Busca:

Lô Borges

Salomão Borges Filho
10/1/1952 Belo Horizonte, MG

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Foi um dos "fundadores" do Clube da Esquina, ao lado de Márcio Borges, Milton Nascimento, Beto Guedes, Fernando Brant, Ronaldo Bastos, Wagner Tiso, Toninho Horta e Túlio Mourão, entre outros. O nome do grupo nasceu devido  ao hábito desses compositores mineiros (com exceção de Milton, que nasceu no Rio de Janeiro, mas foi criado em Três Pontas, MG)  se reunirem na esquina das ruas Paraisópolis e Divinópolis, no bairro de Santa Tereza, em Belo Horizonte, para trocar idéias musicais.   No início dos anos 1970, liderados por Milton Nascimento, foram para o Rio de Janeiro, onde, em 1972, foi lançado o disco "Clube da Esquina". Das 21 faixas do disco, oito são de sua autoria, em parceria com Márcio Borges, Ronaldo Borges e Milton Nascimento. Sua participação foi fundamental nesse disco, ajudando a caracterizar a sonoridade do Clube da Esquina, o que faria mais tarde o guitarrista americano Pat Metheny enviar um amigo ao Brasil "para tentar descobrir a causa da originalidade da música feita por The Corner Club, a qual eles ouviam nos Estados Unidos desde meninos" ( Cf. Márcio Borges. Os sonhos não envelhecem. São Paulo: Geração Editorial, 1996, p. 351). Na contracapa do disco, seu nome aparece em destaque ao lado do de Milton Nascimento.  Em 1973, lançou pela EMI-Odeon um LP solo, que ficou conhecido como o ''Disco do tênis''. O LP, que contou com a participação de Beto Guedes, Flávio Venturini, Vermelho e Sirlan, não atingiu o sucesso esperado.  Em 1978, foi lançado "Clube da Esquina 2", que contou com apenas duas composições suas: "Pão e água" (c/ Roger e Márcio Borges) e "Ruas da cidade" (c/ Márcio Borges). Em 1979, gravou o LP "Via Láctea". Em 1980, lançou "Os Borges", com composições de Yé Borges, Márcio Borges, Marilton Borges, Telo Borges, Nico Borges e Solange Borges, além de "Eu não sou como você é", de sua autoria.  Suas canções foram gravadas por vários intérpretes, como Milton Nascimento, Nana Caymmi, Simone e Gal Costa. Elis Regina gravou "O trem azul" (c/ Ronaldo Bastos), título do último show da cantora, que gerou o álbum duplo homônimo, gravado ao vivo e lançado, em 1982, pela Som Livre.  Ainda na década de 1980, lançou os LPs "Nuvem cigana" (1982), "Sonho real" (1984) e "Slolo" (1987). Em 1996, gravou o CD "Meu filme", contendo parcerias inéditas com Caetano Veloso ("Sem não") e Chico Amaral, além da participaçãos de músicos como Marcos Suzano, Milton Nascimento e o grupo Uakti.  Em 2000, voltou a se reunir com os amigos do Clube da Esquina, em encontro informal na casa de seu irmão Márcio Borges, para comemorar os 30 anos da canção que compôs em parceria com Márcio, "Um girassol da cor do teu cabelo", gravada no primeiro disco do Clube.  Em 2001, lançou o CD "Feira moderna", contendo suas canções "Trem de doido", "Um girassol da cor do seu cabelo", "Ela" e "Tudo que você podia ser", todas com Márcio Borges, "Equatorial" (c/ Márcio Borges e Beto Guedes), "Nuvem cigana", "O trem azul" e "Sonho real", todas com Ronaldo Bastos, "Para Lennon & McCartney" (c/ Márcio Borges e Fernando Brant), "Clube da esquina nº 2" (c/ Márcio Borges e Milton Nascimento), "Paisagem da janela" (c/ Fernando Brant) e a faixa-título (c/ Beto Guedes e Fernando Brant), além de "Fé cega, faca amolada", (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos), "A página do relâmpago elétrico" (Beto Guedes e Ronaldo Bastos) e "Vento de maio" (Telo Borges e Márcio Borges).  Em 2003, lançou o CD "Um dia e meio", contendo sua canção "Quem sabe isso quer dizer amor" (c/ Márcio Borges), gravada originalmente por Milton Nascimento no CD "Pietá" (2003), além das inéditas "Tudo em cores pra você", "Olá como vai" (c/ César Maurício) e "Qualquer lugar", todas com César Maurício, "Até o amanhecer", "Sonho novo" e "Topo do mundo", todas com Márcio Borges, "Chega pra ficar" (c/ Ronaldo Bastos), "Açúcar Sugar" (c/ Tom Zé), "Por que não" (c/ Arnaldo Antunes), a canção-título (c/ Chico Amaral) e "Tão bom", essa última sem parceiro. Fez show de lançamento do disco no Canecão (RJ), com a participação de Samuel Rosa, do grupo Skank, seu parceiro em várias canções, como "Dois rios". Lançou, em 2007, o CD "Bhanda", tendo a seu lado os músicos Giuliano Fernandes (guitarras e sitar), Barrat (baixo e sintetizadores), Robinson Matos (bateria) e Victor Mazarelo (teclados). No repertório, suas canções "Trem das coisas" e "Carnaval de cor", ambas em parceria com seu irmão Marcio Borges, e "O som das estrelas", entre outras. Em 2017, no Circo Voador, Rio de Janeiro, apresentou o show “Disco do Tênis”, em homenagem aos 45 anos do seu disco solo de estreia “Lô Borges”, lançado em 1972. O evento foi aberto pela banda carioca Dônica, e contou com músicos acompanhantes comandados por Pablo Castro. O disco teve uma reedição especial em vinil lançada neste mesmo ano.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Dorival Caymmi
3 Assis Valente
4 Nelson Gonçalves
5 Caetano Veloso
6 Elza Soares
7 Nelson Cavaquinho
8 Tom Jobim
9 Chico Buarque
10 Noel Rosa