Busca:

Nestor de Holanda

Nestor de Holanda Cavalcanti Neto
1/12/1921 Vitória de Santo Antão, PE
14/11/1970 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Produziu grande quantidade de composições populares, entre elas "Quem foi?", "Seu nome não é Maria", "Xém-ém-ém" (que figurou na trilha sonora de um filme de Walt Disney ), "Periquito da madame", "Último beijo", "Muito agradecido", "Eu sei que ele chora", "Meu mundo é você". Em 1941, transferiu-se para o Rio de Janeiro. Na capital federal foi redator de "A Cena Muda", "Revista da Semana", "Brasilidade", "Vida", "Deca" e das rádios Vera Cruz, Transmissora e Educadora.

Trabalhou em diversos jornais - "Folha Carioca", "Democracia", "O Imparcial", "A Noite", "Folha do Rio", "Shopping News", "Diário Carioca", "Última Hora" e "Diário de Notícias" -, revistas - "Manchete", "A Noite Ilustrada", "Carioca" - estações de rádio - Clube Fluminense, Cruzeiro do Sul, Clube do Brasil, Globo, Nacional e Ministério da Educação e Cultura, da qual era redator - emissoras de televisão - Continental, Excelsior, Rio. Escreveu muito para teatro: as revistas "A Bomba da Paz", "Está em Todas", "TV para Crer", "Terra do Samba" e as comédias "Um Homem Mau" e "A Bruxa". Foi fundador da SBACEM, e da SADEMBRA, e filiado à Sociedade Brasileira de Autores Teatrais e à Associação Brasileira de Imprensa - ABI.

Foi parceiro de Luiz Gonzaga, Ary Barroso, Ismael Neto, Haroldo Lôbo e muitos outros. Seus maiores sucessos foram o samba-canção "Quem foi?", em parceria com Jorge Tavares, gravado por Aracy de Almeida pela Odeon em 1947, e a marcha "O periquito da madame", em parceria com Carvalhinho e Afonso Teixeira, gravada pelo conjunto Quatro Ases e um Coringa na Odeon em novembro de 1946. No mesmo ano, lançou o frevo-canção no carnaval do Rio de Janeiro, com "Regina", gravado pelo cantor Jorge Tavares e pela Orquestra Tabajara. Em 1950, fez com Fernando Lôbo o samba "Ele já voltou", gravado por Neusa Maria e a batucada "O vizinho é do contra", gravado por Stelinha Egg, ambos na Sinter. No ano seguinte, a mesma Neusa Maria gravou, também na Sinter, o baião "Eu sei que ele chora", parceria com Ismael Neto e, José Ramos gravou na Copacabana o samba "Gastei tudo", com Domingos Costa e Geraldo Medeiros. Em 1952, Neusa Maria gravou seu samba canção "Os seus olhos dizem", parceria com Manezinho Araújo.

Em 1953, Olivinha Carvalho gravou a marcha "Dança chinesa", parceria com Haroldo Lobo. Em 1956, compôs com Luiz Bandeira a marcha "Diabo te carregue", gravada pelo próprio Luiz Bandeira na Sinter. Em 1957, João Dias gravou na Copacabana o samba "Vou procurar outro bem", parceria com Ary Barroso. Em 1959, compôs com Lúcio Alves o samba canção "Muito agradecida", gravado por Nora Ney na RCA Victor.

Está entre os escritores que mais venderam no Brasil e que tiveram o maior número de obras traduzidas. Livros seus, como "Diálogo Brasil - URSS", "O mundo vermelho", "Sossego - Rua da Revolução", "Jangadeiros", "A ignorância ao alcance de todos", "Itinerário da paisagem carioca" e outros, figuram entre os recordistas de venda, alguns com edições sucessivas, tendo o último lhe rendido o título de Cidadão Carioca, por decisão da Assembléia Legislativa do então ainda Estado da Guanabara. Faleceu em 14 de novembro de 1970, na cidade do Rio de Janeiro.

Mais visitados
da semana

1 Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)
2 Sant'Anna
3 Noel Rosa
4 Festivais de Música Popular
5 Hermeto Pascoal
6 Moacir Bedê
7 Gilberto Gil
8 Nelson Cavaquinho
9 Candeia
10 Caetano Veloso