Busca:

Mariene de Castro

Mariene de Castro
12/4/1978 Salvador, BA

Dados Artísticos

Começou a carreira profissional em 1995 fazendo vocais nas bandas de Márcia Freire, Carlinhos Brown e no grupo Timbalada. No ano seguinte, em 1996, levada por Vicente Sarno, apresentou-se no projeto "Pelourinho Dia e Noite" em seu primeiro show solo. Neste mesmo ano, a convite de dois produtores franceses que estavam no show, recebeu convite para uma turnê por 20 cidades na França com o show "Iluminada". De volta ao Brasil passou a se apresentar nos principais palcos da capital baiana, entre os quais Teatro ACEBEU, no "Projeto Terças da Boa Música"; Concha Acústica do Teatro Castro Alves, no "Projeto Sua Nota é Um Show de Solidadriedade" e no Teatro XVIII, em temporada com o show "A Força que vem da Raiz". Também fez show no Teatro Dona Canô, em Santo Amaro da Purificação e se apresentou no "Festival de Inverno" da cidade de Lençóis, interior da Bahia. Em 2004 passou a ser a cantora principal do Bloco Carnavalesco Bloco Cortejo Afro. Neste mesmo ano lançou o CD "Abre caminho", patrocinado pelo "Prêmio Brasken de Música", disco no qual foram incluídas as faixas "Quebradeira de coco" (Roque Ferreira), "Ilha de maré" (Walmir Lima e Lupa), "Raiz" (Roberto Mendes), "Planeta água" (Guilherme Arantes), "Guaraximbola" (Roque Ferreira e Paulo César Pinheiro), "Poema para uma tribo" (Clóvis), "Cantiga de cangaceiro" (Roque Ferrreira), "Mulher" (Anônimo), "Nonô" (Roque Ferreira), "Prece de pescador" (Mariene de Castro), "Flor de muçambê" (Roque Ferreira),  "Estrelas" (Caetano Veloso), "Cantigas de São Cosme e São Damião" (D.P), "Samba no terreiro" (Roque Ferreira), "Pontos de caboclo" (D.P) e a faixa-título "Abre caminho", composta em parceria com Roque Ferreira e J. Velloso. Participou do "Projeto Santo de Casa", do Teatro Castro Alves, onde fez o lançamento do disco. No ano seguinte, em 2005, recebeu o "Prêmio Tim de Melhor Disco" na categoria "Regional" e o "Prêmio Rumos do Itaú Cultural" pelo disco "Abre caminho". Neste mesmo ano de 2005 apresentou-se em Paris, em show em que comandou a lavagem das escadarias da Igreja de Santa Madalena, em festa espelhada na lavagem do Senhor do Bonfim, em Salvador.  No ano de 2006  o CD "Abre caminho" foi lançado nacionalmente pelo selo Cavaleiros de Jorge, da Gravadora Eldorado. Ainda em 2006 participou da gravação ao vivo do CD e DVD "Beth Carvalho canta o samba da Bahia" no Teatro Castro Alves, interpretando em dupla com a anfitriã a composição "Raiz", de autoria de Roberto Mendes. No ano seguinte o trabalho foi lançado pelo Selo Andança, de propriedade de Beth Carvalho e distribuído nacionalmente pela gravadora EMI. O disco foi lançado neste mesmo ano de 2007 em show no Canecão, no Rio de Janeiro, onde fez participação especial. Em 2008 fez turnê por várias cidades da Espanha, participou da trilha sonora do longa metragem "Mujeres del Mundo" interpretando a música "Elas contam" e da trilha sonora do filme "Ó, paí, Ó!", de Monique Gardenberg com trilha composta por Caetano Veloso e Davi Moraes, mas com músicas de outros autores baianos como "Ilha de Maré" (Walmir Lima e Lupa), a qual interpretou na fita. Participou da trilha sonora do filme "Jardim das Folhas Sagradas", de Póla Ribeiro, do "Projeto Música no Parque", do evento "Dia Nacional do Samba", no Rio de Janeiro e como convidada de Beth Carvalho no show nos Arcos da Lapa, acompanhada pelo conjunto paulista Quinteto em Branco e Preto. No ano de 2009 apresentou-se no "Projeto Santo de Casa", do Teatro Castro Alves. Em 2010 participou do programa "Samba na Gamboa", apresentado por Diogo Nogueira na TV Brasil e participou como convidada do cantor em show no Circo Voador, no Rio de Janeiro. Neste mesmo ano lançou no Teatro Castro Alves o CD "Santo de casa - Ao Vivo". No disco, coproduzido com o músico Gerson Silva, e com direção musical de Jurandir Santana, contou com as participações especiais de Dona Nicinha de Santo Amaro, Rita da Barquinha, Ganhadeiras de Itapoan e do Grupo Pim e Vozes da Purificação, interpretou alguns de seus trabalhos mais conhecidos e ainda incluiu inéditas em sua voz. Entre as faixas apresentadas constam "Falsa baiana" (Geraldo Pereira), "De maré" (Roque Ferreira e Toninho Geraes), "Raiz" (Roberto Mendes), "Ilha de maré" (Walmir Lima e Lupa), "Vi Mamãe Oxum na cachoeira" (Domínio Público), "Abre caminho" (c/ Roque Ferreira e