Busca:

Lulu Santos

Luís Maurício Pragana dos Santos
4/5/1953 Rio de Janeiro, RJ

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Surgiu no cenário artístico em meados dos anos de 1970, quando integrou o grupo carioca de rock Vímana, que também contava com as presenças de Lobão, Fernando Gama e Ritche. Em 1976, integrando o Vímana, gravou um compacto pela Som Livre com as músicas "Zebra" e "Masquarede". Nesse mesmo período, participou de grupos como o Albatroz, Veludo Elétrico e Unziotros. Por essa época, acompanhava Gal Costa e participou como guitarrista do disco "Ave noturna", de Fagner. No início dos anos 80, trabalhou na escolha de repertório das novelas da Rede Globo, pela Som Livre, sob a direção de Guto Graça Mello. Por essa época, compôs a trilha sonora do filme "Os sete gatinhos", de Neville de Almeida. Assinando Luís Maurício, lançou um compacto simples pela gravadora PolyGram com a música "Gosto de batom" (c/ Bernardo Vilhena e Pedro Fortuna). Em 1981, gravou três compactos, todos pela Warner. Seus primeiro "Tesouro da juventude", em parceria com Nélson Motta. Um outro compacto trazia a faixa "Areias escaldantes", com a qual participou do MPB-Shell 81. No ano seguinte, lançou o primeiro LP, "Tempos modernos", que, além de contar com as músicas dos três compactos, trazia também "De repente Califórnia", tema do filme "Menino do Rio", dirigido por Antônio Calmon, além do sucesso "Tempos modernos". O disco foi produzido por Liminha e vendeu 56 mil cópias. O LP seguinte, "O ritmo do momento", lançado em 1983, e também produzido por Liminha, teve como sucessos as músicas "Adivinha o quê" e "Como uma onda - zen-surfismo", parceria com Nélson Motta, que posteriormente ganharia versão em italiano por Massimiliano de Tomassi. O disco vendeu 90 mil cópias e outras faixas também destacaram-se: "Um certo alguém" (c/ Ronaldo Bastos) e "Você teima" (c/ Chacal). No ano de 1984 gravou "Tudo azul", disco que trouxe  os sucessos "O último romântico", "Certas coisas", além da faixa-título. O LP contava também com a canção "Ronca", parceria dele com Rita Lee e Roberto de Carvalho. Com os consecutivos sucessos, tornou-se extremamente requisitado pela mídia. Em 1985 produziu seu disco seguinte, "Normal". O LP foi um fracasso de vendas e crítica, levando-o a uma crise que resultaria na sua saída da Warner. Neste mesmo ano, participou do Rock in Rio. No ano seguinte assinou com a BMG Ariola e lançou o disco "Lulu", também produzido por ele. Ao contrário do anterior, o disco foi um sucesso, alavancado principalmente pelas faixas: "Casa" e "Condição". Esta última, fez parte da trilha sonora da novela "Corpo Santo", da Rede Manchete , além da faixa "Um pro outro", tema da novela "Brega & Chique", da Rede Globo. O LP ganhou o "Disco de Platina" pela vendagem das 250 mil cópias. Na época, recusou-se a receber o prêmio da gravadora alegando não ter chegado a essse total de venda do disco. Seu disco seguinte, "Toda forma de amor", foi lançado dois anos depois. O grande sucesso do LP foi "A cura", a canção mais executada nas FMs do Brasil no ano. A turnê de lançamento do disco passou por 29  cidades brasileiras com um público estimado em 450 mil pessoas. Apresentou esse show com êxito também em Montreux, na Suíça. O sucesso da excursão acabou resultando no primeiro disco ao vivo da sua carreira, o LP "Amor à arte", gravado no Olympia, em São Paulo, no qual foi acompanhado por sua banda Auxílio Luxuoso. O disco incluíu, além seus sucessos, algumas composições inéditas, como "Lei da selva" e "Lá vem o sol", versão dele para "Here comes the sun", do beatle George Harrison. Retornaria ao estúdio em 1990, para gravar "Popsambalanço e outras levadas". Como o próprio nome indica, o disco buscava modular a estrutura pop com a música brasileira. Porém, o LP  foi um fracasso de crítica e público, sendo inclusive considerado pela revista Veja como "o pior disco do rock nacional". Ainda no mesmo ano, um dos mais produtivos de sua carreira, lançaria mais dois discos menos experimentais e mais pop: "Honolulu", com o sucesso "Papo cabeça", e o LP "Mondo cane". O primeiro foi lançado num show na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, com o cantor abrindo o show de Eric Clapton. No início dos anos 90, o rock perdeu o seu espaço na mídia, pois as grandes gravadoras começaram a apostar em outros gêneros, como axé music e pagode. Somente após quatro anos retornaria aos estúdios para gravar o LP "Assim caminha a humanidade". Este disco inaugurou sua parceria com o DJ Memê, que resultaria no CD "Eu e Memê & Memê e eu", lançado em 1995, no qual regravou "O descobridor dos sete mares" (Gilson Mendonça e Michel), "Se você pensa" (Roberto e Erasmo), "Sossego" (Tim Maia) e "Fullgás" (Marina e Antônio Cícero). No ano seguinte, lançou outro disco com forte influência da dance music, "Anti ciclone tropical". No ano de 1997 gravou o CD "Liga lá", com produção de Marcelo Sussekind, e fez uma ponta no filme "O que é isso, companheiro?", de Bruno Barreto, no papel do Sargento Eiras, num diálogo com a personagem de Fernanda Montenegro pelo