, tendo a seu lado um quinteto formado por Luizinho Santos, Alexandre Rosa, Boquinha do Trombone no naipe de sopros , Everson Vargas no baixo e Luis Jakka na percussão. No repertório, “Bonito”, “Por te querer”, “Dorme Porto Alegre” (c/ Cláudio Veracruz), “Cantora d’Alfama”, “Passarim lindo”, “To querendo”, “Foi só por amor”, “Foi o vento do mar”, “Cantiga para não morrer (sobre poema de Ferreira Gullar), “Niemeyer”, “Nos lábios do mar” (Nelson C. De Castro), “Cambacica”, “O mapa” (sobre poema de Mário Quintana), “Tsunamis e canções”, “Maneiras” (c/ Paulinho Tapajós), “Doce amada”, “Amanhã de manhã”, “Novelo” e a faixa-título.

Em 2009, participou do Festival de Inverno de Porto Alegre.

Lançou, em 2010, o CD “Cabeça, corpo, coração”, com 14 composições inéditas de sua parceria com Nelson Coelho de Castro, Jeronimo Jardim, Bethy Krieger, Claudio Vera Cruz, Luís Mauro Vianna, Roxana Kreimer (Argentina), Washigton Benavides (Uruguai) e ainda sobre um poema de Mario Quintana, além de uma regravação de "Becos' Blue". O disco contou com a participação de Luizinho Santos e Alexandre Rosa (sax, flauta e clarinete), Ayrton Zetterman, Miguel Tejera e Claudio Vera Cruz (baixos), Cristóvão Bastos, Jota Moraes e Bethy Krieger (pianos) e ainda com a participação vocal de Monica Tomasi, Dudu Sperb e Veronica Condomí, além da participação especial de Joca Przyczynski (harmônica), Luciano Granja (guitarra), Paulinho Loew (vocal), Mimmo Ferreira (parches candomberos) e dos músicos argentinos Gabriel Rivano e Gabriel Senanes (bandoneon e sax-soprano). Nesse mesmo ano, participou do Festival Encuentro Avambae, em Posadas, Argentina, e do Festival Intercambio Porto Alegre/Buenos Aires. Também em 2010, apresentou-se no Fórum Social Mundial, com sede em São Leopoldo, e no Café Vinilo, em Buenos Aires, e realizou turnê pelo interior do Rio Grande do Sul ao lado do violonista Daniel Wolff.

Mais visitados
da semana

1 Festivais de Música Popular
2 Luiz Gonzaga
3 Assis Valente
4 Chico Buarque
5 Caetano Veloso
6 Tom Jobim
7 Hermeto Pascoal
8 Nelson Cavaquinho
9 Dorival Caymmi
10 Música Sertaneja