Busca:

Pingo de Fortaleza

João Wanderley Roberto Militão
Fortaleza, CE

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira artística apresentando-se como cantor em manifestações dos movimentos estudantis secundarista e universitário no Ceará. Trabalhou por algum tempo com teatro de bonecos e foi professor de Educação Artística de 1º e 2º graus. Em 1986, lançou de maneira independente seu primeiro LP, "Centauros e Canudos", tendo como tema as lutas populares do Nordeste brasileiro. Todo ele acústico, o LP contou com a participação de Jacques Morelembaum no cello, Paulo Russo no baixo acústico e Marquinhos no acordeom. Em seguida, foi convidado a participar da Missa pelos Mártires de Canudos, evento sócio-religioso e artístico realizado às margens do Açude de Cocorobó no sertão baiano, na região onde se localizava o Arraial de Canudos. No mesmo ano, fez a direção musical e a trilha sonora da peça "O conselheiro e Canudos" com a direção de B. de Paiva, com o ator José Dumond no papel principal. A peça percorreu diversas capitais brasileiras e Pingo de Fortaleza participou das temporadas executando a trilha sonora ao vivo. Em 1988, lançou seu segundo LP, "Lendas e contendas", com arranjos e acompanhamento do grupo baiano Bendegó. O disco apresenta a recitação de diversas lendas da região, como o "Mourão" e "Guajara da mata". Em 1991, lançou o LP "Maculelê-Loas Catu Ibyá", trabalhando com o maracatu cearense. Depois do lançamento desse terceiro disco passou a prestar trabalho de assessoria cultural na cidade cearense de Icapuí, que se destaca internacionalmente por suas iniciativas na área de saúde e educação. Fez um mapeamento cultural do município e elaborou em conjunto com a comunidade um plano de ação cultural. Em 1992, produziu e dirigiu o LP "Icapuí por todos os cantos" com compositores da cidade, em sua grande maioria pescadores. Em 1993, gravou seu primeiro disco ao vivo, o CD "Pingo de Fortaleza ao vivo", durante apresentação no Teatro José de Alencar em Fortaleza, comemorando 10 anos de carreira. Neste show lançou diversas composições de sua autoria, dentre as quais "Mourão", em parceria com Guaracy Rodrigues, "O fio e a adaga", com Laerte Magalhães, "Amanheceu o Beberibe", faixa instrumental, além de "Ladainha pra Canudos", de Gereba, e João Bá, e "A História fará sua homenagem, à figura de Antônio Conselheiro", de Ivanildo Vilanova. Em 1994, recebeu o convite da ONG sueca "Terra do futuro", realizou uma turnê de três anos e meio pela Europa. Somente na Suécia apresentou 28 shows, tendo cantado na Casa da Cultura em Estocolmo, considerada por alguns uma das maiores salas de espetáculos da Europa. Apresentou-se em Genebra, Lausanne e Zurique, na Suíça. Em 1995, fez o lançamento de seu CD ao "vivo" em diversas capitais brasileiras, apresentando-se no Sesc Pompéia em São Paulo, Teatro Clara Nunes, em Diadema, São Paulo, Teatro da UFMG, em Belo Horizonte, Teatro Hall, em São Paulo e Café do Teatro, em Florianópolis. No mesmo ano, apresentou-se no show de abertura do Congresso do MST em Brasília juntamente com Zé Geraldo e Sérgio Ricardo. Em São Paulo esteve nos programas "Jô Soares onze e meia", então na TV SBT e no "Viola, minha viola", na TV Cultura. Voltou em seguida, para Fortaleza onde apresentou no Teatro José de Alencar o show "Solecanto". Em 1996, lançou no Teatro José de Alencar o CD "Cantares", seguindo depois para uma excursão pelas principais capitais brasileiras. Em 1997, seguiu para nova excursão ao exterior, apresentando-se na cidade de Colônia, na Alemanha, em seminário sobre os 100 Anos de Canudos. No mesmo ano, fez uma série de shows em diferentes estados brasileiros, especialmente em São Paulo, onde encenou em diversas cidades os shows "Cantares" e "Canudos". Ainda em função dos 100 anos de Canudos, percorreu o Brasil com o show "Canudos". Em 1998, participou do CD "Arte em movimento - MST", em comemoração aos 10 anos do Movimento dos Sem-Terra, juntamente com Leci Brandão, Chico César, Beth Carvalho, Zé Geraldo, Fábio Paes, Cida Moreira, Vânia Bastos e outros. O CD, com capa de Sebastião Salgado, foi lançado em diversas cidades brasileiras e também na região do Pontal do Paranapanema, em São Paulo. O primeiro show da série aconteceu no Rio de Janeiro, no Teatro João Caetano, com a presença dos artistas do CD. No mesmo ano, apresentou-se em diversos shows em sua cidade natal, entre os quais, Teatro José de Alencar, Projeto Seis e Meia, Espaço Cultural do BNB, Teatro do Ibeu Aldeota e Centro. Em 1999, participou como jurado e apresentou-se no show do Festival de Música pela Reforma Agrária, na cidade gaúcha de Palmeira das Missões. No mesmo ano, lançou o CD "Instrumental - Pingo de Fortaleza", dando início a seu trabalho como produtor, que levará ao relançamento de seus discos anteriores. No CD, gravou todas as músicas de sua autoria, além de fazer os arranjos e tocar violão em todas as músicas. O disco contou ainda com as participações de Manassés de Sousa, Nonato Luiz e Marcos Maia. Ainda em 1999, realizou diversos shows em Fortaleza, tendo-se apresentado na casa de shows Dragão do Mar, a maior de Fortaleza, ao lado de Moraes Moreira. Realizou no mesmo ano, nova excursão à Europa, atuando nas cidades espanholas de Madri, Albacet, Gijon, Valladoli, Santiago de Compostela, Vigo, Barcelona e Zaragoça. De volta ao Brasil, realizou show de lançamento do CD "Instrumental". Lançou, em seguida, o CD "Lógica" e realizou uma pequena excursão ao norte do país e retornou ao trabalho de assessoria cultural, desta feita ao Município de Santana do Acaraú, no Ceará.

Mais visitados
da semana

1 Agnaldo Timóteo
2 Tiee
3 Noel Rosa
4 Claudio Cartier
5 Tom Jobim
6 Caetano Veloso
7 Gonzaguinha
8 Sivuca
9 Luiz Gonzaga
10 Vinicius de Moraes