telefone. Dois anos depois, retomou a sua parceria com Liminha no CD "Calendário", disco que não só produziu como participou tocando baixo e teclados. No ano 2000 lançou "Acústico MTV Lulu Santos", um CD duplo com 27 músicas com tratamento acústico. Além de sucessos antigos, o trabalho trouxe cinco músicas inéditas, incluindo a participação especial de Gabriel, O Pensador na faixa "Astronauta", parceria de ambos. Durante sua carreira produziu boa parte dos seus discos, além dos de outros artistas como os Titãs e Premeditando O Breque. Montou o estúdio "Fubá", no qual produz trabalhos de outros artistas: Christian Oyens, Boato e Léo Maia, este último filho de Tim Maia. Em 2002 lançou o CD "Programa". Deste disco destacou-se a faixa "Todo universo" que virou clipe com direção de Jarbas Agnelli. Por ocasião do novo disco, apresentou-se na casa de show carioca Canecão, dando início a uma turnê nacional. Em 2003, ao lado dos grupos Natiruts,Tribo de Jah, Cidade Negra, Jota Quest, L.S. Jack, O Rappa, Titãs e  Skank, foi uma das atrações do "Pop Festival Telefônica Tim" apresentado na Sociedade Hípica do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano lançou o CD "Bugalu". Neste disco foram incluídas "As escolhas" (com a participação especial de Pedro Camargo Mariano), "Leite e mel" e "Lingua presa", em parceria com Marcos Valle. O disco foi lançado em turnê nacional, com show no Canecão, no Rio de Janeiro. Em julho de 2004 foi o homenageado do "II Prêmio Tim de 2004" e ainda recebeu o prêmio de "Melhor Cantor de Pop-Rock". No evento, ocorrido no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, participaram diversos artistas interpretando parte de sua obra, entre eles, Adriana Calcanhoto ('Como uma onda'), Ana Carolina ('Tudo bem'), Felipe Dylon ('De repente Califórnia'), Lenine ('Certas coisas'), Marcos Valle ('Aviso aos navegantes'), Thaíde, Quelinah e Dj Spaiq ('Condição'). Neste mesmo ano lançou o CD "MTV ao vivo", acompanhado de um DVD, nos quais interpretou alguns de seus maiores sucessos, entre eles, "Condição", "Toda forma de amor", "Tempos modernos", "A cura" e "A casa". Em 2005 lançou, pela gravadora Sony/BMG, o CD "Letra e música", no qual regravou sua composição "Popstar", antigo sucesso do grupo João Penca e Os Miquinhos Amestrados do ano de 1985. No disco também foram incluídas várias composições inéditas, entre elas "Vale de lágrimas", "Gambiarra", "Din don" e "021" e ainda regravou "Ela falava nisso todo dia", de Gilberto Gil. O show de lançamento do disco aconteceu em setembro do mesmo ano no Claro Hall e logo depois em outras casas de São Paulo. No ano de 2007 lançou, de forma independente com distribuição pela gravadora Som Livre, o CD "Longplay", produzido pelo próprio Lulu Santos e Hiroshi, tecladista de sua banda. No disco foram incluídas várias composições inéditas, entre as quais "Olhos de jabuticaba" e  "Domingo maldito", ambas de sua autoria. No ano de 2010 lançou o CD/DVD "Acústico MTV II" na casa de shows Vivo Rio, no Rio de Janeiro. No trabalho foram incluídas composições pouco conhecidas do público como "Dinossauro do rock", "Minha vida" e "Brumário" e ainda a inédita "E tudo mais". No show de lançamento foram incluídos sucessos da carreira como "Papo cabeça", "Um pro outro", "Vale de lágrimas", "Pra você parar", "Tudo azul", "Já é!", "Tempos modernos", "A cura", "Sábado à noite" e "A onda", além de contar com a participação especial da cantora Marina de La Riva em uma versão para o espanhol da música "Advinha o quê?", também incluída no CD e DVD, além da participação do baixista da banda, Jorge Ailton, que interpretou a faixa a faixa "O óbvio".  No ano de 2012, ao lado dos grupos de rock Detonautas e Deadfish participou do evento "Viradão Carioca", apresentando-se no palco montado na praia do Arpoador, em Ipanema, Zona Sul da cidade. Neste mesmo ano, ao lado de Daniel, Cláudia Leite e Carlinhos Brown, fez parte do corpo de jurados do programa de calouros "The Voice", da Rede Globo, baseado nos programas americanos "America Idol" e "The X Factor". Em 2013 lançou o CD "Lulu canta & toca Roberto e Erasmo Carlos", no qual contou com a participação especial do baixista de sua banda Jorge Ailton, com o qual interpretou em dueto a faixa "Você não serve pra mim". No ano de 2017 lançou o disco "Baby baby!", em homenagem à Rita Lee, somente com releituras do repertório da cantora e compositora, com as faixas "Disco voador", "Baila comigo", "Mamãe natureza", "desculpe o auê", "Ovelha negra", "Fuga nº II", "Agora só falta você", "Caso sério", "Alô, alô marciano", "Mania de você" e "Paradise Brasil". No disco contou com as particições especiais de DJ Memê, DJ Marcelinho da Lua, DJ Sanny Pitbull, além de Pretinho da Serrina na percussão da faixa "Nem luxo, nem lixo". Entre seus intérpretes constam Gal Costa, Fafá de Belém, Marisa Monte, Caetano Veloso, NX Zero, Padre Fábio de Mello e Exaltasamba.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Eumir Deodato
3 Chico Buarque
4 Assis Valente
5 Noel Rosa
6 Dorival Caymmi
7 Tom Jobim
8 Lupicínio Rodrigues
9 Caetano Veloso
10 Romildo