Busca:

Lane Santana


1975 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

De acordo com o carnavalesco Milton Cunha: "Lane Santana tem realizado, ao longo de sua carreira solo, desfiles poderosos e impactantes. Seus enredos demonstram um artista inquieto e sua estética revela a busca de novos caminhos. Uma promessa!". Em 2002 ingressou no G. R. E. S. São Clemente, escola na qual fez parte da comissão de carnaval, também integrada por Edvar Rachid, Raimundo Nonato e Sônia Regina, responsáveis pelo enredo "Guapimirim, paraíso ecológico abençoado pelo Dedo de Deus".
No ano de 2003 criou, para a São Clemente, o enredo "Mangaratiba, uma história de lutas para toso que amam a terra e a liberdade".
Em 2004 trabalhou no G. R. E. S. Vai-Vai, uma das principais escolas de samba de São Paulo, para a qual criou o enredo "Quer conhecer São Paulo? Vem no Bixiga pra ver...". No ano seguinte, para a mesma escola paulista, foi o autor do enredo "Eu também sou imortal". Neste mesmo ano de 2005 criou o enredo "Espelho, espelho meu..." para a escola Renascer de Jacarepaguá, classificando a agremiação em oitavo lugar e recebendo o prêmio de "Melhor Enredo" e "Melhor Ala das Baianas. No ano seguinte, em 2006, a escola, ainda sob seu comando classificou-se em quinto lugar no Grupo de Acesso A com o enredo "A Divina Comédia Brasileira". Neste mesmo ano de 2006, em dupla com o carnavalesco Alexandre Santos, criou o enredo "Na terra, na água, no fogo, no ar, os espíritos da natureza clamam pela vida", para a Escola de Samba Abolição.
Em 2007, junto ao carnavalesco Luiz Carlos Bruno, foi o autor do enredo "De Lambida em Lambida a Tijuca dá um 'click' na Avenida" para o Grêmio Recreativo e Escola de Samba Unidos da Tijuca. Com o samba-enredo "De lambida em lambida, a Tijuca dá um click na avenida", de Ivinho do Cavaco, Totonho, Silvão e Jorge Remédio, interpretado por Wantuir, a escola classificou-se em 4º lugar, no Grupo Especial. A dupla de carnavalescos ganhou o prêmio "Estandarte de Ouro", do Jornal O Globo, na categoria "Melhor Enredo". A escola desfilou tendo como Mestre-sala e Porta-bandeira Ubirajara e Lucinha Nobre, respectivamente. BIBLIOGRAFIA CRÍTICA: ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
ARAÚJO, Hiram. Carnaval - Seis milênios de história. Rio de Janeiro: Editora Gryphus, 2000.

Mais visitados
da semana

1 Caetano Veloso
2 Chitãozinho e Xororó
3 Elis Regina
4 Noel Rosa
5 Isolda
6 Tom Jobim
7 Bloco Carnavalesco Concentra Mas Não Sai
8 Bezerra da Silva
9 As Marcianas
10 Luiz Gonzaga