Busca:

Marcelinho Moreira

Marcelo Moreira
Rio de Janeiro, RJ

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Apareceu inicialmente como músicos acompanhante de vários artistas, entre os quais Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Dunga, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, Mestre Marçal, Dona Ivone Lara e Nei Lopes. Em 1997 passou a integrar o grupo de samba Toque de Prima, do qual também faziam parte Ary Bispo,  Carlinhos Sete Cordas, Dininho, Ovídio Brito,  Wanderson Martins e Fred Camacho. Integrantdo o Toque de Prima lançou três discos: "Toque de Prima" (1997), "Se tem que ser, será" (1999) e "Daqui, dali e de lá" (2004) e participou de vários discos de outros sambistas, tais como Nei Lopes, Cláudio Jorge e ainda de diversas coletâneas de samba. Como percussionista de Martinho da Vila participou de vários shows, não só como acompanhante, mas também como convidados especial do cantor, apresentando-se várias vezes como intérprete. Participou de diversas rodas de samba no Rio de Janeiro, entre as quais a do Clube Renascença, da Quadra da Escola São Clemente e as rodas do Circo Voador, na Lapa, centro do Rio de Janeiro. No ano de 2006 lançou, pelo Selo MZA, o disco "Marcelinho pão e vinho", que contou com produção de Martinho da Vila. Entre as faixas do CD destacam-se "Cachaça não se toma toda vez" (Cláudio Jorge e Mauro Diniz), "Lalauê" (Martinho da Vila e Paulinho Mocidade), "Torresmo à milaneza" (Adoniran Barbosa e Carlinhos Vergueiro), "Acontece" (Cartola), "Pra mãe Tereza" (Martinho da Vila e Beto Sem Braço), "Amor de trapo e farrapo" (Paulo Vanzolini), "Rumo dos ventos" (Paulinho da Viola), "Malandro é malandro, mané é mané" (Neguinho da Beija-Flor), "Que pena, que pena" (Martinho da Vila e Gracia do Salgueiro) e a faixa-título "Marcelinho pão e vinho", inédita de Luiz Carlos da Vila e Hermínio Bello de Carvalho, faixa que contou com a participação de Leci Brandão. Também regravou o samba-enredo "Festa do Círio de Nazaré", de autoria de seu pai Aderbal do Estácio.O disco contou com arranjos de Wanderson Martins em 12 faixas e de Cláudio Jorge (violão) e Mauro Diniz (cavaquinho) nas outras duas restantes. Em 2011 realizou uma temporada de shows no bar Bossa Nossa Lapa, no Rio de Janeiro. Em 2012 participou da gravação do CD/DVD “Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador”, gravado ao vivo no Renascença Clube, sob a regência do maestro Rildo Hora, no qual interpretou a música “Benza, Deus” (Moacyr Luz e Luiz Carlos da Vila). O disco foi lançado em 2013 pelo selo Lua Music.  Em 2013 lançou, pelo selo Sony Music, o CD “Fé no batuque, produzido por Arlindo Cruz e Rogê. O disco, que se abre com a faixa “Filosofia de vida” (Fred Camacho, Marcelinho Moreira e Martinho da Vila), contou com a participação de Martinho da Vila em “Samba sem letra” (Fred Camacho, Marcelinho Moreira e Martinho da Vila), Seu Jorge em “O dia se zangou” (Mauro Diniz e Ratinho), Arlindo Cruz em “Pra bom enté meia pala bá” (Arlindo Cruz e Lenine) e Beth Carvalho em “Nosso amor é preto e branco” (Cláudio Jorge e Marcelinho Moreira). O lançamento do disco foi apresentado no Teatro Rival, no Rio de Janeiro. A partir de 2014 realizou a roda de samba “O canto do batuqueiro”, sempre no último domingo de cada mês, no Clube Renascença, no Rio de Janeiro.

Mais visitados
da semana

1 Vinicius de Moraes
2 Tiee
3 Durval e Davi
4 Mayck e Lyan
5 As Marcianas
6 Festivais de Música Popular
7 Creone e Barrerito
8 Noel Rosa
9 Teresa Cristina
10 Gilberto Monteiro