Busca:

Mário Mascarenhas

Mário Mascarenhas
21/1/1929 Cataguazes, MG

Dados Artísticos

Contratado pela RCA Victor, estreou em discos em 1952 quando gravou de sua autoria o chamego "Fandango na Cinelândia", e de sua parceria com Laureano Rangel, o baião "Acariciando". Em 1953, atuou como astro principal do filme "O canto da saudade". Nesse ano, gravou de sua autoria os baiões "Vagabundo", "Briga de marimbondo" e "Ranchinho encantado", o paso doble "Glórias de toureiro", a marcha "Centenário glorioso", e o choro "Lá vai Maria Fumaça". Ainda no mesmo ano, gravou na Continental em dueto de acordeons com Dilu Melo o maxixe "Escorregue o pé", de Dilu Melo e B. Toledo, e a guarânia "Linda guaxiny", de sua autoria. Em 1954, fez um recital de mil acordeons no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Nesse ano, gravou um de seus maiores sucessos, o bolero "Amor cigano", de sua autoria, além do baião "Marrocos", de Pedro Santos e Jorge Gonçalves, e o chamego "Carrapicho", de Humberto Teixeira. Gravou ainda, com Nelson Gonçalves, o samba-canção "O assobiador", e com Wilson Roberto, a marcha "Deus! Salve o Brasil", de sua autoria. Também no mesmo ano, gravou a valsa "Festa de aniversário", a rancheira "Eu quero é confusão" e a tarantela "Alma cigana". Fez em 1955 a valsa "Amor de boneca" gravada por Carlos Galhardo na RCA Victor, e o fox-trot "Salomé", gravado por Rogéria na Odeon. No mesmo ano, a composição "Salomé" foi gravada por João Dias na Copacabana em forma de bolero. Também no mesmo ano, gravou ao acordeom o bolero "Salomé", a valsa "Coração de Conchita", homenagem a sua mulher, a vedete Conchita Mascarenhas, a marcha "Um português no Brasil", a polca "Polca dos beijos", o bolero "Iara", e o fox "Salamaleque", todas de sua autoria. Em 1956, teve o bolero "Amor cigano" gravado por Cauby Peixoto no LP "Canção do rouxinol", o baião "O califa de Copacabana", com José Selma, foi lançado pelos Trigêmios Vocalistas na Sinter, enquanto o samba "Uma noite no Rio", com Jairo Aguiar e Aor Ribeiro, foi gravado por Arnaldo Rey na Polydor, tornando-se um dos grandes sucessos do ano. Ainda em 1956, gravou o baião "O califa de Copacabana", parceria com José Selma, a "Rapsódia sueca", de Hugo Alfreen, e a quadrilha "Pedido de casamento", e o fox "Pássaro azul", de sua autoria. No ano seguinte, o rock-balada "Caprichos de amor", com Jairo Aguiar foi registrado por Raul Moreno na RGE, e por Jairo Aguiar na Copacabana. Ainda em 1957, lançou o tango "Tango do desejo", de sua autoria, o beguine "Só com você tenho paz", de Pereira Santos e Avarese, o fox-balada "Caprichos de amor", parceria com Jairo Aguiar, e o choro "Choro de criança", de Fat's Elpídio. Para o ano seguinte, gravou o maxixe "Brasil, jardim do mundo", de sua autoria, e a marcha "Espalha brasa", de Zequinha de Abreu. Ainda em 1958, gravou com Conchita Mascarenhas o mambo "Tequila", de Chuck Rio e Paulo Rogério, e a rumba "Yo lo quiero", de Vicente Paiva e Mário Meira Guimarães. Em 1959, o calipso-rock "O herói de lambreta", parceria com com Jairo Aguiar, foi gravado por Jairo Aguiar na Copacabana. Com mais de vinte músicas gravadas ao longo da carreira, seus métodos para acordeom continuaram a ser utilizados por sucessivas gerações de músicos.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Assis Valente
3 Nelson Gonçalves
4 Nelson Cavaquinho
5 Caetano Veloso
6 Chico Buarque
7 Dorival Caymmi
8 Tom Jobim
9 Noel Rosa
10 Música Sertaneja