Busca:

Lia de Itamaracá

Maria Madalena
12/1/1944 Recife, PE

Dados Artísticos

Começou a cantar com 12 anos de idade. Com 19, realizou suas primeiras apresentações, na ilha, em Recife (PE). Seu nome artístico surgiu de uma ciranda  feita em sua homenagem em 1962, por Teca Calazans, que dizia: "Essa ciranda quem me deu foi Lia/Que mora na Ilha de Itamaracá". Nasceu a partir daí, a Lia de Itamaracá. Lia é uma abreviatura de Maria, muito usado no Nordeste. Com mais de 40 anos de carreira, é vista como uma referência cultural de Pernambuco e do Brasil. Uma das últimas representantes da tradição de cantar cirandas. Apresenta-se constantemente em bares à beira-mar da praia de Itamaracá, como o Bar do Ermínio e o famoso restaurante e bar da prestigiada cozinheira d. Creusa. Em 1977, gravou o primeiro disco, "Rainha da ciranda". Na ocasião, saiu em uma matéria do programa "Fantástico", da TV Globo, que seria visto por Antônio, que acabaria-se tornando seu marido e que a acompanha nos shows, fazendo parte da banda.  Após o lançamento de seu primeiro disco, seu nome caiu no esquecimento e ficou mais de 20 anos sem gravar. Mesmo assim continuou a compor e a se apresentar. Suas obras são inúmeras, mas nenhuma delas escritas, pois as guarda todas de cabeça. Em 2000, foi lançado seu segundo disco "Eu sou Lia", pelo selo Ciranda Record, e editado pela Rob Digital, com uma prensagem inicial de 2.000 cópias, rapidamente vendidas, o que levou a uma segunda edição de mais 3.000 CDs. Na ocasião do lançamento do disco, realizou longa excursão nacional, apresentando-se em diversos estados, entre os quais o Rio de Janeiro, mostrando a sua arte no Parque das Ruínas, em Santa Teresa. As faixas de 1 a 5 foram gravadas, ao vivo, no Rio de Janeiro, em 1998, quando Lia foi convidada a participar do projeto "Vozes do mundo", no Centro Cultural Banco do Brasil. Além da composição "Verde do mar", de sua autoria, foram gravadas também "Minha ciranda", de Capiba, "Eu sou Lia", de Paulinho da Viola, "Janaína" e "Nagô, nagô", de domínio público, e "Chamego de Lia", de Fernando Borges e Ozires, entre outras.
Em 2000, foi uma das atrações do V Festival Rec-Beat realizado na Praia de Boa Viagem em Recife, Pernambuco. Em 2001 apresentou-se no Rio de Janeiro, no centro cultural Ariano Suassuna, sempre com boa aceitação por  parte da imprensa e do público. Pouco depois, fez shows na Suiça, na Espanha e na Itália. Em 2002/2003, além de apresentações pelo Brasil,  fez turnê pela Europa, apresentando-se na Itália, Espanha, Suíça, França e Alemanha. Nestes países divulgou seu CD "Eu sou Lia", lançado em 2000, e distribuído na França por um selo da word music. O disco impressionou a imprensa internaciona a ponto de O jornal The New York Times definir a artista como "diva da música negra".  Em 2004, apresentou-se na concha acústica do Centro Cultural dos Correios, no Rio de Janeiro como parte dos eventos da exposição "Arte da África", do Centro Cultural Banco do Brasil. No show, interpretou composições suas como "Santa Tereza", em homenagem ao bairro carioca. Nesse ano, foram concluídas as filmagens de "Eu sou Lia", longa-metragem de Karen Akerman sobre sua vida. Em junho de 2006, apresentou-se no Circo Voador, RJ, em show único, com abertura de Celma do Côco e das Filhas de Baracho, além de temporada de apresentação 1 vez por semana, como convidada da cantora Luciane Menezes, na Casa Brasil Mestiço, na Lapa. Em 2008, lançou o CD “Ciranda de ritmos”, produzido por Carlos Zens, e que trouxe clássicos como “Essa Ciranda quem me deu foi Lia”, “Cirandando pela praia”, de Carlos Zens, e “Suíte do Pescador”, de Dorival Caymmi. Em 2010, fez o show de encerramento do Encontro da Diversidade - A Independência da Cultura, evento realizado na Fundição Progresso, no coração da Lapa, no Rio de Janeiro, promovido pelo Ministério da Cultura, em parceria com a Secretaria Estadual de Cultura. Em 2013, apresentou show homônimo de seu último disco em uma temporada de apresentações na casa de shows Caixa Cultural, no Rio de Janeiro (RJ).

Mais visitados
da semana

1 Dona Ivone Lara
2 Luiz Gonzaga
3 Caetano Veloso
4 Hermeto Pascoal
5 Nelson Cavaquinho
6 Dorival Caymmi
7 Chico Buarque
8 Gilberto Gil
9 Nelson Gonçalves
10 Emilinha Borba