Busca:

MC Tati Quebra-Barraco

Tatiana dos Santos Lourenço
1980 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

No ano 2000 lançou o CD "Tati Quebra-Barraco", pela gravadora Pipos Records, no qual interpretou 21 composições, entre elas "Montagem Barraco" e "Montagem bota na tcheca". Neste mesmo ano, ao lado de MC Cacau do Dendê, Bonde do Tigrão e MC Sapão, participou da coletânea "Bom até debaixo D'Água - Volume 2", da mesma gravadora, disco no qual interpretou as faixas "Montagem pidona", "Montagem Carcereiro", "Montagem não sou Cocota" e "Montagem soca tcheca".

Em 2001 sua composição "Mega mix Tati" foi incluída na coletânea "Bonde do tesão", da gravadora Pipos Records, disco do qual também participaram Gorila e Preto, Cidinho e Doca, Equipe Pipo's, Bonde do Tigrão, Mr. Catra e Lady Lú. Pela mesma gravadora, ao lado de Cidinho e Doca, Equipe Pipo's e Bonde do Tigrão, participou do disco "Techno Pipo's 2", no qual interpretou de sua autoria as faixas "Techno pidona", "Techno tchutchuco" e "Mega mix Tati". Por essa época, também foi incluída na coletânea "O Melhor dos bailes".

Em 2004, a convite da coligação Cooperativa de Kombi e a Grife Cavalera, participou, ao lado de DJ Edu Corelli e Luis Depeche, do evento underground "D'A Lôka". Foi também uma das principais figuras do documentário sobre o funk carioca, "Sou feia, mas tô na moda", de autoria de Denise Garcia. Neste mesmo ano fez turnê por vários Estados do país, entre eles, Mato Grosso, Bahia, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. Lançou o CD "Boladona", no qual interpretou de sua autoria "Sou feia, mas sou gostosa" e de outros autores "Tapinha atrás, tapinha na frente" (Márcio e Batata DJ), "Satisfação", "Se marcar", "Matemática", "Demorô já é", além da faixa intitulada "Montagem". O CD ainda contou com a participação do grupo Bonde do Tigrão na faixa "Orgia" e faixas assinadas por vários autores, entre eles, Márcio (irmão da cantora), Marquinhos, Boletti, Gustavinho, DJ Batata, Bruno, Marcos e Wagner. Ainda em 2004 A funkeira foi convidada a participar do "Festival Ladyfest", em Stuttgart, que queria uma artista feminina como representante da cultura brasileira. Além do festival, a cantora apresentou-se também em uma festa para convidados no Palácio da República, em Berlim e ainda fez shows em Berlim, Zurique e Amsterdã. A passagem, paga pelo Ministério da Cultura, gerou polêmica em vários jornais no Brasil, chegando o Jornal O Globo Online a criar a pergunta: "funk é cultura?", contando com mais de 500 respostas e opiniões diversas. Parte da sociedade caiu de pau neste empreendimento artístico do governo. Até a própria classe artística ficou dividida com relação ao fato. Neste mesmo ano de 2004 participou do "Tim Festival" como convidada de DJ Marlboro

No ano de 2005 o documentário "Sou feia, mas tô na moda" estreou nas Ilhas Britânicas e ainda foi comprado pela rede de TV árabe Al Jazeera, culminando em contratos para show da MC no Golfo Pérsico. Neste mesmo ano lançou o primeiro DVD "MC Tati Quebra-Barraco ao Vivo", no qual foram incluídos seus principais sucessos: "Se marcar", "Kabo kaqui", "Boladona", "Satisfação", "Tapinha atrás", "Tapa na frente", "Vou botar você na pista", "Montagem cartão magnético", "Barraco II", "Matemática", "Pidona", "Assadinha", "Soca tcheca", "Dako é bom", "Montagem guerreira", "Comigo ninguém pode" e "Demoro já é".

No ano de 2006 foi envolvida em outra polêmica, desta vez acusada de calúnia por policiais do 2º BPM da Maré e de difamação pela Assessoria Jurídica da Polícia Militar, por ter alegado que a PM "São todos mortos de fome e se vendem por qualquer R$ 10,00" . De acordo com o processo a funkeira diz ter sido vítima de tentativa de extorsão por partes dos policiais. A funkeira já havia sido presa, neste mesmo ano, portando maconha, tendo recebido pena alternativa. Ainda em 2006 fez turnê por várias cidades da Argentina.

Seus maiores sucessos foram "Barraco 1", "Barraco 2", "Techno tchuchuco", "Assadinha", "Soca tcheca" e "Dako é bom", esta última sua homenagem aos fogões da marca Dako, nos quais trabalhava quando era cozinheira de uma creche.

Foi incluída em muitas coletâneas de funk, entre as quais "Funk carioca", da gravadora Unimar Music e "Festa funk", da gravadora Universal Music, qual também participaram outros expoentes do funk carioca Bonde do Tigrão, Gaiola das Popozudas, Malha Funk e Mc Serginho.

Mais visitados
da semana

1 Agnaldo Timóteo
2 Claudio Cartier
3 Tiee
4 Noel Rosa
5 Sivuca
6 Gonzaguinha
7 Tom Jobim
8 Vinicius de Moraes
9 Luiz Gonzaga
10 Caetano Veloso