Busca:

Luiz Carlos Batera

Luiz Carlos dos Santos
1/7/1946 Rio de Janeiro, RJ
19/4/2007 Rio de Janeiro, RJ

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Em 1957, aos 11 anos de idade, já tocava bongô no conjunto infantil Os Curinguinhas, que se apresentava no "Programa do Guri", na rádio Tupi do Rio de Janeiro e em programas da TV Tupi.

Entre 1965 e 1968 serviu como fuzileiro naval, participando da banda dos fuzileiros e ainda fundou, juntamente com Carlos Dafé, um quinteto dentro do batalhão.

No ano de 1968, ao lado da cantora Rosana (ex- Rosana Fiengo), integrou o conjunto Cry Baby, que tocava em bailes e clubes de São Paulo. Por essa época, participava também de outros conjuntos de bailes que se apresentavam em clubes dos subúrbios carioca.

Em 1970, conheceu o saxofonista Oberdan Magalhães, que o levou para integrar o conjunto Don Salvador e Grupo Abolição. Por essa época, o grupo se classificou em 5º lugar no "Festival Internacional da Canção". No ano seguinte, o grupo lançou o primeiro e único disco "Som, sangue e raça", pela gravadora CBS. Em 1972, com o fim do conjunto, passou a ser requisitado como baterista para gravações e shows de vários artistas: Gal Costa, Raul Seixas, Luiz Melodia, Hyldon, Elza Soares, Cassiano, Tim Maia (fazendo parte da banda Vitória Régia e com o qual gravou sete discos), Gilberto Gil (com o qual gravou o álbum 'Realce', em Los Angeles), Tania Maria, Tony Tornado e Caetano Veloso. Logo depois, ao lado de Sidinho, Jamil Joanes, Cláudio Steverson e Carlos Dafé, participou do Grupo Senzala, que se apresentava na casa noturna Preto 22, com direção artística de Flávio Cavalcanti. Nesta boate também se apresentavam Chico Anísio e Jô soares, além de Alcione e outros artistas que se revezavam.

Em 1977, juntamente com Oberdan Magalhães, Jamil Joanes, Barrosinho, Cristóvão Bastos, Lúcio J. da Silva e Cláudio Stevenson, fundou a Banda Black Rio, grupo carioca de estilo funk/soul-music formado com a junção de alguns integrantes dos conjuntos Abolição e Impacto 8, mesclando o funk a elementos da música de gafieira, resultando dessa mistura um som mais balançado e dançante. Antes de gravar o primeiro disco, fazendo parte do Movimento Black Rio, a banda apresentava-se em vários clubes suburbanos. Nesses bailes, o grupo contava com os cantores Sandra de Sá e Carlos Dafé (na época, desconhecidos). Desse movimento de black music, faziam parte Tony Tornado, Carlos Dafé, Sandra de Sá, Don Salvador, Tim Maia, Tony Bizarro, Lady Zú, Gérson King Combo, Cassiano e Os Diagonais, entre outros. Neste mesmo ano, a banda lançou o primeiro disco "Maria fumaça", faixa-título de sua autoria em parceria com Oberdan. O maior sucesso da banda veio com a composição "Maria fumaça", que fez parte da trilha sonora da novela "Loco-motivas", da Rede Globo. No ano seguinte, o grupo gravou o LP "Gafieira universal", do qual se destacaram as faixas "Chega mais" (c/ Valdecir Nei) e "Samboreando", esta última em parceria com Oberdan Magalhães.

Em 1980, a banda lançou seu último LP, "Saci pererê", disco no qual não participou pois já havia se desligado da banda, que encerrou as atividades neste mesmo ano.

Durante esse tempo em que integrou a Banda Black Rio, participou da gravação e arranjos dos primeiros discos de Carlos Dafé e de outros artistas.

Durante as décadas de 1980 e 1990, continuou trabalhando como baterista e percussionista de vários artistas, entre eles, Zezé Motta, Cauby Peixoto e Luiz Melodia. No final da década de 1990, as músicas da Banda Black Rio foram bastante executadas nas pistas de dança da Inglaterra, motivo pelo qual seus discos foram reeditados no Brasil.

No ano de 2001 a BMG Brasil lançou a série 2 LPs em 1CD, disco no qual compilou os elepês "Gosto do prazer" (A Cor do Som) e "Saci pererê" (Banda Black Rio). Ainda neste ano, a gravadora BMG relançou individualmente os três discos da banda. Neste mesmo ano de 2001, atuou como baterista em shows de Marko Andrade e Lúcio Sherman e foi homenageado no evento "2ª Noite da Musicalidade Negra", no Bar Carioca, em show que contou com as presenças de Darci do Jongo, Banda do Véio, Marko Andrade e Carlinhos Trumpete, entre outros.

Em 2002, assumiu o cargo de Diretor Social do Clube Pedra Branca, em Senador Camará, subúrbio do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, como convidado, participou do lançamento do CD "Movimento", da nova formação da Banda Black Rio, no Canecão, no Rio de Janeiro.

Em 2003 foi lançado pela primeira vez em disco a gravação do show "Bicho baile show", de Caetano Veloso. O show foi gravado ao vivo no ano de 1978, quando a Banda Black Rio (1ª formação) que acompanhava Caetano Veloso, que iniciou a turnê desse show no teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro. O CD foi incluído em uma caixa intitulada "Todo Caetano". Neste mesmo ano, participou de vários shows, entre eles "Marko Andrade e Banda Aldeia convidam Carlos Dafé", Lona Cultural Hermeto Paschoal; "Marko Andrade e Vell Rangel", Teatro Mário Lago; "Carlos Dafé Convida", com Preta Gil, Cidade Negra, Gérson King Combo, Copa 7, Sandra de Sá, Dhema, Lúcio Sherman, Marko Andrade e Euclides Amaral), no Teatro Rival BR, RJ.

No ano de 2004 acompanhou a cantora Leila Maria em vários shows.

Em 2005 sua composição "Samba de campo" foi incluída no CD "Reset", do grupo alemão Liquid Loop, lançado em toda Europa, disco no qual fez participação especial tocando bateria e cantando na faixa. Neste mesmo ano produziu o disco "Prece à natureza", da cantora Zezé Silva.

Mais visitados
da semana

1 Elis Regina
2 Caetano Veloso
3 Irmãs Galvão
4 Chitãozinho e Xororó
5 Noel Rosa
6 Isolda
7 Tom Jobim
8 Luiz Gonzaga
9 Ronaldo Bôscoli
10 Bezerra da Silva