Busca:

Jean Carlo


20/3/1943 São Paulo, SP
2/7/2013 Campinas, SP

Dados Artísticos

Iniciou a carreia artística por volta dos 16 anos, quando passou a cantar em festas. Nessas festas cantava em diversos idiomas. Participou de programas de calouros e, em 1964, destacou-se no programa "Reino da Juventude", apresentado por Antonio Aguilar, na TV Record. Em 1965, gravou seu primeiro disco, um compacto simples pela Copacabana, com as músicas "Se non avessi più te", de Bruno Zambrini, Luiz Enriquez e Franco Migliacci, e "Eu nasci pra você (Sono nato com te)", de P. Donaggio e V. Pallavicini, em versão de Antônio Aguillar. Nesse ano, começou a participar do programa Jovem Guarda. Após o lançamento de seu primeiro disco, fez shows por todo o país e participou de inúmeros programas de televisão, entre os quais, "Campeões de Popularidade", na TV Excelsior, no Rio de Janeiro; "Discoteca do Chacrinha", "Um Instante Maestro", apresentado por Flávio Cavalcanti, "Almoço com as Estrelas", "Clube dos Artistas", "A Grande Parada", "Programa Silvio Santos", "Astros do Disco", "Programa Wilson Simonal", "Corte Rayol Show", "Globo de Ouro", "Globo Music Hall", "Noite de Gala", e "TV Fone". Em 1966, lançou seu primeiro LP "Eu nasci pra você", faixa título, uma versão de Antônio Aguillar para "Sono nato com te", de P. Donaggio e V. Pallavicini. Nesse disco, interpretou ainda as canções "Deus olhai por mim", de Antônio Aguillar e Dirceu Graeser; "Uma casa sobre o mundo", versão de Rodrigues Filho, para "Uma casa in cima al mondo", de P. Donaggio e V. Pallavicini; "Aline", de Christophe, em versão de Antônio Aguillar; "Tão solitário" (Ho chiuso le finestre)", de L. E. Bacalov e F. Migliacci, em versão de Noberto de Freitas; "Dê-me a mão", de Alf Soares; "Fim de romance", de Antônio Aguillar e Dirceu Graeser, e "Se non avessi più te", de Bruno Zambrini, Luiz Enriquez e Franco Migliacci, além das faixas "Não quero mais você (Das ist night gut fur mich)", de U. Jurgens e F. Bohlen, em versão de Waldir Santos; "Milagre", de Dori Edson e Marcos Roberto; "Garota samba jovem", de Carlos Imperial e Nonato Buzar, e "O mundo é de nós dois (Torna, torna, torna)", de Zambrini, Enriquez e Migliacci, em versão de Antônio Aguillar, que contaram o acompanhamento do conjunto The Fellows. Em 1967, lançou dois compactos simples. No primeiro interpretou "Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones (C'era um ragazzo che come me amava i Beatles e i Rolling Stones)", de Mauro Lusini e Franco Migliacci, em versão de Brancato Júnior, e "Nunca meu amor (Never my love)", de Don Addrisi e Dick Addrisi, versão de Nazareno de Brito. Em 1968, gravou o LP "Preciso olhar pra você", no qual interpretou: "Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones (C'era um ragazzo che come me amava i Beatles e i Rolling Stones", de Mauro Lusini e Franco Migliacci, versão de Brancato Júnior;"Travessia", de Milton Nascimento e Fernando Brant;"Amigos apenas (Tada-soredake)", de Katsuhisa Hattori e Kazuko Katakiri, que teve letra em português de Geraldo Casé; "Duelo (Duet at diablo)", de Neal Hefti e Ernie Sheldon, versionada por N. Bourget; "A minha serenata (La mia serenata)", de Jimmy Fontena e Gianni Boncompagni, versão de Gláucia Prado; "Lady", de Bert Kaempfert, Herbert Rehbein, Charles Singleton e Larry Kusik; "Nunca meu amor (Never my love)", de Don Addrisi e Dick Addrisi; "Preciso olhar pra você (Can't take my eyes off you)", de Bob Crewe e Bob Gaudio, e "Muito longe, bem longe de tudo", de Lontano Lontano e L. Tenco, todas em versão de Nazareno de Brito; "Estarei ao seu lado (Beach out I'll be there)", de Brian Holland, Eddie Holland e Lamont Dozier, tradução de Alf Soares; "Esse amor que eu não queria (A whiter shade of pale)", de Gary Brooker e Keith Reid, versão de Geraldo Figueiredo, e "Por uma mulher (Per uma donna)", de M. Martino, G. Perretta e C. Mantoni, versão de Romeo Nunes. Em 1969, depois de já ter lançado dois LPs e 15 compactos, mudou-se para a Argentina, e passou a apresentar-se em cidades locais e também no Uruguai, além de participar de programas de televisão. Em 1970, cantando em inglês e representando os Estados Unidos, recebeu o prêmio de "Melhor intérprete", no "Festival de Costa a Costa", em Piriápolis, no Uruguai. Em 1971, retornou ao Brasil disposto a prosseguir a carreira em sua terra natal. Em 1972, lançou pela Polydor um compacto simples com as músicas " Tanto tempo esperei (Everyday of my life)", de Jimmie Crane e Al Jacobs, versão de Fred Jorge, e "É tão fácil (Easy loving)", de Freddie Hart, versão de Ricardo Macedo. No começo da década de 1970, assim como muitos outros intérpretes, passou a cantar em inglês. Adotou o pseudônimo de Michael Davis e fez sucesso com a música "Another song", que foi incluída na trilha sonora da novela "O Semideus", da TV Globo, sendo ainda colocada como tema de abertura do Jornal Hoje, na mesma emissora. Em 1974, adotou o pseudônimo de Edward Cliff, e gravou, pelo selo Central Park, as músicas "Country feelin" e "I'll never walk alone again". Esta última, tornou-se sucesso sendo incluída na trilha sonora da novela "SuperManoela", da TV Globo. Nessa época, participou de programas de televisão como "Barros de Alencar" e "Discoteca do Chacrinha", cantando principalmente em inglês. Em 1975, com o nome de Edward Cliff, gravou, pela RCA Victor, um compacto simples que incluiu "Nights of september", que se tornou grande sucesso, sendo lançada na América do Norte e na Europa, e em versão em espanhol, em toda América do Sul. Essa música ficou 13 semanas nas paradas de sucesso na Itália. Nesse ano, passou a fazer parte do movimento católico de evangelização e começou a ministrar palestras e a se apresentar em igrejas, cantando e tocando órgão, trabalho desenvolvido até 1987, tendo visitado mais de mil cidades. Em 1977, ainda como Esward Cliff, gravou a balada "Summer love", incluída na trilha sonora da novela "Sem lenço sem documento", da TV Globo. Em 1987, voltou a fazer shows cantando e tocando teclados com um repertório composto de clássicos do jazz, blues e MPB, cantando em português, inglês, espanhol, italiano e francês. Em 1996, retomou o trabalho de evangelização ao ser convidado para participar do programa "Louvemos o Senhor". Ao longo da carreira, também utilizou os pseudônimos de  Steve Brandy, Gary Bristol, Peter Knapp, Steve Robinson e Marty Rivers.

Mais visitados
da semana

1 Jota Raposo
2 Hermeto Pascoal
3 Nelson Cavaquinho
4 Caetano Veloso
5 Noel Rosa
6 Chico Buarque
7 Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)
8 Luiz Gonzaga
9 Milton Nascimento
10 Festivais de Música Popular