Busca:

Mussum

Antônio Carlos Bernardes Gomes
7/4/1941 Rio de Janeiro, RJ
29/7/1994 São Paulo, SP

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

No ano de 1960 formou o grupo carioca Os Sete Morenos, que passou a se chamar Os Originais do Samba, em 1961. Com o grupo gravou onze discos pelo selo RCA Victor “Os Originais do Samba” (1969), “Os Originais do Samba Vol. 2” (1969), “Samba é de lei” (1970), “Originais do samba exportação” (1971), “O samba é a corda, Os Originais a caçamba” (1972), “É preciso cantar” (1973), “Pra que tristeza” (1974), “Alegria de sambar” (1975), “Em verso e Prosa” (1976), “Os bons sambistas vão voltar” (1977). “Aniversário do Tarzan” (1978), “Clima Total” (1979). Foi o primeiro conjunto de samba a se apresentar no Teatro Olympia em Paria (França). Em 1965 estreou como humorista no programa Bairro Feliz, da TV Globo. Foi nos bastidores que Grande Otelo lhe deu o apelido de Mussum, peixe escorregadio e liso, difícil de pegar. Participou, com Os Originais do Samba, de show realizado no Teatro Bela Vista, em São Paulo, ao lado de Baden Powell e Márcia. O registro do show foi lançado em LP pelo selo Philips em 1968. Como humorista, integrou o grupo Os Trapalhões, ao lado de Renato Aragão, Dedé Santana e Zacarias. Devido a quantidade de compromissos que assumiu com o grande sucesso do grupo, deixou Os Originais do Samba. Atuou em 27 filmes com o grupo.  Tornou-se nos anos de 1970 e 1980 um dos poucos artistas negros mais populares na TV. Em 1978 lançou seu primeiro disco solo “Água benta”, que incluiu as músicas autorais “Foi melhor assim” (c/ Neoci e Dedé da Portela) e “É ouro só” (c/ Almir), e também “Artigo esgotado” (Luiz Carlos da Vila), “Malandro quilombola” (Ari do cavaco), “Nego Juca” (Arlindo Cruz e Zeca Pagodinho), “Chiclete de hortelã” (Zeca Pagodinho), entre outras. Em 1980 e 1983 lançou, pelo selo RCA Victor, dois LPs intitulados “Mussum”. Também pelo selo RCA Victor lançou em 1981 um single e um compacto, e em 1982 um single com as músicas “O amigo da criança (Melô do piniquinho)” (Mussum e Silvio da Parada) e “Camisa 10” (Hélio Matheus e Luis Vagner). Em 1983 lançou, pelo selo EMI-Odeon, um compacto simples com Dedé Santana e Zacarias, que inclui as faixas “Todo mundo deve ser mais criança” (Renato Corrêa e Cláudio Rabello) e “Vamos a luta” (Mussum, Neoci, Adilson Victor e Jorge Aragão). Em 1987 lançou, pelo selo Continental, o LP “Mussum”, com as músicas autorais “Because Forever” (c/ João Nogueira) e “Madureira, Vaz Lobo e Irajá” (c/ Jorge Aragão e Neoci). Em 2014 foi lançada a biografia “Mussum forévis – Samba, mé e Trapalhões”, escrita pelo jornalista Juliano Barreto, pela editora Leya.

Mais visitados
da semana

1 Hermeto Pascoal
2 Caetano Veloso
3 Dorival Caymmi
4 Tom Jobim
5 Luiz Gonzaga
6 Festivais de Música Popular
7 Irmãs Galvão
8 Ângela Maria
9 Beth Carvalho
10 Nelson Cavaquinho