Busca:

Max Nunes

Max Newton Figueiredo Pereira Nunes
1922 Rio de Janeiro, RJ
2014 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Estreou como roteirista em 1948, no programa "Barbosadas", na Rádio Nacional. No mesmo ano, foi roteirista do filme "E o Mundo se Diverte", de Watson Macedo. Na Rádio Nacional criou o famoso programa "Balança Mas Não Cai", que se tornaria seu maior sucesso como redator e que ganhou versões para o cinema, o teatro e a TV. Teve sua primeira composição gravada em 1948, o samba "Antenor", com Castro Barbosa, lançado pelo mesmo Castro Barbosa, em disco Star. Em 1951, a marcha "Tamanduá", com Evaldo Ruy, foi lançada pela cantora Neusa Maria, em disco Sinter, sendo ainda incluída no LP "Carnaval em ''Long Playing'', da gravadora Capitol, o primeiro LP gravado no Brasil. Em 1953, teve duas composições gravadas: o samba "Hino À Vida", com Vicente Paiva e J. Maia, lançado por Aracy Cortes, pela Odeon, e a marcha "Homem É O Rui", com Paulo Gracindo e Afonso Brandão, registrada pelo cantor Germano, em disco Sinter. Em 1954, o samba "Garoa", com Lindolfo Gaya e J. Maia, foi gravado por Waldir Calmon, no LP "Feito para Dançar Nº 2 - Waldir Calmon e Seu Conjunto", da gravadora Rádio. Em 1956, a marcha "Pataco-taco", com Erasmo Silva, foi gravada em disco Mocambo pelo cantor Erasmo Silva. No mesmo ano, o cantor Déo, o "Ditador do Sucesso",  como era conhecido, gravou, na Columbia, o fox "Se Eu Ganhasse Um Elefante". Em 1958, fez com J. Maia, as marcha "Pra Que É Que Eu Vim Do Norte", gravada por Nádia Maria, e "Peço a Palavra", registrada com grande sucesso por Mário Tupinambána, no lado B do mesmo disco lançado pela Copacabana. Nesse ano, teve mais duas composições gravadas, o samba choro "Madame Broto", com J. Maia, na voz de Nádia Maria, e a marcha "Meu Carnaval", também com J. Maia, registrada por Nilton Paz, ambos em disco Copacabana. Em 1959, a cantora Nádia Maria, pela  Copacabana, gravou a rancheira "Noivado Longo", com J. Maia e Mário Brazini. No mesmo ano, a cantora Iris Valle lançou o bolero "Tortura", com J. Maia, que foi registrado no mesmo período por Gilberto Alves. Em 1960, a marcha "Meu Barraco", com J. Maia, foi gravada por Nilton Paz sendo inclída no LP "Tudo É Carnaval Nº 2", do selo Carnaval/Copacabana. Em 1961, a marcha "Carne de Baleia", com Afonso Brandão, foi lançada na Copacabana pela cantora Marina Miranda, em gravação que seria ainda incluída no LP "Carnaval de Graça". No mesmo ano, no LP "É Carnaval! É Carnaval!", da gravadora Copacabana, teve registrada a marcha "Peço a Palavra", com J. Maia, na voz de Mário Tupinambá. Teve ainda a rancheira "Noivado Longo", com J. Maia e Mário Brazini, registrado pela cantora Lucinete, pelo selo Sertanejo. Em 1962, escreveu seus primeiros programas para a televisão: "May Fair Show" e "Times Square", ambos para TV Excelsior. No mesmo ano, seu samba "Lição De Bossa Nova", foi gravado por Nádia Maria, em disco Copacabana. Em 1964, transferiu-se para TV Globo onde, juntamente com Haroldo Barbosa, passou a assinar o programa humorístico "Bairro Feliz". No mesmo ano, foi lançado pela gravadora  Copacabana o LP "My Fair Show - Orquestra TV-Espetáculos e Coral Excelsior de Joab Teixeira", com arranjos dos maestros Pachequinho e Pernambuco, com as músicas do famoso musical apresentado pela TV Excelsior. Constam desse disco suas composições "My Fair Show", "Tubinhos da Colombo (Brotos de Tubinho)", "Baby Doll", "Piscina do Copa", "O Carro", "Velhinhas", "Telefone de Brotinho", "Que Será", "Chinês", "Pescador" e "Caçadores", todas em parceria com João Roberto Kelly e Maurício Sherman. Em 1965, a marcha "Telefone de Brotinho", com João Roberto