Busca:

Marcio Vip Antonucci

Marcio Augusto Antonucci
24/11/1945 São Paulo, SP
20/1/2014 Angra dos Reis, RJ

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira artística em 1964, como um dos integrantes da dupla Os Vips, destacando-se, também, como compositor, pela autoria das canções "Como se fosse meu irmão" (Lilian), "Longe tão perto" (Os Vips), "A espera" (Painel de Controle), "O jogo acabou" (Perla), "Droga maldita" (Vanusa) e "Borges" (Elenco da TV Colosso).

Em 1965, foi contratado como artista exclusivo da TV Excelsior, atuando como cantor e apresentador do programa "Linha de Frente", dirigido ao público jovem.

De 1966 a 1969, participou, como artista exclusivo da TV Record, dos programas "Jovem Guarda", "Ronnie Von" e "Show do dia 7", como integrante da dupla Os Vips.

Trabalhou também como ator na novela "Algemas de ouro" e na mini-série "Ternurinha e Tremendão".

Participou do júri do programa "Quem tem medo da verdade", colaborando com o diretor Carlos Manga na criação do quadro "Lente da Verdade", no qual era utilizada uma câmera Nikkor de 7 mm, de sua propriedade, chamada "Olho de Peixe", que distorcia a fisionomia dos entrevistados dando mais dramaticidade ao programa.

De 1972 a 1976, exerceuo cargo de produtor musical da Continental Discos, tendo lançado, entre outros, o cantor Agepê, contemplado com três Discos de Ouro, e o conjunto Roupa Nova. Foi responsável, também pelo LP "Novos Baianos Futebol Clube", contemplado com Disco de Ouro, e pelos LPs da série "Os Motokas" (volumes I a XII), que contabilizaram mais de 3.000.000 de discos vendidos.

De 1976 a 1979, atuou como produtor musical da Rede Globo Televisão, onde foi responsável pelos programas "Alerta Geral", "Brasil Especial", "Sandra & Miéle" e "Globo de Ouro".

Trabalhou como produtor musical da gravadora Som Livre, pela qual lançou as séries "Garra Brasileira", "Convocação Geral" e "Samba, suor & ouriço". Assinou, também, a produção musical dos LPs "Maravilhas contemporâneas", de Luiz Melodia, e "Pecado Capital", da trilha sonora da novela homônima da TV Globo, ambos contemplados com Discos de Ouro.

De 1979 a 1981, exerceu o cargo de Diretor Geral do programa "Globo de Ouro" (Rede Globo de Televisão) e foi responsável pela criação dos quadros "O som das discotecas" e "O som da geração 80", esse último gerando um programa semanal devido ao alto índice de audiência.

De 1981 a 1985, atuou como diretor musical da Rede Globo de Televisão, tendo mudado todo o conceito musical das aberturas e vinhetas de todos os programas, com destaque para "A volta da vitória", que marcou a carreira dos pilotos Nelson Piquet e Ayrton Senna.

De 1985 a 1991, exerceu o cargo de diretor musical, de áudio e de sonorização da Rede Globo de Televisão, tendo mudado o conceito sonoro das músicas (novas trilhas e incidentais de novelas) e do áudio (gravações em 16 canais dos programas musicais), com destaque para o programa "Chico & Caetano", lançado em LP pela Som Livre. Assinou a direção musical de todas as trilhas de novelas e séries da Rede Globo de Televisão, como "Roque Santeiro", "Selva de Pedra", "Mandala" e "Tieta", entre outras.

De 1991 a 1995, atuou como diretor musical da gravadora Som Livre, nos fonogramas "Os Vips ao vivo" (volumes I e II), contemplados com quatro Discos de Ouro, e "TV Colosso" (volumes I e II), contemplados com dois Discos de Ouro. Assinou a direção musical e os arranjos do "Show Colosso", que apresentou-se em temporada por todo o Brasil. Foi responsável, na gravadora PolyGram, pela produção musical dos cinco CDs do projeto "30 Anos de Jovem Guarda", (5 CDs), que atingiram vendas superiores a 2.500.000 cópias (dois Discos de Ouro e dois Discos de Platina) e pela direção geral do show que excursionou o Brasil, contabilizando mais de 300 apresentações.

De 1996 a 1997, atuou como diretor geral do programa "Som Brasil" (TV Globo), tendo lançado o grupo Gera Samba (hoje É o Tchan!) e realizado a homenagem a Ângela Maria na comemoração dos 50 anos de carreira da cantora. Foi, também, responsável pela direção geral do "Reveillon da Globo", programa de fim-de-ano com duas horas e meia de duração.

Em 1997, atuou como diretor artístico e de programação da VIP TV em Miami, pela qual apresentou diariamente o programa "Coisas do Brasil" e as novelas e séries da TV Globo nos Estados Unidos.

De 1998 a 2000, trabalhou no projeto "A Discoteca do Chacrinha", tendo sido responsável pela produção musical dos seis CDs, que atingiram vendas superiores a 500.000 cópias (2 Discos de Ouro), e pela direção geral do shows que contabilizaram mais de 30 apresentações pelo Brasil. Em 1999, atuou como Diretor Geral do projeto "Todos pela Educação - Brasil 500 anos" (Rede Globo), apresentado também pela TV Futura, constituído por dez módulos de discussão e planejamento educacional nas principais cidades do país.

Em 2000 e 2001, assumiu o cargo de diretor de programas do SBT, com destaque para a direção geral do concerto "Os 3 Tenores", com José Carreras, Plácido Domingo e Luciano Pavarotti, realizado ao vivo do Estádio do Morumbi (SP). Foi responsável, também, pela direção geral dos programas "Reveillon do SBT", com mais de quatro horas de duração, "A Missa de Fátima", transmitida ao vivo do Estádio da Portuguesa, e "O grande circo místico", com a trilha sonora de Edu Lobo e Chico Buarque. É co-diretor dos programas "Pequenos Brilhantes", com Wilton Franco, e "Canta & Dança", com Luiz Bento, na mesma emissora.

Mais visitados
da semana

1 Durval e Davi
2 Tiee
3 Vinicius de Moraes
4 Gilberto Monteiro
5 Martha Rocha
6 Creone e Barrerito
7 Festivais de Música Popular
8 Mayck e Lyan
9 Alceu Valença
10 Luiz Gonzaga