J. Velloso), "Prece de pescador" (Mariene de Castro), "Vi mamãe na areia" (Mariene de Castro), "Saudação", "Temporal", "Chico e Chica", "Cirandas" e "Samba de terreiro", de Roque Ferreira. Ainda em 2010 apresentou-se em temporada do show "Meu cumpadre Ferreira", no Pelourinho e atuou no filme "Ensolarado", curta-metragem de Ricardo Targino, lançado no "Festival de Cinema de Paulínia". No ano de 2012 lançou, pela gravadora Universal Music, o CD "Tabaroinha", produzido por Alê Siqueira, no qual interpertou, entre outras faixas, "Ponto de Nanã" (Roque Ferreira), "Estrada do Canindé" (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira), "Filha do mar" (Flávia Wenceslau), "A pureza da flor" (Arlindo Cruz), "Um ser de luz" (João Nogueira, Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro), "Roda ciranda" (Martinho da Vila), "Orixá de frente" (Roque Ferreira), "Amuleto da sorte" (Nélson Rufino), "Marujo" (Roberto Mendes e Nizaldo Costa), "Tia Anastácia" (Dorival Caymmi), "Foguete", (Roque Ferreira e J. Velloso) e "Isto é bom" (Xisto Bahia), incluída na trilha sonora da novela “Lado a Lado”, da Rede Globo. O show de lançamento do disco aconteceu no Teatro Rival Petrobras. Neste mesmo ano particpou da homenagem ao compositor João Nogueira, do qual regravou no CD, DVD e blu-ray "Samba Book", a faixa "Um ser de luz", de João Nogueira, Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro. Ainda em 2012 se apresentou, ao lado de Arlindo Cruz, na 23ª edição do “Prêmio da Música Brasileira”, realizada no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, na qual interpretaram a música “Nação” de Aldir Blanc, Paulo Emílio e João Bosco, o grande homenageado do evento. Foi convidada por Arlindo Cruz para participar do show de pré-lançamento do DVD “Batuques do meu lugar”, apresentado no Citibank Hall , no Rio de Janeiro. Participou como convidada especial da roda de samba realizada por Toninho Geraes no Clube Renascença, no Rio de Janeiro. Realizou uma pequena temporada de shows no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, acompanhada dos músicos Iuri Passos, Fábio Cunha, Jaime Nascimento, Marcelo Pinho e André Souza (percussão), Eduardo Reis, Israel Ramos, Cicinho e Marcos Bezerra (harmonia). Apresentou o espetáculo “Roda a baiana”, no Centro Cultural Imperator - João Nogueira, no Rio de Janeiro, recebendo como convidados os artistas Arlindo Cruz e Diogo Nogueira. Apresentou o show “Ser de Luz”, incluído na série “Clara”, ciclo de homenagens à cantora Clara Nunes idealizada pelo jornalista Vagner Fernandes para o Canal Brasil. O show, realizado no Espaço Tom Jobim, no Rio de Janeiro, contou com as participações de Zeca Pagodinho, em “Coisa da antiga” (Wilson Moreira e Nei Lopes); de Diogo Nogueira, em “Juízo final” (Nelson Cavaquinho e Élcio Soares); das pastoras da Portela, Áurea Maria, Neide Sant’Anna e Surica, em “Portela na avenida” (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro). O show teve direção musical de Alceu Maia e o acompanhamento de músicos como Luís Filipe de Lima, Cícero Assis, Iuri Passos, Fábio Cunha, Jaime Nascimento, André Souza, Marcelo Pinho, entre outros. Apresentou-se no Teatro Net Rio, no Rio de Janeiro, dentro do projeto “Roda a Baiana”, recebendo como convidado especial o cantor e compositor Jorge Aragão. Foi uma das atrações do “Palco Claro”, montado na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, para as comemorações do Réveillon de 2013. Em 2013 participou do show em comemoração aos seis anos do programa “Samba Social Clube”, da rádio MPB FM, realizado na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro. O show contou com a regência do maestro Paulão Sete Cordas e com a participação de artistas como Monarco, Arlindo Cruz, Almir Guineto, Xande de Pilares, Diogo Nogueira, entre outros. Nesse mesmo ano lançou, pelo selo Universal Music, o CD/ DVD “Ser de Luz – Uma homenagem à Clara Nunes”, registro do show apresentado no Espaço Tom Jobim, no Rio de Janeiro, em 2012. Com direção musical de Alceu Maia, o disco em tributo à cantora mineira contou com as participações de Diogo Nogueira em “Juízo final” (Nelson Cavaquinho e Élcio Soares) e Zeca Pagodinho em “Coisa da antiga” (Wilson Moreira e Nei Lopes). Apresentou o show de lançamento do DVD “Ser de Luz”, na casa de shows Vivo Rio, no Rio de Janeiro, acompanhada dos músicos Dudu Silva (cavaquinho), Marcos Bezerra (violão), Israel Ramos (baixo), Cicinho (acordeom), Iuri Passos, Fábio Cunha, Jaime Nascimento, Marcelo Pinho e André Souza (percussões). Na ocasião, recebeu como convidados o cantor Diogo Nogueira e as pastoras da Velha Guarda da Portela, Surica, Áurea Maria e Neide Sant’Anna. Saiu em turnê com o show “Ser de Luz”, apresentando-se no Teatro Castro Alves em Salvador (BA), no Opinião em Porto Alegre (RS), na praça da República em São Paulo, na Casa da Música na cidade do Porto (Portugal). Participou do show “Um barzinho, um violão – Anos 80”, realizado no Salão Segóvia do Windsor Barra Hotel, no Rio de Janeiro, com vários artistas interpretando temas de novelas dos anos de 1980, para a gravação de CD e DVD homônimos, no qual gravou as músicas “Desesperar jamais” (Ivan Lins e Vítor Martins) e “De volta pro aconchego” (Dominguinhos e Nando Cardel).  Em 2014 lançou, pelo selo Universal Music, o CD “Colheita”, produzido por Max Pierre, no qual interpretou músicas como “Retrato da vida” (Dominguinhos e Djavan), “Impossível acreditar que perdi você” (Márcio Greyck e Cobel), “Balancê” (Sara Tavares), “Samba da bênção” (Vinicius de Moraes e Baden Powell), com participação de Beth Carvalho, os sambas inéditos “Eu carrego patuá” (Juninho Thybau, Alexandre Chacrinha e Flavinho Bento), “Me beija” (Arlindo Neto, Marquinhos Nunes e Renato Moraes), “A força que vem da raiz” (Roque Ferreira), este em dueto com Maria Bethânia. Apresentou o show de lançamento do disco na casa de shows Vivo Rio, no Rio de Janeiro, com participações de Hamilton de Holanda, Cícero Assis, Beth Carvalho. Integrou o elenco fixo do show da turnê do “Prêmio da Música Brasileira”, que estreou no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e passou pelos estados do Maranhão, Minas Gerais, Pará, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul. O show foi roteirizado por José Maurício Machiline com consultoria de Beth Carvalho. Participou do “Sambabook Zeca Pagodinho”, lançado nos formatos CD duplo, DVD e blu-ray pelo selo Zeca PagoDiscos/ Universal Music, em 2014. Na ocasião, interpretou “Lua de Ogum” (Ratinho e Zeca Pagodinho). Apresentou-se ao lado de Gilberto Gil na cerimônia da 25ª edição do “Prêmio da Música Brasileira”, homenageando o gênero Samba, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Participou da turnê especial da 25ª edição do “Prêmio da Música Brasileira”, em homenagem ao gênero samba. O registro do show, realizado no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, foi lançado em CD e DVD pelo selo Universal Music. Em 2015 apresentou-se na cerimônia da 26ª edição do “Prêmio da Música Brasileira”, em noite de gala no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, homenageando a cantora Maria Bethânia. Realizou o show “Lindeza” no Theatro Net Rio, no Rio de Janeiro, que incluiu a inédita “Eu quero ir com você” (Flavia Wenceslau). Em 2016 participou da Cerimônia de Encerramento das Olimpíadas 2016, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, na qual interpretou “Nada vai permanecer do jeito que está” (Marisa Monte e Adriana Calcanhoto), enquanto a pira olímpica era apagada, emocionando a plateia presente, que lotou as arquibancadas do estádio, e os espectadores que assistiram à ransmissão ao vivo no mundo todo. Em 2017 realizou o espetáculo “Ribeirinha”, com estreia na casa de shows Vivo Rio, no Rio de Janeiro, sob direção de Antônio Carnevale. Em 2018 apresentou, ao lado do cantor e compositor pernambucano Almério, o show “Acaso casa”, com direção de José Maurício Machline, na casa de shows Natura Musical, em São Paulo. Lançou a inédita “Aos Portugais” da autoria de Roberto Mendes. Apresentou o show “Meu cumpadre Ferreira”, dedicado ao compositor baiano Roque Ferreira, seu amigo de longa data. O show, em comemoração aos seus 20 anos de carreira, foi realizado no Teatro Riachuelo, no Rio de Janeiro. Em 2019 apresentou o show “Roda a baiana” no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, com a participação do Jongo da Serrinha. Nesse mesmo ano lançou o CD “Acaso casa – ao vivo”, registro do show homônimo, que estreou ao lado do cantor pernambucano Almério no ano de 2017. A gravação foi realizada na Casa do Choro, no Rio de Janeiro.

Mais visitados
da semana

1 Creone e Barrerito
2 Trio Parada Dura
3 Tiee
4 Caetano Veloso
5 Noel Rosa
6 Samara
7 Gilberto e Gilmar
8 O Trio do Brasil
9 Zé Paulo
10 Bruno e Marrone