Busca:

Pedro Miranda

Pedro Miranda de Oliveira
27/7/1976 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Ainda estudando na PUC-Rio costumava animar as festas interpretando o repertório de Luiz Gonzaga. Incentivado pelo cavaquinista Eduardo Gallotti passou a cantar sambas no circuito de bares da Lapa e a freqüentar rodas de samba. Integrou vários grupos como Cordão do Boitatá, Grupo Semente, Anjos da Lua e Pé de Moleque. Passo a integrar o grupo Cordão do Boitatá no ano de 1997, em show com Darcy do Jongo da Serrinha. Logo depois passou também a integrar o Grupo Semente, ao lado de Teresa Cristina (voz), João Callado (cavaco), Bernardo Dantas (violão) e Ricardo Cotrim (surdo). Com este grupo a partir do ano de 1999 realizava uma roda de samba, todos os sábados, no Bar Semente, na Lapa. Logo depois o grupo participou do projeto "Puxando conversa", da TV Maxambomba, acompanhando Jair do Cavaquinho, Argemiro da Portela e Surica, entre outros artistas. Por essa época, ao lado de Eduardo Gallotti, organizava e apresentava-se uma roda de samba no bar Emporium 100, depois conhecido pelo nome de Rio-Scenarium. Em 2000, integrando o Grupo Semente, apresentou-se no show de aniversário do vereador Eliomar Coelho, no Teatro Rival, com grandes nomes do samba, como Guilherme de Brito, Xangô da Mangueira, Nelson Sargento, Wilson Moreira entre outros. Ainda neste ano, iniciou o projeto "Roda de samba" na Sala Funarte, onde tocou todas as quintas-feiras, cada semana com um convidado diferente, entre eles Argemiro da Portela, Tia Surica, Tantinho e Xangô da Mangueira. Acompanhou no pandeiro Élton Medeiros no Paço Imperial em show gravado para o CD "Primeiro compasso samba & choro", lançado pela gravadora Biscoito Fino. Em 2002, como cantor, participou ao lado de Roberto Silva, Mariana Bernardes, Cristina Buarque, Pedro Aragão e Pedro Paulo do disco "O samba é minha nobreza", espetáculo homônimo criado por Hermínio Bello de Carvalho e transformado em disco pela gravadora Biscoito Fino. Neste mesmo ano de 2002, pela gravadora Deck Disc, Teresa Cristina, lançou um disco duplo sobre a obra de Paulinho da Viola intitulado "A música de Paulinho da Viola", disco no qual foi acompanhada pelo Grupo Semente. Ainda em 2003, a convite do produtor Lefê Almeida, participou do projeto "Lembranças cariocas", no Bar Carioca da Gema, logo depois registrado em disco, e ainda do CD , e ainda do CD "Um ser de luz - Saudação a Clara Nunes". No ano de 2004 integrou o grupo carioca Cordão do Boitatá ao lado de Cristiane Contrim (cavaquinho), Kiko Horta (Acordeom), Melissa Ferraz (pandeiro, candongueiro e voz), Pedro Mazzillo (violão), Pedro Pamplona (sax-soprano, sax-tenor e flauta), Ricardo Cotrim (clarinete, zabumba, tambor e tarol) e Thiago Queiroz (sax-alto e barítono). Com este grupo gravou o CD "Sabe lá o que é isso?", pela gravadora DeckDisc. Neste mesmo ano participou do disco "Lamartiníadas", ao lado de Alfredo Del Penho e Pedro Paulo Malta, sobre a obra de Lamartine Babo. Freqüentador do Pagode da Tia Surica é considerado um exímio versador, obtendo elogios da própria Tia Surica. Em 2005, ainda integrando o grupo Semente, apresentou-se no Centro Cultural Carioca todas às quintas-feiras do mês de abril. No ano de 2006 lançou o disco "Coisa com coisa" no Teatro Rival BR, no Rio de Janeiro e no projeto "Gente do samba", no Bar Feitiço Mineiro, em Brasília. No CD interpretou, entre outras, "Coisa