Busca:

Penélope



Dados Artísticos

Grupo de pop rock formado na cidade de Salvador (BA) em 1995. Chamava-se inicialmente Penélope Charmosa, em homenagem à personagem do desenho animado "Corrida Maluca". Contudo, teve que modificar o nome para apenas Penélope, pois a Hanna-Barbera, empresa criadora do desenho, não liberou a utilização do nome. Em sua primeira formação constavam Érika Martins (voz e guitarra), Josane (guitarra), Érika Nande (baixo), Constança Scofield (teclado, flauta e vocais) e Mário Jorge (bateria). Em 1996 participou da coletânea independente "Umdabahia". Quando se apresentou, em 1997, no "Festival Abril Pró Rock", em Recife, chamou a atenção da gravadora Sony Music, que contratou a banda, participando, no ano seguinte, da coletânea "5 anos de Chaos", da mesma gravadora. Em 1999, lançou o CD de estréia, "Mi casa, su casa", no qual, além de composições próprias, regravaram "Telefone", de Júlio Barroso, sucesso na década de 1980 do grupo Gang 90 & As Absurdetes, e "Namorinho de portão", de Tom Zé, gravada originalmente por Gal Costa em 1969. Também foi incluída a composição "Holiday", de autoria de Érika Martins e Luisão, um dos primeiros sucessos da banda. O CD vendeu 50 mil cópias, número expressivo para uma banda iniciante. Em janeiro de 2000, já com a segunda formação, tendo Luisão (Luís Pereira) na guitarra, bandolim e violão, participou do evento "Rock de saias", junto com Bia Gabrois, no Ballroom, no Rio de Janeiro. Fez parte da programação do "Festival Rock in Rio III", no verão de 2001. Neste mesmo ano, Érika Martins participou do disco intitulado "80", da banda Biquini Cavadão, no qual interpretou "Educação sentimental III". Ainda neste ano, a banda lançou pela Sony o CD "Buganvília". Para este disco, produzido por Tom Capone, o grupo convidou a cantora Wanderléa para participar da faixa " Não vou ser má" (Josane, Constança Scofield e Mário Jorge) e regravou "Ciranda da bailarina" (Edu Lobo e Chico Buarque) e "Should I stay or should I go", do Clash, que contou com a participação do baterista Fred, dos Raimundos, e Carlos Malta, que fez o arranjo de sopros para a faixa "Um quarto para as horas". Ainda deste disco destacaram-se as faixas "Caixa de bombom", "Filme da alma", "Oportuno silêncio", "Continue pensando assim", "Plus", "Junto ao mar" (Herbert Vianna) e "A menor distância entre dois pontos", de autoria da tecladista e flautista Constança Scofield, composta para seu marido Tom Capone, produtor dos CDs da banda. Para a divulgação do CD a banda fez turnê pelas regiões Nordeste, Sul e Sudeste. A banda foi responsável pelo show de abertura do grupo mineiro Skank no Canecão (RJ). Ao lado de Branco Mello, Biquini Cavadão, Jair Oliveira, Nando Reis, Arnaldo Antunes e Frejat, participou do CD "Superfantástico, quando eu era pequeno" com composições de Branco Mello em parceria com Ciro Pessoa, produzido por Luiz Carlos e Bruno Gouveia. No ano de 2003 lançou, pela gravadora Som Livre, o CD "Rock, meu amor!", disco no qual regravou sucessos de outros grupos: "A fórmula do amor" (Leoni e Léo Jaime - Kid Abelha); "Você não serve pra mim" (Renato Barros); "Quem sabe" (Los Hermanos); "Continue pensando assim" (Luisão e Érika Martins - Penélope), esta música com a participação de Samuel Rosa (da banda Skank); "Menino bonito" (Rita Lee); "Sabe amar" (Herbert Vianna); "Tudo com você" (Lulu Santos e Fausto Nilo) e "Nosso louco amor" (Herman Torres e Júlio Barroso) da Gang 90.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Noel Rosa
3 Eumir Deodato
4 Dorival Caymmi
5 Geraldo Pereira
6 Chico Buarque
7 Pixinguinha
8 Lupicínio Rodrigues
9 Roberto Carlos
10 Romildo