Busca:

João de Aquino

João de Aquino Monteiro

Dados Artísticos

Em 1964, compôs com o poeta Paulo César Pinheiro "Viagem". No ano seguinte, inscreveu-se no "III Festival Internacional da Canção", da TV Globo com a canção "Sagarana", em parceria com Paulo César Pinheiro.

Em 1979, Elizete Cardoso no LP "Falou e disse", incluiu de sua autoria "Lua aberta", parceria com Paulo Frederico.

No ano de 1972, a cantora Marisa Gata Mansa gravou "Viagem" em compacto simples pela EMI-Odeon, lançando, no ano seguinte, o LP homônimo.

No ano de 1974, seu parceiro gravou o LP "Paulo César Pinheiro" pela EMI-Odeon, no qual regravou "Viagem" e "Sagarana", sendo esta composição, uma releitura da obra de Guimarães Rosa. Neste mesmo ano, gravou "Fica, amor" em parceria com Edu Marques. Em seguida, partiu em turnê pelos Estados Unidos e Canadá com o show "Festa Brasil", ao lado de Simone e do grupo Viva a Bahia, com direção de Hermínio Bello de Carvalho.

Suas composições foram gravadas por diversos intérpretes: "Molejo" (c/ Hermínio Bello de Carvalho), por Roberto Ribeiro em 1975, que deu nome ao disco do cantor; "Sagarana", em 1977, por Clara Nunes, no LP "As forças da natureza".

Em 1978 lançou o LP "Terreiro Grande".

No ano de 1980, Elza Soares interpretou "Cobra cainana" (c/ Hermínio Bello de Carvalho). Neste mesmo ano lançou o LP "Asfalto".

Em 1982, foi lançado através da Série Mestres da MPB da Warner, o LP "Hermínio Bello de Carvalho", no qual a música "Patuá" foi incluída na interpretação de Clementina de Jesus, Elza Soares, Marlene e pelo próprio parceiro Hermínio Bello de Carvalho. Neste mesmo ano sua composição "Três por quatro" (c/ Hermínio Bello de Carvalho) foi incluída no LP "Outra vez" de Elizete Cardoso, lançado pela gravadora Som Livre.

No ano de 1986 gravou, juntamente com Maurício Carrilho, um LP independente, no qual constaram, além das canções com o parceiro, várias composições de sua autoria.

Em 1996, Aldir Blanc lançou pela Alma Produções o CD "50 Anos", no qual incluiu "Canário da terra", parceria de ambos.

Fez a direção musical e atuou como violonista no CD "Eterna chama/Candeia", em homenagem a este compositor e lançado pela Perfil Musical no ano de 1998. No ano seguinte, atuou em vários shows com a cantora Dorina, em espaços culturais do Rio de Janeiro, como Teatro Rival, Teatro Villa-Lobos e Lona Cultural João Bosco. Ainda na década de 1990, foi responsável pelo arranjo da música "Vale quanto pesa", de Luiz Melodia, gravada pelo Barão Vermelho. Trabalhou como diretor musical de programas da TV Globo, como "Fantástico" e "Brasil Pandeiro".

Compôs para a TV Manchete a trilha sonora da novela Dona Beija.

Recebeu vários discos de ouro por seu trabalho como produtor de discos de artistas como Simone, Roberto Ribeiro, Elza Soares, Dicró, Carlos Cachaça, Leny Andrade, Candeia, Monarco, Pery Ribeiro, Jorginho do Império, Carmem Costa e Zezé Motta.

Constam da relação de seus intérpretes artistas como Roberto Ribeiro ('Poeira pura') e Nadinho da Ilha ('Terreirão grande'), ambas em parceria com Rubem Confete, que também registrou em sua voz "Terreirão grande".

Em meados da década de 1990, lançou pelo selo Top Voice o CD "Bordões", em comemoração aos seus 50 anos, que contou com várias participações especiais, como as de Martinho da Vila em "Conflito interior" (parceria de ambos), Zé Luiz Mazzioti em "Nosso amor não deu em nada" (c/ Paulo Frederico) e ainda as participações das cantoras Áurea Martins na faixa "Barraco" (c/ Nei Lopes), e Elza Soares em "Canário da terra" (c/ Aldir Blanc).

Em 1997, o grupo Negritude Júnior com CD "Sedução na pele", obteve sucesso com a regravação de "Viagem" (c/ Paulo César Pinheiro.

No ano 2000, sua música "Maria de todas as graças" foi incluída pelo parceiro Marquinhos de Oswaldo Cruz no disco "Uma geografia popular''. Nesse mesmo ano, participou do show de carnaval no palco da Lapa ao lado de Wilson Moreira, Xangô da Mangueira, Dorina, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Nelson Sargento, Walter Alfaiate e Tia Surica, cabendo a ele a direção musical da apresentação.

Ao longo de sua carreira, gravou nove LPs no exterior e quatro no Brasil, alguns deles relançados em CDs.

Atuou em inúmeros shows na Europa e nos Estados Unidos, onde se apresentou várias vezes como solista no Madison Square Garden.

No ano de 2001, Paula Lima, no disco "É isso aí", pelo selo Regata, incluiu de sua autoria "Cirandar", parceria com Martinho da Vila. No ano seguinte, acompanhou ao violão Martinho da Vila na faixa "Heróis da liberdade" (Mano Décio da Viola, Manuel Ferreira e Silas de Oliveira), incluída no CD "Voz e coração", de Martinho da Vila, lançado pela gravadora Sony Music. Neste mesmo ano de 2002, pelo selo Rádio Mec, lançou o CD "Sabor", no qual gravou 12 composições de sua autoria e ainda "Labareda", de autoria de seu primo Baden Powell em parceria com Vinicius de Moraes.

Em 2003 fez a produção musical e arranjos para o CD "Maxixe não é samba" de Vó Maria e ainda participou da faixa "Moro na roça" (Domínio público) interpretada ao lado de Vó Maria e Xangô da Mangueira.

Mais visitados
da semana

1 Isolda
2 Luiz Gonzaga
3 Noel Rosa
4 Eumir Deodato
5 Dorival Caymmi
6 Geraldo Pereira
7 Lupicínio Rodrigues
8 Chico Buarque
9 Pixinguinha
10 Música Sertaneja