Busca:

Paulo Braga

Paulo Braga Guimarães
10/10/1963 Jundiaí, SP

Dados Artísticos

Ao longo de sua trajetória, atuou como solista ao lado de várias orquestras e grupos, entre os quais Banda Sinfônica, Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, Royal Philarmonic Concert Orchestra, Camerata Villa Lobos, Camerata Antiqua de Curitiba, Orquestra Sinfônica e Camerata de Cordas de Tatuí.

Desde 1988 integra o grupo de Arrigo Barnabé.

Integrando o trio Bonsai, ao lado de Mané Silveira (sax e flauta) e Guello (percussão), lançou, em 1996, o CD “Bonsai Machine”, com as músicas “Vôo Livre”, “Chorinho Pro Lôi”, “Samburai”, “Cristais de estrelas”, “Bluss bom bom e água”, “Indra”, “Sea and Sand” e “Baião alucinado”, todas de Mané Silveira, “Meu querido Borzolino” (Toninho Ferragutti e Mané Silveira), “Brigas nunca mais” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Ternura antiga” (Dolores Duran e Ribamar) e “Intrigas no Boteco do Padilha” (Luis Americano).

Também como integrante do trio Bonsai, lançou, em 2001, o CD “Desdobraduras”. No repertório, suas composições “A Bandinha” e “Baião maluco”, ambas com Guello e Mané Silveira, “Nhonhô da Botica”, “21” e “Manhã”, além de “Córsega”, “Valsa da lua”, “Sonhos” e “Berimba”, todas de Mané Silveira, “Pro Zeca” (Victor Assis Brasil) e “Jongo” (Paulo Bellinati). O disco contou com a participação de Ná Ozzetti (voz), Toninho Carrasqueira (flauta), Adriana Christina de Barros Holtz (violoncelo) e Dimos Goudaroulis (violoncelo) na faixa “Sonhos”.

Em 2005, formou, com Andrea Ernest (flauta) e Marcos Suzano (percussão), o Trio 3-63, com o qual participou da série “Vision du Brésil”, realizada pelo Centre National de Musique, em Marselha, na França. O nome do grupo remete ao ano de nascimento dos três músicos.

No ano seguinte, integrou o grupo que acompanhou Monica Salmaso em turnê pela Europa.

Em 2008, lançou, ao lado de Arrigo Barnabé, o CD “Ao vivo em Porto”, gravado no Teatro Nacional São João, em Porto, Portugal, em junho de 2004. No repertório, “Office Boy” e “Sabor de veneno”, ambas de Arrigo Barnabé, “Cidade oculta” (Arrigo Barnabé, Eduardo Gudin e Roberto Riberti), “Outros sons” (Arrigo Barnabé e Carlos Rennó), “Antro sujo” (Arrigo Barnabé e Regina Porto) e “Clara Crocodilo” (Arrigo Barnabé e Mário Lúcio Cortes).

Lançou, em 2009, o CD “Muita hora nessa calma”, com suas músicas “Sonoridade I”, “Sonoridade II”, “Cabeça de melão”, “Sonoridade III”, “Sonoridade IV”, “Valsa”, “Sonoridade V”, “Sonoridade VI”, “Farol”, “Sonoridade VII”, “Sonoridade VIII”, “Estelar”, “Sonoridade IX”, “Sonoridade X”, “Ô lugar...”, “Sonoridade XI”, “Sonoridade XII”, “Manhã” e a faixa-título. Nesse mesmo ano, lançou, com o Trio 3-63, o CD “Sambatown”, contendo sua composição “Nhonhô da Botica” e ainda “Radamés y Pelé” (Tom Jobim), “Motivos Nordestinos – “Cantiga de Violeiro/Xaxado/Desafio/Capoeira” (Luiz D’Anunciação), “Lundu característico” (Joaquim Callado), “A Inúbia do Cabocolinho” (César Guerra-Peixe), “Chronos II” (Roberto Victorio) e “Yaô/Benguelê” (Pixinguinha e Gastão Vianna). Nesse mesmo ano, apresentou-se com o trio no Espaço Tom Jobim (RJ).

Em 2012, fez show com o Trio 3-63 no Studio RJ (RJ).

Mais visitados
da semana

1 Festivais de Música Popular
2 Caetano Veloso
3 Música Sertaneja
4 Lupicínio Rodrigues
5 Hermeto Pascoal
6 Dorival Caymmi
7 Chico Buarque
8 Raul Seixas
9 Dona Ivone Lara
10 Daniela Mercury