Busca:

Joni Maza


Circa 1942 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Começou a carreira artística no começo dos anos 1960 no Rio de Janeiro, dirigindo um conjunto de bailes criado por ele e que se apresentou em diferentes clubes da cidade. Em 1966, gravou com seu conjunto o LP "Uma brasa com Joni Maza - Joni Maza e seu conjunto", que incluiu duas composições de sua autoria: "Brotinho avançado", com Mário Júnior, e "Um olho só". Em 1967, gravou com seu conjunto o LP "Nós somos assim - Joni Maza e seu conjunto", do qual fez parte sua composição "Minha paz é você", com Mário Junior. Em seguida, passou a atuar sozinho e gravou, em 1968, pela RCA Victor, o LP "Joni Maza", com as músicas "Eu a a brisa", de Johnny Alf; "Você vai você vem", de Julio César e Márcio Antônio; "Januária", de Chico Buarque; "Este algo mas", de Tomy Ávila; "Joãozinho e a pipa", de sua autoria e João Augusto; "Zero hora", de Adilson Godoy; "Voltei", de Oswaldo Nunes e Celso Castro; "A lâmpada de Aladim", de Carlos Cruz e Wanderley Cardoso; "Samba do pula pula", de Edson Menezes e Nilson de Alburquerque; "Solamente eso", de Tomy Ávila; "Minha paz é você", de sua autoria e Mário Júnior, e "Joyce's samba", de Durval Ferreira e Maurício Einhorn. Em 1972, gravou um segundo LP que teve seu nome como título. No repertório, as músicas: "Não sou mais triste (Hooked on a feeling)", de James, versão sua e de Zamora; "Eu não quero você mais (Everything's gonna be alright)", de Christie, em versão sua; Se tudo foi mentira (Mighty mighty and roly poly)", de H. Stott, M. Capuano e G. Capuano; "Um caso bem original (Leap up and down)", de Handock,  e "Vestido amarelo (Is the way to amarillo)", de Neil Sedaka e Howard Greenfield, as três últimas, em versões de Luiz Ayrão; "Se você me amar (Ain't no woman - Like the one I've got", de Lambert e Potter; "Sábado em Copacabana (Son of my father)", de Moroder, Bellotte e Holm; " Canção de amor sem fim (Never ending song of love)", de Delaney Bramlett; "Passos na chuva (I'm a song - Sing me)", de Neil Sedaka e Howard Greenfield; "Ana (Anna no can do)", de Gordon; "Sandra bobinha (Silly Milly)", de Brohn e Hoock, e "Caminhos sem fim (Mother and child reunion)", de Paul Simon, todas essas, versões de A. Guerreiro Jr. Na década de 1980, voltou a atuar com seu conjunto e, até meados dos anos 2000, ainda estava em atuação realizando bailes.

Mais visitados
da semana

1 Bruno e Marrone
2 Tiee
3 Pixinguinha
4 Luiz Gonzaga
5 Eumir Deodato
6 Raul Seixas
7 Nelson Gonçalves
8 Garoto
9 Elza Soares
10 Ricardo Cravo Albin