Busca:

Paulo Murillo


Circa 1930

Dados Artísticos

Em 1960, fez "Para Sempre", versão para a balada  "Forever", de Bob Marcucci e Peter de Angelis, gravada pelo conjunto de rock The Snakes pela Mocambo. Em 1961, a balada "Quem Ama", com Francisco Machado, foi gravada pelo cantor Jairo Aguiar em disco da gravadora Copacabana.
Em 1963, a balada "Estrelinha", versão de "Little Star", de Venosa e Picone, foi gravada pelo conjunto  Renato e Seus Blue Caps em LP do selo Som/Copacabana com vocais de Erasmo Carlos. Nessa época, a cantora Cleide Alves, em compacto duplo da gravadora Copacabana, registrou a balada "Sonho Na Colina", uma versão de "Blueberry Hill", de Al Lewis, Larry Stock e Vincent Rose. Em 1964, o cantor Ronnie Cord, no LP "Rua Augusta", da RCA Victor registrou a balada "Humildemente Te Peço Perdão", versão de "Umilmente Ti Chiedo Perdono", de Edoardo Vianello, G. Musy e Carlo Rossi. No mesmo ano, a versão "Teu Mundo Irreal", de "Umilmente Te Chiedo Perdono", de Edoardo Vianello, G. Musy e Carlo Rossi, recebeu duas gravações diferentes, de  Carlos Ely, no compacto duplo "O solitário", da CBS, e de Moacyr Franco no compacto duplo "Canção de ninar", da Copacabana. Em 1965, a "Canção de Amor", versão para "Canzone D'amore", de Pino Calvi e Leo Chiosso, foi gravada por  Rinaldo Calheiros no LP "Canto para um coração solitário", da gravadora Copacabana, gravação incluída também na coletânea "Festival italiano" da mesma gravadora com diferentes interpretações de músicas italianas então em grande voga no Brasil. Na mesma época, a balada "Eu Vou Rezar", versão de "Com Me Vivrai L'estate", de A. Ovale e Leo Chiosso, foi lançada por Wanderley Cardoso em compacto duplo da Copacabana. Também em 1965, Denise Barreto gravou em compacto simples a balada "O Seu Nome", com Medini e Mellier. No mesmo ano, o trio Os Três Tons, em LP da Polydor, gravou a balada "Sonho de Amor (Zing! Went The Strings Of My Heart)", com James Hanley. Em 1967, Erasmo Carlos, em compacto simples voltou a gravar a balada "Estrelinha" alcançando razoável sucesso. Em 1970, no LP "A voz do sucesso - 2", da Polydor, Marcus Piter gravou "Te Amo, Te Amo, Te Amo", versão para "Devil Or Angel", de Blanche Carter. Em 1971, o cantor  Marcus Pitter, no LP "A voz do sucesso", da Polydor, registrou "Se Você Está Sozinha (Silver Moon)", com Nesmith.
Em 1989, a balada "Estrelinha" foi incluída na coletânea de sucessos "Convite para ouvir - Erasmo Carlos", da RGE. Em 2000, a gravação de "Fruto do Mar (Fruto Di Mare)", com Piero Soffici e Vito Pallavicini, no registro de Reinaldo Calheiros, foi relançada no CD duplo "Bis - Reynaldo Rayol", da EMI Music. Em 2001, "Estrelinha" fez parte da coletânea de 4 CDs "Esquinas do tempo: 1960 - 2000", da gravadora Som Livre com registros de Erasmo Carlos. Sua atuação se deu durante o período do surgimento do rock no Brasil e na Jovem Guarda fazendo versões para baladas norte americanas e italianas especialmente.

Mais visitados
da semana

1 Durval e Davi
2 Tiee
3 Vinicius de Moraes
4 Gilberto Monteiro
5 Martha Rocha
6 Creone e Barrerito
7 Festivais de Música Popular
8 Alceu Valença
9 Luiz Gonzaga
10 Mayck e Lyan