com Coisa", inédita de Zé Kéti e que dá nome ao disco, "Doze anos" (Chico Buarque), "Nada de rock" (Heitor dos Prazeres), "Sapo no saco" (Jararaca), "Amor sem preconceito" (Candeia e Paulinho da Vila), "Caixa Econômica" (Nássara e Orestes Barbosa), "O samba é meu dom" (Wilson das Neves e Paulo César Pinheiro), além de "Chula cortada" (Roque Ferreira), "Ciúme sem razão" (Alberto Ribeiro e João de Barro), "Cumplicidade" (Teresa Cristina e Marcelo Menezes), "Dona Joaninha" (Ary Monteiro e Zé da Zilda), "O calo de estimação" (Zé da Zilda), "Nada de rock rock" (Heitor dos Prazeres) com a participação do grupo Anjos da Lua, e ainda uma regravação de "Marcha das flores", parceria com Teresa Cristina, gravada anteriormente pelo Cordão do Boitatá e Grupo Semente. Produzido por Paulão Sete Cordas o CD ainda contou com músicos importantes no cenário nacional, entre eles Luís Filipe de Lima, Maurício Carrilho, Rui Alvim, Eduardo Neves, Bernardo Dantas, João Callado, Pedro Amorim, Esguleba, Márcio Almeida, Alfredo Del-Penho e Paulino Dias. Em 2009 lançou "Pimenteira", disco no qual interpretou "Hello my girl" (Silvio da Silva), "Baticum" (Mauricio Carrilho e Paulo César Pinheiro), "Caso encerrado" (Alfredo del Penho e Edu Neves), "Meio tom" (Rubinho Jacobina), "Imagem" (Wilson das Neves e Trambique), "Na cara do gol" (Elton Medeiros e Afonso Machado), "Compadre Bento" (Nei Lopes), "Cartas de metrô" (Moyseis Marques), "Samba da moreninha" (Pedro Amorim), "Velhice" ( Alcides Dias Lopes e Nelson Cavaquinho), "Coluna social" (Edu Krieger) e a faixa-titulo "Pimenteira", de Roque Ferreira. O CD contou com produção do violonista Luís Felipe Lima e seleção de repertório de Cristina Buarque e Paulão Sete Cordas. O show de lançamento do disco aconteceu no Teatro Rival Petrobras, no qual o cantor foi acompanhado por Luis Filipe de Lima no violão de 7 cordas e na direção musical, Pedro Amorim no cavaquinho e no bandolim, Edu Neves, Rui Alvim, Everson Moraes e Aquiles Moraes nos sopros e Paulinho Dias, Pretinho e Thiaguinho da Serrinha nas percussões. Com participações especiais de Teresa Cristina e do Trio Madeira Brasil. Em 2010 fez show no Teatro Rival BR ao lado de Moysés Marques e Marcos Sacramento. De tão bem sucedido e aprovado voltaria por mais duas vezes ao palco do teatro Rival BR. Participou como cantor, ao lado de Pedro Paulo Malta e Nilze Carvalho, do CD Lembranças Cariocas, lançado em 2010 pela Biscoito Fino, cujo repertório incluiu composições de sambistas consagrados como Bide, Marçal, Cartola, Carlos Cachaça, Moreira da Silva, dentre outros compositores que não eram exclusivamente sambistas, como Dorival Caymmi e Lupicínio Rodrigues. O disco contou com as participações de Chico Buarque e Cristina Buarque. Em 2011 integrou o elenco do musical "Sassaricando - e o Rio inventou a marchinha", de Rosa Maria Araújo e Sérgio Cabral. Participou, ao lado do grupo Anjos da Lua, do projeto "Lapa de Todos os Sambas", realizado no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. Idealizado pelo produtor Leonardo Conde, o projeto celebrou a revitalização do bairro da Lapa (RJ), em uma iniciativa que reuniu três gerações de cantores, músicos e compositores de samba. Nesse mesmo ano se apresentou no Clube dos Democráticos, no Rio de Janeiro, recebendo como convidados os cantores Wilson Moreira e Zé Renato, acompanhado dos músicos Luís Filipe de Lima (violão de sete cordas e direção