Busca:

Raimundo Evangelista



Dados Artísticos

Teves suas primeiras composições gravadas em 1960, os baiões "Panelada De Buchecha", com Ari Monteiro, lançado por  Borrachinha na RGE, e "Cachorro Vira-lata", com Severino Ramos, por  Osvaldo Oliveira na Chantecler.
Em  1962, o cantor Carlos Diniz gravou pela Chantecler o xote "Casamento de Roberta", com Carlos Diniz, e  Jackson do Pandeiro, no LP "É batucada! - Jackson do Pandeiro, Almira Castilho e o Ritmo Empolgante dos "Reis da Batucada" lançou o samba "O Morro Cai", com Antônio Barros. Em 1965, Wilson Simonal, em compacto duplo, gravou "Cuidado Cantor", com Ari Monteiro. No mesmo ano, foi parceiro de João do Vale no baião "Minha História" gravado pelo próprio João do Vale no LP "O poeta do povo" da gravadora Philips, composição que seria gravada no mesmo ano por Nara Leão no LP "5 na Bossa - Nara Leão, Edu Lobo e Tamba Trio", também da gravadora Philips. Em 1969, a cantora Carmélia Alves, no LP "Correndo o Norte", da gravadora Cantagalo, gravou "Xenhenhem", com João Silva.
Em 1971, Osvaldo Oliveira no LP "Amor de primeira", da CBS, registrou "Baiana Faceira", com Lindolfo Barbosa, e "Obrigado Santo Antônio", com Osvaldo Oliveira, para o LP "Pau de sebo - volume 5". No mesmo ano, o  Trio Nordestino, no LP "Ninguém pode com você", gravou "Quebrou-se mas não acabou-se", com Osvaldo Oliveira. Em 1972, Aldair Soares no LP "Todos cantam sua terra" da gravadora Som/Copacabana registrou "A Vedete do Seridó", com Airton Ramalho, e "Alvoroço No Sertão", com Aldair Soares, enquanto Zé Gonzaga em LP da Beverly lançou "Bandinha da Menina", com João Silva. No mesmo ano, Julinho do Acordeom gravou os baiões "Pilando Pilão" e "Capoeira Chegou", com Julinho do Acordeom; Jackson do Pandeiro o xote "Coração Velho", com João Silva, no LP "Sina de cigarra", do selo Entré/CBS;  Osvaldo Oliveira, o bolero "Ela É Meu Abrigo", com João Silva, e o carimbó "O Caso da Vizinha", com Flora Mattos, para o LP "Só castigo", da Entré/CBS, e Ary Lobo para o LP "Piedade senhor", do selo Som/Copacabana, os xotes "Eu Chego Lá", com Barbosa da Silva, e "Tudo Lembra Você", com Alfredo Pereira. Também em 1972, teve quatro composições inclídas no LP coletivo "Pau de sebo - VOL. 6" da gravadora: Entré/CBS: "Eu Quero Amar", com João Silva, na interpretação de Marinês, "Deixa Clarear", na voz de Jackson do Pandeiro, "Santo Antônio Acertou", com Osvaldo Oliveira, interpretada por Osvaldo Oliveira, e "Noite Linda", com João Silva, cantada pelo Trio Nordestino. Ainda nesse período, fez sucesso com o bolero "Taça De Amargura", com Luiz Wanderley, gravado por Waldick Soriano.  
Em 1973, Ary Lobo no LP "Fim de verão"  do selo Som/Copacabana registrou "A Volta do Vendedor", com João Silva. No mesmo ano, o baião "Pássaro Bacurau", com Jackson do Pandeiro, e o xote "Chuchu Beleza", com João Silva, foram lançados por  Jackson do Pandeiro no LP "Tem mulher, tô lá", do selo Entré/CBS. Também nesse ano, o Trio Nordestino, no LP "Trio Nordestino primeiro e único" da Som/Copacabana registrou os xote "Iaiá Me Bateu" e "Meus Amores", ambos com João Silva. Teve também duas composições gravadas no LP "Quebra pote", disco coletivo da gravadora Som/Copacabana, "Quadrilha do Macuripe", na interpretação de Bastinho Calixto, e "Quatro Homens e Eu Mulher", com João Silva, na interpretação de Zito Borborema e participação de Chiquinha do Acordeom. Em 1974, teve o xote "Festa de Romeiro", com Julinho do Acordeom, gravado no LP "Noites do sertão" e lançado por Julinho do Acordeom pelo selo Tropicana/CBS. Nesse ano, Luiz Wanderley gravou "Quem Nasceu Pra Tatú", com Luiz Wanderley, para o LP  "Sambas enredo e pagodes 1975 - Os Pagodeiros do Largo do Estácio", da Som Livre. Em 1975, o Trio Nordestino no LP "Forró pesado", do selo Som/Copacabana, lançou o baião "Apague o Candieiro", com João Silva. No mesmo ano, Genival Santos gravou "Onde Estava Meu Juízo", com João Silva, e "Crucificado do Amor" para o LP "Eu não sou brinquedo" do selo Som/Copacabana. 
Em 1976, a cantora Clara Nunes no LP "Canto das três raças", da Odeon regravou o baião  "Alvoroço No Sertão", com Aldair Soares. No mesmo ano, Marinês no LP "Nordeste valente" do selo Entré/CBS registrou o xote "Flor de Croatá", com João Silva. Em 1977, teve as composições "Tem Gente Dando Um Doce", com João Silva, e "Alma Manchada", com Assunção Correia, gravadas por Elino Julião no LP "O enganador", do selo Entré/CBS. No mesmo ano, o  Trio Nordestino no LP "Estamos aí para balançar", da Som/Copacabana gravou o baião "Forró Do Bole-bole", com João Silva. Em 1979, K-Boclinho no LP "Um sambista simples" do selo Aladdin Records gravou "Bem Amado", com João Silva. No mesmo ano, João Silva no LP "Mixto quente" do selo Colonial gravou "Caminho Melhor" e "    Homens de Ação", com João Silva. 
Em 1980, Jackson do Pandeiro no LP "São João autêntico de Jackson do Pandeiro", da gravadora Sinter/Philips gravou o xote "Canoeiro Novo", com João Silva. No mesmo ano,  J. Aquino gravou "Não Chore Menina", com J. Aquino, no LP "Vá dizer ao mundo inteiro" do selo Jangada/EMI-Odeon. Em 1983, teve duas composições gravadas por  Genival Santos em LP da Copacabana: "Se o Meu Bugre Falasse"  e "Essa Menina É Demais", ambas com Genival Santos. Em 1986, Genival Santos no LP "Surpresa", da Arca Som, cantou "Aonde Está Você", com Genival Santos. Em 1989, Luiz Gonzaga e Joquinha Gonzaga gravaram "Dá Licença Pra Mais Um", com João Silva, para o LP "Missa do vaqueiro" da Discos AMC.
Em 1997, Julinho do Acordeom no LP "Forró do Julinho", lançado de forma independente, gravou o xote "Por Conta Do Sanfoneiro", com Julinho do Acordeom. Em  1998, o Trio Forrozão em CD da gravadora Natasha gravou o baião "Zé do Rock", com João Silva. Em 2000, Dominguinhos no CD "Dominguinhos ao vivo" da gravadora Velas regravou "Zé do rock".

Mais visitados
da semana

1 Kátia Di Tróia
2 Gonzaguinha
3 Paulo Soledade
4 Noel Rosa
5 Irmãs Galvão
6 Caetano Veloso
7 Creone e Barrerito
8 Psirico
9 Tiee
10 Gal Costa