Kelly e Maurício Sherman, foi gravada por Jorge Benjor, então ainda Jorge Ben, no LP "Big Ben", da gravadora Philips. Em 1967, teve três composições gravadas, as marchas "Leilão", por Zé Trindade, no LP "Zé Trindade e Suas Brincadeiras Juninas", da RCA Victor, "A Italiana", com Laércio Alves, registrada por Bárbara Martins, no LP "Carnaval Ranger 1967 - VOL. 1", da gravadora Ranger, e "Napoleão (Delícia de Guerra)", com Laércio Alves, lançada por Noel Carlos, no LP "O Verdadeiro Carnaval", do selo Entré/CBS, sendo também registrada no LP "Baile de Gala do Teatro Municipal do Rio de Janeiro", do selo Sideral, gravado ao vivo no Teatro Municipal do Rio de Janeiro pela Banda Sonora. Em 1968, adaptou para a televisão o famoso programa radiofônico "Balança Mas não Cai", apresentado na TV Globo. Em 1969, a marcha "Que Me Contas (Pra Caminha)", com Laércio Alves, foi gravado pelo comediante Agildo Ribeiro, em compacto duplo da Polydor. Ainda em 1969, conheceu aquele que seria seu maior êxito como compositor, a marcha-rancho "Bandeira Branca", com Laércio Alves, gravada por Dalva de Oliveira para o LP "Carnaval '70 - VOL. 2", da Odeon e que se consagraria como o último grande sucesso da cantora e um dos maiores clássicos da música popular brasileira, recebendo seguidas gravações de nomes como Pery Ribeiro, Simone, Altemar Dutra, Martinho da Vila, Miltinho, Maria Bethênia, e Maria Rita, entre outros e outras. Ainda em 1970, visando o carnaval do ano seguinte, teve mais duas parcerias com Laércio Alves gravadas pela cantora Dalva de Oliveira, as marchas "A Lágrima" e "Teus Olhos", ambas para a coletânea "Carnaval '71", da Odeon. Em 1971, teve gravadas as marchas "Carnaval da Saudade" e "Pingo D'água", ambas com Laércio Alves, por Dircinha Batista, e "Cinco Pras Cinco", também com Laércio Alves, interpretada por Linda Batista, as três para o LP "Carnaval 1972", do selo Entré/CBS. Ainda em 1972, criou mais um sucesso televisivo, apresentado pela TV Globo, o seriado "A Grande Família", adaptado a partir de original de Oduvaldo Viana. Em 1973, criou o humorístico "Satiricom", na mesma TV Globo. Em 1974, inscreveu com Laércio Alves, a marcha "Romeu e Julieta" gravada por Blecaute para o LP "Carnaval 75 - Convocação Geral", da Som Livre, promotora juntamente com a TV Globo de evento destinado a revelar novas marchas carnavalescas. Em 1975, seu samba "No Tempo de D João", com Laércio Alves, foi gravado por Juraci, para o LP "Oba Oba - O QG do Samba", da gravadora Continental. Em 1976, escreveu outro humorístico de grande sucesso, "Planeta dos Homens", para a TV Globo. Em 1979, a marcha "Tá Todo Mundo Enrolando", com Guio de Morais e Laércio Alves, foi gravada por Noel Carlos, para o LP "Gandaia Carnaval de 1980", do selo Independente Ytamaraty. Em 1981, a marcha "Bô Francineide", com Laércio Alves, referente a personagem vivido pelo comediante Jô Soares em programa humorístico de televisão, foi registrada por Noel Carlos, para o LP "Carnaval 82 - As Marchinhas Estão de Volta" da garavadora K-Tel. De carreira marcante como criador de programas de televisão, especialmente humorísticos, teve composições gravadas por nomes como Linda Batista, Dircinha Batista, Noel Carlos, , Waldir Calmon e Dalva de Oliveira, entre outros. Roteirista durante anos de programas de entrevistas de Jô Soares em várias emissoras de tevê, entrou para a História da música popular brasileira, especialmente, pela co-autoria da marcha-rancho "Bandeira Branca".

Mais visitados
da semana

1 Chitãozinho e Xororó
2 Festivais de Música Popular
3 Caetano Veloso
4 Hermeto Pascoal
5 Tom Jobim
6 João Gilberto
7 Dorival Caymmi
8 Noel Rosa
9 Luiz Gonzaga
10 Chico Buarque