Busca:

Otávio Dutra

Otávio Dutra
3/12/1884 Porto Alegre, RS
9/6/1937 Porto Alegre, RS

Dados Artísticos

Aos 15 anos de idade faz sua primeira obra, a valsa  intitulada "Valsa nº1". Entre os anos de 1900 e 1904, compõe a "Valsa nº2", a valsa "Sonâmbula", a  "Valsa nº3", a "Valsa nº4", a valsa "Mocinha" e a "Polca B". Acredita-se que, durante esses anos, tenha composto marchas-ranchos para os blocos carnavalescos de Porto Alegre.  De 1910 a 1937, organizou cursos de canto e música, lecionando teoria musical, harmonia e canto. É considerado o pioneiro na introdução do bandolim e do violão na sociedade gaúcha.
Foi ensaiador dos primeiros blocos de Porto Alegre, como os "Tigres", "Os batutas", chegando a fazer, para eles, diversas orquestrações. Em 1913, teve gravadas na Odeon pela Banda do 10º R. I. do Exército as polcas "Pinhão...quente" e "Bela porto-alegrense", o xote "Céu aberto" e o tango "Choro dos becos". No mesmo ano, também na Odeon o Grupo Terror dos Facões gravou os xotes "Coração de ouro" e "Sempre teu", a polca "Mágoas do violão" e a valsa "Republicana". Outra de suas composiçõpes gravadas, sem data precisa, foi o xote "Alda", pelo Grupo do Canhoto.
Em 1914 organizou em Porto Alegre o grupo "Terror dos facões", integrado por flauta, cavaquinho e violão. O "Terror dos facões" ( em gíria de músico, facão significa o mau instrumentista) tinha seu repertório formado principalmente de composições de sua autoria,  chegando a lançar no ano de sua formação diversos discos para a gravadora Odeon. No início de 1915, o compositor causou espanto no Rio de Janeiro ao registrar, de uma só vez, na seção de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional, trinta composições, visando preservar seus direitos, cedidos a Fred Figner, proprietário da Casa Edison e diretor-geral da Odeon brasileira. Deixou inúmeras  composições, tendo cultivado  todos os gêneros musicais populares, com  especial atenção para a valsa.
Um episódio marcante de sua carreira deu-se em 1921, quando o compositor contava 36 anos, durante um desfile de carnaval em Porto Alegre. Segundo Ary Vasconcelos, "os blocos rivaisTigre e Batutas encontraram-se em plena Praça Garibaldi, em Porto Alegre. Os primeiros cantavam um samba do maestro Pena, ironizando os blocos rivais: "Vai botá isso lá". Otávio Dutra improvisou, na hora, uma resposta, que superou a música dos Tigres, o samba "Bota fora esse negócio". Logo em seguida, por iniciativa de Dante Santoro, que se achava presente na ocasião, foi executada a valsa "Palmira", de Dutra, com Santoro fazendo o solo de flauta. O compositor foi carregado em triunfo pelo povo".
Em 1934, o flautista Dante Santoro gravou na Victor suas valsas "Beatriz" e "Saudades do Jango". No mesmo ano, teve as valsas "Rosa" e "Catita" gravadas pela Orquestra Típica Victor dirigida pelo maestro Radamés Gnattali na gravadora Victor. Em 1949, o mesmo flautista Dante Santoro gravou na Odeon seu choro "Teimoso". Em 1950, Dante Santoro gravou seu choro "Sempre nós" com acompanhamento do grupo vocal Trigêmeos Vocalistas.

Mais visitados
da semana

1 Lupicínio Rodrigues
2 Garoto
3 Elza Soares
4 Assis Valente
5 Pixinguinha
6 Dorival Caymmi
7 Caetano Veloso
8 Noel Rosa
9 Luiz Gonzaga
10 Tom Jobim