Busca:

Os Terríveis



Dados Artísticos

Conjunto de rock criado em 1964 na cidade de Recife, Pernambuco. Em 1965, atraídos pelo sucesso da Jovem Guarda, resolveram se mudar para o Rio de Janeiro. Inicialmente adotaram o nome artístico de Os Lordes, mas, no então estado da Guanabara já havia um grupo com este nome. Resolveram então adotar o nome de Os Terríveis. O conjunto era integrado por Heronildes Alves Ferreira, o Nido Mall, na guitarra solo, Beto, no baixo, Geo, no sax, Nado, na guitarra base e Nando, na bateria. Viajaram de ônibus de Pernambuco ao Rio de Janeiro e foram morar no bairro do Catete. Apresentaram-se nos programas de José Messias e Célia Mara, na Rádio Mauá. Tocaram também no programa Rio Hit Parade, na TV Rio, no qual chegaram a acompanhar Roberto Carlos na música "É papo firme", de Renato Corrêa e Donaldson Gonçalves. Também tocaram no programa de Jair de Taumaturgo, um dos mais importantes voltados para o rock. Em 1966, lançaram o primeiro LP, pela gravadora SBA, intitulado "Os Terríveis - Hit parade", no qual, além de sucessos internacionais, gravaram "A banda", de Chico Buarque, e "Devolva-me", de Renato Barros e Lilian Knapp. No mesmo ano, lançaram o LP "Onda Jovem", pelo selo SBA, interpretando as músicas "See You In September", de Sid Wayne e Sherman Edwards, "Namoradinha de Um Amigo Meu", de Roberto Carlos, "Black Is Black", de Tony Hayes, Michelle Grainger e Steve Wadey, "Born Free", de John Barry e Don Black, "Tijolinho", de Wagner Benatti, "Eu Não Sabia Que Você Existia", de Renato Barros e Tony, "Winchester Cathedral", de Geoff Stephens, "Veja Se Me Esquece", de Marcos Roberto e Dori Edson, "Walkin', de Brian Bennett, Hank Marvin e Bruce Welch, e "Chorão", de Luiz Keller e Edson Mello. Na gravação deste último LP, saiu o guitarrista Nado, sendo substituído na guitarra base por Milton, conhecido como Zé Colméia. Ainda neste período, o grupo lançou um compacto duplo com músicas de natal. Em 1967, o grupo foi contratado pela Parlophone, ocasião em que saiu o saxofonista Geo, que não integrou o grupo na gravação do LP "Barra limpa", com músicas como "Eu não presto mas eu te amo", de Roberto Carlos, "Barra Limpa", de Martinha, e "A Praça", de Carlos Imperial. Nesta LP Marcos Fontenely, o Nely, fez a guitarra base substituindo o guitarrista Nilton. O grupo se dissolveu em 1968.

Mais visitados
da semana

1 Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)
2 Festivais de Música Popular
3 Sant'Anna
4 Nelson Cavaquinho
5 Noel Rosa
6 Hermeto Pascoal
7 Gilberto Gil
8 Caetano Veloso
9 Alcione
10 Dona Ivone Lara