Busca:

Letícia Coura


Minas Gerais

Dados Artísticos

Em 1998, lançou o CD "Bam Bam Bam", contendo suas canções “Esperança” (c/ Beto Bianchi), “Se você me largar” (c/ Beatriz Azevedo), “Lua cheia”, “Troca Troca”, “Ex-mulher” e “Mulher moderna”, além de “Bate em mim” (versão de sua parceria com Beatriz Azevedo para canção original de Boris Vian e A. Goraguer), e ainda “Cacho de banana” (Beatriz Azevedo e Brian Castelli), “Os home implica comigo” (Pixinguinha e Carmen Miranda), “Babalú” (Margarita Lecuona), “Judiaria” (Lupicínio Rodrigues) e “Ziriguidum” (Monsueto).

Em 2001, lançou o livro "Vian - Poemas e Canções" e o CD "Letícia Coura canta Boris Vian", com versões de sua autoria para canções do compositor francês Boris Vian, pela primeira vez traduzido para o português: “Balada triste do progresso (As artes domésticas) (“La Complainte Du Progress”, Boris Vian e A. Goraguer), “Sou esnobe (“Je suis snob”, Boris Vian e J. Walter), “Musique Mécanique” (“Musique Mécanique”, Boris Vian e André Popp), “Moi, mon Paris” (“Moi, mon Paris”, Boris Vian e J. Walter), “Os açougueiros felizes” (“Les Joyeux Bouchers”, Boris Vian e J. Walter), “O pequeno comércio (“Le Petit Commerce”, Boris Vian e A. Goraguer), “Ah, se eu tivesse um real!... (“Ah, si j` avais un fran cinquante j` aurait”, Boris Vian e J. Schonberger) e “Bate em mim (“Fais-Moi Mal, Johnny”, Boris Vian e A. Goraguer, versão em parceria com Beatriz Azevedo). Também no repertório, “Je Bois” (Boris Vian e A. Goraguer), cantada no idioma original. O disco contou com a participação de Beba Zanettini (piano e arranjos) e Vítor da Trindade (percussão).

Ao longo de sua trajetória, apresentou-se em diversos países, tendo seu trabalho muito bem recebido principalmente na Alemanha.

Como atriz, faz parte do grupo do Teatro Oficina, de Zé Celso Martinez Corrêa.

Mais visitados
da semana

1 Música Sertaneja
2 Dorival Caymmi
3 Caetano Veloso
4 Lupicínio Rodrigues
5 Tom Jobim
6 Noel Rosa
7 Hermeto Pascoal
8 Assis Valente
9 Dona Ivone Lara
10 Chico Buarque