Busca:

Perinho Albuquerque

Péricles de Albuquerque
25/4/1946 Salvador, BA

Dados Artísticos

Iniciou seu trabalho profissional na década de 1960, integrando o conjunto musical Carlito e sua Orquestra. Participou, como guitarrista, da segunda formação do grupo Raulzito e Seus Panteras, cujo líder era Raul Seixas, com quem atuou pela primeira vez em estúdio, gravando no compacto "Nani", primeiro disco lançado pelo cantor e compositor.

Em 1964, participou dos shows "Mora na Filosofia", de Maria Bethânia, com direção de Caetano Veloso, "Inventário", de Gilberto Gil, como corista, e "Cavaleiro", de Caetano Veloso.

Ao longo de sua carreira, atuou nos seguintes discos: "Drama" (1972), de Maria Bethânia, como arranjador e instrumentista; "Araçá Azul" (1972), de Caetano Veloso, como arranjador e instrumentista; "Cantar" (1974), de Gal Costa, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Drama 3º Ato" (1973), de Maria Bethânia, como produtor musical; "Cena muda" (1974), de Maria Bethânia, como produtor musical; "Gal canta Caymmi" (1976), de Gal Costa, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Gilberto Gil ao vivo" (1974), de Gilberto Gil, como produtor musical; "Refazenda" (1975), de Gilberto Gil, como arranjador; "Pássaro proibido" (1976), de Maria Bethânia, e "Pássaro da manhã" (1977), de Maria Bethânia, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Caras e bocas" (1977), de Gal Costa, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Água viva" (1978), de Gal Costa, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Temporada de verão" (1974), de Caetano Veloso, Gilberto Gil e Gal Costa, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Sinal fechado" (1974), de Chico Buarque, como arranjador e instrumentista; "Meus caros amigos" (1976), de Chico Buarque, como arranjador e instrumentista; "Caetano Veloso e Chico Buarque ao vivo" (1972), como instrumentista; "Maria Bethânia e Chico Buarque no Canecão" (1975), como produtor e diretor musical; "Maria Bethânia e Caetano Veloso ao vivo" (1977), como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Doces Bárbaros" (1976), com Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gal Costa e Gilberto Gil, como produtor musical; "Gil e Jorge" (1975), com Gilberto Gil e Jorge Ben, como co-produtor musical; "Erasmo convida" (1980), de Erasmo Carlos, como arranjador e instrumentista; "Jóia" (1975), de Caetano Veloso, como arranjador, instrumentista, produtor musical e autor da faixa "Guá", de sua parceria com o cantor e compositor; "Qualquer coisa" (1975), de Caetano Veloso, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Bicho" (1977), de Caetano Veloso, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Nossos momentos" (1982), de Maria Bethânia, como produtor musical; "Álibi" (1978), de Maria Bethânia, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Talismã" (1980), de Maria Bethânia, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Alteza" (1981), de Maria Bethânia, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Mel" (1979), de Maria Bethânia, como arranjador, instrumentista e produtor musical; "Outras palavras" (1981), de Caetano Veloso, como arranjador em uma faixa.

Realizou, em parceria com Caetano Veloso, a trilha sonora do filme "Índia, Filha do Sol", dirigido por Fábio Barreto.

Na década de 1980, fundou, em Salvador, o Estaleiro Perimar, passando a exercer arquitetura naval em parceria com seus filhos, produzindo lanchas de recreio.

Mais visitados
da semana

1 Elis Regina
2 Caetano Veloso
3 Irmãs Galvão
4 Noel Rosa
5 Chitãozinho e Xororó
6 Isolda
7 Tom Jobim
8 Luiz Gonzaga
9 Ronaldo Bôscoli
10 Bezerra da Silva