Busca:

Osvaldo Cabral

Osvaldo Passos Cabral
Circa 1920 Rio de Janeiro

Dados Artísticos

Em 1958, regeu a Banda do corpo de Fuzileiros Navais, na gravação de LP lançado pela gravadora Rádio, no qual foream incluídas duas composições de sua autoria: "Salve fuzileiros" e "Alvorada". Em 1959, regeu a Banda do Corpo de Fuzileiros Navais na gravação da "Canção do marinheiro", também conhecida como "Cisne branco", de A. M. Espírito Santo, e o dobrado "Flamengo", de sua autoria, pela RCA Victor. Em 1960, regeu a banda do Corpo de Fuzileiros Navais, que participou da trilha sonora do filme "Matemática zero... Amor dez", dirigido por Carlos Hugo Christensen. Sob sua regência a banda interpretou as marchas "On the Button" (Nº5), de J. J. Donnelly e V. L. Mott; "The Thunderer", de J. P. Souza, J. J. Donnelly e V. L. Mott, e a "Marcha dos Fuzileiros Navais", de Luis Cândido da Silveira. Em 1961, esteve à frente da Banda dos Fuzileiros Navais, que gravou, pela Copacabana, com participação de coro, o "Hino ao Presidente", de Joubert de Carvalho e Ari Kerner V. de Castro, e a "Marcha da vitória", de Joubert de Carvalho, ambas saudando o novo presidente do Brasil Jânio Quadros. Em 1963, em pleno sucesso da bossa nova, foi lançado, pela Polydor, o LP "Parada Bossa Nova - Banda do Corpo de Fuzileiros Navais", no qual foram interpretadas as músicas "A felicidade", "Chega de saudade" e "Janelas abertas", de Tom Jobim e Vinícius de Moares; "Samba de uma nota só" e "Desafinado", de Tom Jobim e Newton Mendonça; "O pato", de Jaime Silva e Neusa Teixeira; "Chora tua tristeza", de Oscar Castro Neves e Luverci Fiorin; "Canção que morre no ar", de Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli; "Dindi", de Tom Jobim e Aloysio de Oliveira; "Samba triste", de Baden Powell e Billy Blanco; "Ho-bá-lá´lá", de João Gilberto, e "O barquinho", de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, novamente com regência sua. Em 1971, esteve à frente da banda dos Fuzileiros Navais no LP que foi lançado pela Todamérica: "Frevos - Banda do Corpo de Fuzileiros Navais", com a interpretação dos frevos "Armstrong na Apolo", de Nelson Ferreira; "Volúpia", de Alcides R. Amaral; "Voltando às raízes" e "É de maciota", de Guio de Morais; "Tiro de meta", de João Baptista de Moraes; "Caminheiro", de Dewett Cardoso; "OH Blea", de Capiba; "Recordando o ingá" e "Mayrinkianos", de Cazuzinha; "Tá fervendo", de David Vasconcelos; "Jane", de Guedes Peixoto, e "Tá pegando fogo", de Herman Barbosa. Além de apresentações em quase todos os estados brasileiros, a banda também já se apresentou em diferentes países. Foi autor do poema sinfônico "Riachuelo", retratando a participação da Marinha brasileira na famosa batalha naval do Riachuelo, durante a Guerra do Paraguai.

Mais visitados
da semana

1 Música Sertaneja
2 Daniela Mercury
3 Tom Jobim
4 Dorival Caymmi
5 Noel Rosa
6 Gilberto Gil
7 Caetano Veloso
8 Luiz Gonzaga
9 Dona Ivone Lara
10 Hermeto Pascoal