Busca:

Nílton Bastos

Nílton Bastos
12/7/1899 Rio de Janeiro, RJ
8/9/1931 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Começou desde jovem a freqüentar as rodas de samba e ranchos carnavalescos da época, como o Ameno Resedá e Flor de Abacate. Na década de 1920, já freqüentava o Bar e Café Apolo, reduto dos sambistas e compositores que, como ele, desenvolveram esse gênero no Rio de Janeiro. Tinha como companheiros nessas rodas Ismael Silva, Baiaco, Bide, Brancura, Mano Rubem e muitos outros. Começou a compor em parceria com Ismael Silva.

Em 1929 teve sua primeira música gravada, o samba "O destino Deus é quem dá", por Mário Reis na Odeon, um dos sucessos do ano.

No final da década de 1920, Francisco Alves manifestou a Ismael Silva o desejo de gravar suas músicas, com a condição de que seu nome constasse nos créditos como co-autor. Ismael então impôs que o nome de Nilton Bastos, seu parceiro habitual, também fosse incluído. Esse episódio deu margem a que a autoria de diversos sambas assinados pelos três causasse polêmica. Entre esses, o antológico "Se você jurar", sucesso no carnaval de 1931 com a interpretação de Francisco Alves e Mário Reis na Odeon. "Se você jurar", além de um clássico, tornou-se um dos principais modelos de samba dos anos 1930, quando os sambistas e compositores ligados à primeira escola de samba, "Deixa falar", entre eles, Ismael e Nílton, começaram a "desamaxixar" o samba. Francisco Alves passou a ser co-autor em muitas outras músicas da dupla, quase sempre sem ter composto efetivamente as peças que assinava. A época, contudo, admitia éticamente tal procedimento, já que a MPB era considerada um produto de menor valor financeiro. A polêmica sobre a verdadeira autoria de "Se você jurar" ainda persiste. Há indícios, segundo descendentes do compositor, de que "Se você jurar" tenha sido composto apenas por Nílton Bastos. Tal afirmação nunca chegou a ser provada. Ismael dizia que a primeira parte era de Nílton, com sua ajuda e a segunda toda sua. Para Mário Reis, o samba era só de Nílton Bastos. Já Francisco Alves, declarou em sua autobiografia que a segunda parte do samba era toda sua.

Outros sambas em parceira com Ismael fizeram sucesso com a dupla Francisco Alves e Mário Reis: "Não há", em 1931; "O que será de mim", em 1931 na Odeon e "Nem é bom falar", gravado só por Francisco Alves em 1931, também na Odeon. Integrou também o grupo "Bambas do Estácio", que acompanhava Francisco Alves nas gravações. Em 2011, foi lançado pelo selo Discobertas em convênio com o ICCA - Instituto Cultural Cravo Albin a caixa "100 anos de música popular brasileira" com a reedição em 4 CDs duplos dos oito LPs lançados com as gravações dos programas realizados pelo radialista e produtor Ricardo Cravo Albin na Rádio MEC em 1974 e 1975. No volume 1 está incluído seu samba "Se você jurar", com Ismael Silva e Francisco Alves, na gravação de Paulo Marquez.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Noel Rosa
3 Eumir Deodato
4 Dorival Caymmi
5 Geraldo Pereira
6 Chico Buarque
7 Pixinguinha
8 Lupicínio Rodrigues
9 Roberto Carlos
10 Romildo