Busca:

Noel Rosa

Noel de Medeiros Rosa
11/12/1910 Rio de Janeiro, RJ
4/5/1937 Rio de Janeiro, RJ

Crítica

Noel Rosa pode não ter sido o melhor compositor da chamada Época de Ouro da música popular brasileira (1930-1945), mas foi, decerto, o mais importante. De uma importância que pode ser resumida em duas palavras: transformação e integração. Como uma e outra, por si só, não dizem muito, é preciso explicá-las. A transformação que Noel Rosa empreendeu diz respeito à lírica da canção popular. Antes, a letra coloquial, anedótica, debochada, satírica, confinava-se aos limites da canção carnavalesca. As letras ditas “sérias”, principalmente as de cunho romântico, perdiam-se em preciosismos, em imagens parnasianas, em exageros poéticos. Foi Noel Rosa quem demonstrou — com suas letras inspiradas no linguajar do povo, nos episódios do dia-a-dia, nos personagens de sua cidade, nos temas de sua época e ao mesmo tempo de todas as épocas, como os maus governos, a falta de dinheiro, a fome, o crime, a mendicância, a marginalidade, a boêmia — que tudo cabe numa canção “séria”, ainda que haja lugar também para o humor e a crítica irreverente. É verdade que, nessa transformação, ele não esteve sozinho. Pelo menos Lamartine Babo foi um aliado de peso. Mas ninguém, nem mesmo Lamartine, levou tão longe sua proposta: até em suas canções de amor, Noel desce das alturas do poeta derramado para o chão do homem comum. E o faz de forma admirável, única. A letra de música torna-se outra forma de arte depois dele. Quanto à integração, refere-se às conscientes viagens que realizou morro acima (Mangueira, Salgueiro, São Carlos, Serrinha, Gamboa, Favela), atrás dos compositores negros que faziam, nos anos 20 e 30, o melhor samba carioca. Noel tornou-se parceiro deles e, como nenhum outro, integrou-se à estética de cada um. Numa época em que parcerias inter-raciais praticamente inexistiam, o jovem branco, culto, da classe média de Vila Isabel, se uniria a nada menos de 13 sambistas de morro (entre os quais Cartola, Bide e Antenor Gargalhada) para enriquecer a música deles e, principalmente, a sua própria. Com isso, seus sambas tornam-se modelos da grande canção popular da Época de Ouro. Tanto nas letras que a partir dele se descobriu serem possíveis (e até aconselháveis) como nas melodias que os

negros lhe passaram. A que outro compositor-letrista daquele tempo se pode atribuir igual importância?

João Máximo

Mais visitados
da semana

1 Jota Raposo
2 Hermeto Pascoal
3 Nelson Cavaquinho
4 Caetano Veloso
5 Noel Rosa
6 Chico Buarque
7 Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)
8 Luiz Gonzaga
9 Milton Nascimento
10 Festivais de Música Popular