musical), Eduardo Neves (sopros), Luís Barcelos (cavaquinho e bandolim), Beto Cazes (percussão), Paulino Dias (percussão) e Thiago da Serrinha (percussão). Em 2012 participou, ao lado de Alfredo Del-Penho, João Cavalcanti e Moyseis Marques, do projeto “Segunda Lapa”, com os quais realizou uma temporada de shows no espaço Studio RJ, no Rio de Janeiro, com a participação dos músicos João Callado, André Vercelino e Marcos Basilio. Participou da gravação do DVD “Casuarina - 10 anos de Lapa”, interpretando a música “Dia de graça” (Candeia), em show que contou com a participação de artistas que fizeram parte do cenário de revitalização do bairro da Lapa, como Eduardo Gallotti, Áurea Martins, Moyseis Marques, Marcos Sacramento, Nilze Carvalho, Pedro Miranda, Zé Paulo Becker, Ana Costa, Zé da Velha e Silvério Pontes, entre outros. Apresentou-se em Buenos Aires (Argentina) no Notorious, com o grupo formado por Luís Filipe de Lima, Beto Cazes e Henrique Cazes, e no Boris Club, acompanhado da Orquestra A Saidera, formada por músicos argentinos. Em 2013 realizou uma temporada de shows no Centro Cultural Carioca, no Rio de Janeiro, acompanhado dos músicos Luís Filipe de Lima (violão de sete cordas e direção musical), Eduardo Neves (sopros), Luís Barcellos (cavaquinho e bandolim), Beto Cazes e Paulino Dias (percussão). Nesse mesmo ano apresentou-se no Studio de L’Hermitage, em Paris (França), acompanhado dos músicos Eduardo Neves (sopros), João Callado (cavaquinho), Luis Filipe de Lima (violão de sete cordas) e Beto Cazes (percussão). Participou do musical “Forrobodó: um choro na cidade nova”, montagem baseada no libreto de Luiz Peixoto e Carlos Bettencourt, musicada por Chiquinha Gonzaga em 1912, com direção de André Paes Leme e direção musical de Maria Teresa Madeira. Foi responsável pela direção musical do espetáculo “Clementina, cadê você” (2013), idealizado por Cristiano Salgado e dirigido por Duda Maia, em homenagem a cantora Clementina de Jesus, interpretada pela atriz Ana Carbatti. Em 2013 integrou o elenco do musical “Sassariquinho”, versão infantil do espetáculo “Sassaricando”, de Rosa Maria Araújo e Sérgio Cabral, com direção de Claudio Botelho. Em 2014 apresentou-se, ao lado de João Cavalcanti e Moyseis Marques, na cerimônia da 25ª edição do “Prêmio da Música Brasileira”, homenageando o gênero Samba, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 2016 lançou o CD “Samba original”, que contou com a participação de Caetano Veloso em “A razão dá-se a quem tem” (Noel Rosa, Ismael Silva e Francisco Alves). o show de lançamento do CD foi realizado no Teatro SESC Ginástico, no Rio de Janeiro, com a participação especial de Nelson Sargento. Em 2017 foi contemplado pelo “28º Prêmio da Música Brasileira” com o prêmio de “Melhor Álbum de Samba” pelo CD “Samba Original”. No final de década de 2010 iniciou uma movimentação cultural no bairro da Gávea, zona sul do Rio de Janeiro, onde residia, sendo o idealizador do Forró da Gávea, às quartas-feiras; e um dos fundadores do Samba da Gávea, às segundas-feiras, ao lado de João Cavalcanti, Alfredo Del-Penho, Paulino Dias e Thiago da Serrinha. Viabilizou o evento mensal “Gávea convida: Choro na Rua”, com uma roda de choro na praça Santos Dumont, na Gávea.

Mais visitados
da semana

1 Tiee
2 Sivuca
3 Demônios da Garoa
4 Noel Rosa
5 Vinicius de Moraes
6 Tom Jobim
7 Franco Scornavacca
8 Gonzaguinha
9 Chris Fuscaldo
10 Luiz Gonzaga